A Procuradoria brasileira acusou formalmente o tesoureiro do Partido dos Trabalhadores (PT, de Dilma Rousseff), João Vaccari Neto, e outras 26 pessoas por branqueamento de capitais, associação criminosa e corrupção no caso Petrobras.

Entre os acusados está também o ex-diretor da Petrobras Renato Duque, o ex-diretor de Abastecimento Paulo Roberto Costa, o ex-gerente Pedro Barusco e o ‘doleiro’ (que faz operações irregulares com a moeda norte-americana) Alberto Youssef, segundo a imprensa brasileira.

Outros cinco acusados são os alegados operadores do esquema de corrupção na Petrobras, estando outros 15 ligados a construtoras.

Vaccari Neto é suspeito de ter recebido ‘luvas’ para financiar a campanha eleitoral do PT, partido da Presidente Dilma Rousseff e do antecessor no cargo, Lula da Silva.

A Operação Lava Jato, da Polícia Federal brasileira, investiga as suspeitas de corrupção na Petrobras desde 17 de março de 2014 e vai completar um ano de trabalho na terça-feira.

Entre os investigados estão políticos, empresários e executivos da petroleira brasileira.