Foi uma mensagem já com cariz eleitoral. Na tradicional mensagem de Ano Novo, o primeiro-ministro britânico, David Cameron, carregou no dramatismo e alertou mesmo para aquilo que pode ser o “caos” no caso de o país mudar o rumo da política económica e apoiar o Partido Trabalhista.

“2015 promete ser um bom ano para o nosso país, se escolhermos bem todos juntos”, disse Cameron que acescentou em tom mais carregado que perante uma economia global “ainda incerta”, o país tem de escolher “entre a competência” dos últimos anos e “o caos” de retroceder e assumir grandes riscos.

Os britânicos vão este ano a votos antes do verão, e o primeiro-ministro aproveitou a mensagem de Ano Novo dizendo que votar nos trabalhistas seria um retrocesso que prejudicaria a recuperação económica e por isso pediu aos ingleses que mantenham “o plano” económico em curso e continuação do caminho de “prosperidade” e lembrou que desde 2010 foram criados dois milhões de empregos no setor privado.

Cameron não foi no entanto o único a utilizar a mensagem de Ano Novo como tempo de antena eleitoral. O trabalhista Ed Miliband prometeu que se chegar ao poder fará o possível para assegurar que as pessoas se sintam verdadeiramente beneficiadas pela recuperação económica.

Já o vice-primeiro ministro, e liberal-democrata, Nick Clegg, adiantou que irá defender os valores da “compaixão e da tolerância”.