Warren Buffett, o terceiro homem mais rico do mundo e provavelmente o melhor investidor do século XX, apresentará os resultados anuais da Berkshire Hathaway no próximo sábado. Já se sabe que os capitais próprias da empresa aumentaram 8,3% em 2014, acumulando um crescimento 751.113% desde 1965. Este resultado é equivalente a 19,4% por ano.

O Observador estará no sábado na assembleia geral da Berkshire Hathaway em Omaha, no Nebrasca, nos Estados Unidos da América, para lhe relatar todos os ensinamentos do guru da bolsa. A assembleia inicia-se às 9h30 locais, 15h30 em Lisboa, embora o “Woodstock para Capitalistas”, como Buffett gosta de lhe chamar, comece pelo menos duas horas antes.

Para os pequenos investidores que querem acompanhar o “Oráculo de Omaha”, como é conhecido Warren Buffett em referência à sua cidade natal, é mais importante saber em que devem investir. O Observador analisou o último relatório da Berkshire Hathaway (pdf) para lhe desvendar os maiores investimentos de Warren Buffett.

Berkshire Hathaway

A assembleia geral do próximo sábado celebra as bodas de ouro do controlo da Berkshire Hathaway. Foi em maio de 1965 que Warren Buffett e os seus parceiros de negócios passaram a controlar a companhia têxtil que, desde então, passou a ser um veículo para as apostas do guru da bolsa.

Os investidores que querem replicar exatamente os ganhos de Buffett só têm uma opção: as ações da Berkshire Hathaway. As ações da classe A são as originais. Nem todos têm dinheiro para investir nestes títulos: custam atualmente cerca de 212.500 dólares (195.600 euros). Estas ações da classe A podem ser divididas em 1.500 ações da classe B, que cotam separadamente perto de 142 dólares (130,75 euros) na bolsa de Nova Iorque.

Wells Fargo

Warren Buffett está otimista em relação à economia norte-americana e, em particular, ao setor bancário. O Wells Fargo é o banco estado-unidense mais valioso na bolsa com uma capitalização bolsista de cerca de 260 mil milhões de euros. A Berkshire Hathaway é dona de 9,4% desse montante. É, por isso, o maior acionista do Wells Fargo.

Coca-Cola

A Berkshire também é o maior acionista da Coca-Cola, a maior companhia de bebidas do mundo. Além de ter ganho os seus primeiros tostões a vender garrafas de Coca-Cola, Warren Buffett é um apreciador. “Bebo três Colas durante o dia e duas à noite”, disse o guru de 84 anos à Fortune em fevereiro.

American Express

As ações da American Express, o maior emissor de cartões de crédito por valor de compras, caíram nos últimos meses. É assim que Warren Buffett gosta. Numa entrevista ao canal televisivo CNBC em março, o guru explicou que “não fica feliz” quando os títulos sobem, porque fica mais caro reforçar as participações. A Berkshire Hathaway é também o maior acionista da American Express.

IBM

Na mesma entrevista à CNBN, Warren Buffett disse que estima que as vendas da IBM continuem a cair. Apesar disso, comprou mais títulos em 2014. A razão para a compra é simples: a maioria das maiores empresas norte-americanas continuará a ser cliente da IBM.

Bank of America

A Berkshire não tem ações do Bank of America, mas a opção de comprar 700 milhões de títulos a cerca de 7,14 dólares por ação até setembro de 2021. As ações valem agora cerca de 15,50 dólares. “Provavelmente compraremos as ações mesmo antes de expirar a nossa opção”, explicou o guru no relatório anual.

Wal-Mart Stores

A participação na Wal-Mart Stores é das poucas que não fornece à Berkshire Hathaway o título de maior acionista. O grupo de Warren Buffett é o sexto maior acionista da Wal-Mart, o maior retalhista do mundo. Mesmo assim, a posição financeira vale quase cinco mil milhões de euros.

US Bancorp

Os motivos que levaram Warren Buffett a investir no US Bancorp são os mesmos que o conduziram ao Wells Fargo: são bancos extremamente fortes e bem geridos. O US Bancorp, com sede em Minneapolis, no Minesota, é o maior banco regional norte-americano.

Munich Re

A principal aposta de Warren Buffett fora dos Estados Unidos da América é na Munich Re, a maior companhia resseguradora do mundo. A Berkshire é o maior acionista com 11,6% do capital da empresa alemã.

Além destes investimentos, a Berkshire Hathaway também detém, entre as maiores participações, as ações da Procter & Gamble (embora tenha um contrato para a venda da participação), do Goldman Sachs, da Moody’s, da DirecTV, da Sanofi, da DaVita HealthCare, da Deere e da USG.

David Almas é analista financeiro independente registado na CMVM com o número oito. O autor trabalha subordinado ao Código Deontológico dos Jornalistas.