O PS considerou hoje urgente que Governo e Banco de Portugal esclareçam se aceitam seguir a “prudente” recomendação para o adiamento da Assembleia Geral da PT defendida pelo presidente deste órgão, Menezes Cordeiro, e pela CMVM.

Segundo o Diário Económico, nos últimos dias, o presidente da mesa da assembleia-geral da PT, António Menezes Cordeiro, e a CMVM “têm defendido o adiamento da reunião magna”, argumentando que os acionistas não estão na posse de toda a informação de que necessitam para votar.

Fonte da direção do PS referiu à agência Lusa que “é urgente que o Governo e Banco de Portugal esclareçam já se vão ou não seguir a prudente recomendação da CMVM e do professor Menezes Cordeiro”. “Só em função disso, nos poderemos pronunciar sobre este tema”, justificou à agência Lusa a mesma fonte da direção do PS.

Na sexta-feira, a CMVM suspendeu a negociação das ações da PT SGPS enquanto aguardava que “informação relevante” fosse entregue pela entidade.

Para hoje está marcada uma assembleia-geral da PT SPGS para decidir a venda da PT Portugal à Altice, mas a reunião ainda poderá ser suspensa, também na sequência de um pedido do sindicato dos trabalhadores do grupo. Na sexta-feira passada, o presidente do Sindicato dos Trabalhadores do Grupo PT (STPT), Jorge Félix, assegurou à agência Lusa que iria pedir a suspensão da assembleia-geral, caso isso não acontecesse entretanto.

O sindicalista acrescentou que a Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) também considerava que esta assembleia-geral magna deveria ser adiada.