O acordo de princípio sobre o programa nuclear do Irão ameaça a sobrevivência de Israel, escreveu hoje na sua conta do Twitter o porta-voz do primeiro-ministro israelita, Benjamin Netanyahu.

“Um acordo pode ameaçar a sobrevivência de Israel”, escreveu o porta-voz do chefe do Governo israelita, Mark Regev, citando Benjamin Netanyahu.

O grupo das grandes potências designado “5+1” (que inclui os cinco membros permanentes do Conselho de Segurança da ONU e a Alemanha) e o Irão chegaram hoje a um acordo de princípio para resolver o dossiê nuclear iraniano.

O acordo final com os aspetos técnicos e legais tem de ficar concluído até 30 de junho.

Segundo os primeiros elementos divulgados por este pré-acordo, a capacidade de enriquecimento do Irão deverá ser reduzida e o país deverá manter 6.000 centrifugadoras em atividade, contra as 19.000 atualmente.

O secretário de Estado norte-americano, John Kerry, que participou nas negociações de Lausana, admitiu por sua vez que as reservas de urânio enriquecido do Irão serão reduzidas “em 98% durante 15 anos”.

Segundo referiu a UE, as sanções norte-americanas e europeias, que estrangulam a economia iraniana, serão levantadas em função dos respeitos dos compromissos pelo Irão.