A publicação de uma imagem na qual é possível ver aves mortas no chão, junto a uma árvore caída, insinua que “milhares de pássaros” morreram em Itália e que isso poderá estar relacionado com a Covid-19 através “do ar”. Contudo, até à data, não há qualquer registo de que a Covid-19 tenha sido a causa da morte de qualquer animal, ainda que já tenham sido reportados casos de cães e gatos que testaram positivo para a infeção por Sars-Cov2. Apesar da infeção pelo novo coronavírus, não há registo de ele ter provocado óbitos entre os animais.

Publicação no Facebook que procura associar a causa da morte de “milhares” de aves à Covid-19

A imagem em questão foi registada por fotojornalistas do jornal Il Messaggero, que na assinatura se identificam como “Valeri/Toiati”. E é possível encontrar estes mesmos nomes em várias fotogalerias publicadas pelo jornal, como uma que ilustra o último voo entre a China e Roma, ou, mudando para um tema totalmente diferente, uma noite de gala no Teatro de Ópera de Roma.

É também numa das fotogalerias do jornal italiano que surge a imagem utilizada pela publicação de Facebook que está acima. Se dúvidas existissem sobre o motivo que causou a morte das aves, ficavam logo esclarecidas lendo o título da fotogaleria: “Árvore caída à frente do Policlino Umberto I em consequência do forte vento”.

Quando é que isto aconteceu? Segundo o Il Messaggero, no início de fevereiro, num dia especialmente difícil para os bombeiros em Roma, que tiveram de acudir a várias ocorrências provocadas por um forte vento. No caso desta árvore em particular, além dos animais que morreram, a queda da árvore fez ainda um ferido. Tudo isto aconteceu por volta das 19 horas de 4 de fevereiro.

O Policlinico Umberto I, que é referido na fotogaleria, é o segundo maior hospital público italiano e é também a casa da Faculdade de Medicina e Cirurgia da Universidade de Roma, o que permitiu socorrer o homem ferido com a maior brevidade segundo os relatos feitos na imprensa italiana. De acordo com as notícias, nem todos os pássaros no chão estariam mortos, ainda que a grande maioria tivesse acabado por morrer na sequência da queda da árvore.

Ao contrário do que insinua a publicação no Facebook, não são milhares, mas sim “algumas dezenas” de pássaros que aparecem mortos no chão de Roma, sem que isso tenha, ao que tudo indica, qualquer ligação com o novo coronavírus. A publicação já foi partilhada quase três mil vezes, mas sem nenhum fundo de verdade, já que, até ao momento, só se conhecem alguns casos de cães ou gatos infetados — que ainda assim levantam muitas dúvidas aos cientistas — por coronavírus, mas sem que isso tenha resultado na sua morte.

Caso de cão levantou a suspeita. O coronavírus transmite-se de humanos para cães e gatos? E o contrário?

Quanto à transmissão da doença dos animais para os seres humanos, a Organização Mundial da Saúde inicialmente tinha uma posição bastante clara sobre o assunto, quando afirmava que “não há evidência de que os animais domésticos, tais como cães e gatos, tenham sido infetados e que, consequentemente, possam transmitir o Covid-19”, mas acabou por alterar essa indicação no próprio site para uma mais cautelosa: “Não há provas…”. Entre infecciologistas, organizações de saúde e associações veterinárias há algum consenso de que os dados existentes, poucos até agora, apontam para que este tipo de contágio ente animais e humanos seja altamente improvável.

Em Portugal, a Ordem dos Médicos Veterinários recomendou a quem esteja infetado com a Covid-19 evitar contactar com animais.

Conclusão

É falso que tenham morrido “milhares de pássaros” em Itália e que isso tenha acontecido durante a pandemia da Covid-19, estando os dois acontecimentos interligados. A publicação utiliza uma fotografia do jornal Il Messaggero sobre uma queda de uma árvore em Roma, a 4 de fevereiro, (poucos dias depois dos primeiros casos confirmados de Covid-19 no país) para insinuar que morreram “milhares de pássaros” e que pode haver algum problema “no ar”.

Além de ser uma imagem que foi usada completamente fora de contexto, e extrapolada para a morte de muitos mais animais do que realmente aconteceu, ainda sugere que a Covid-19 pode ser propagada pelo ar, algo que a Organização Mundial de Saúde já esclareceu que não acontece. O vírus propaga-se através de gotículas que, por serem pesadas, caem ao chão. É assim falso que haja “algo no ar”, em Itália, relacionado com a Covid-19.

Assim, segundo a classificação do Observador, este conteúdo é:

Errado

No sistema de classificação do Facebook este conteúdo é:

FALSO: as principais alegações do conteúdo são factualmente imprecisas. Geralmente, esta opção corresponde às classificações “falso” ou “maioritariamente falso” nos sites de verificadores de factos.

Nota: este conteúdo foi selecionado pelo Observador no âmbito de uma parceria de fact checking com o Facebook.

Nota 2: O Observador faz parte da Aliança CoronaVirusFacts / DatosCoronaVirus, um grupo que junta mais de 100 fact-checkers que combatem a desinformação relacionada com a pandemia da COVID-19. Leia mais sobre esta aliança aqui.

IFCN Badge