São 15 vagas para 14 semanas de aulas. Até 16 de agosto, os licenciados desempregados com idade inferior a 31 anos podem candidatar-se à formação em tecnologias de informação (TI) que a Academia de Código vai promover a partir de 7 de setembro em Lisboa. Gratuito, o “Coding Bootcamp” está aberto a desempregados de qualquer área de formação. As candidaturas estão abertas aqui.

“O nosso objetivo é ajudar os jovens licenciados portugueses que estão no desemprego a mudarem a sua vida, aprendendo a programar. Em setembro começamos com este primeiro curso, que é financiado pelo Orçamento Participativo da Câmara Municipal de Lisboa. Mas depois de provado o modelo, em 2016 esperamos chegar já a outros distritos e, a médio prazo, estar em todo o país”, diz João Magalhães, cofundador e líder da Academia de Código.

Para concorrerem, os jovens devem estar inscritos num Centro de Emprego e viver em Lisboa. No final das 14 semanas de curso, a Academia de Código diz que garante colocar os alunos em estágios em empresas parceiras. O objetivo é que sejam inseridos, posteriormente, nos quadros profissionais dessas empresas.

As aulas do “Coding Bootcamp” vai decorrer na incubadora de empresas Startup Lisboa, onde a Academia de Código está também sediada. Com esta iniciativa, a startup pretende ensinar “todas as bases de código e programação” aos futuros alunos. E ajudá-los a tornarem-se “programadores qualificados e capazes” de integrar o mercado de trabalho.

“A oferta de emprego para programadores de TI continua a aumentar em Portugal, por isso faz todo o sentido requalificar desempregados que não encontraram colocação noutras áreas”, referiu João Magalhães.

De acordo com um estudo da Comissão Europeia de janeiro de 2014, há 8.100 vagas de emprego que vão ficar por preencher em Portugal na área das tecnologias de informação e comunicação no final do ano. Em 2012, ficaram 3.900 e em 2020, estima-se que fiquem 15 mil. No total dos 27 Estados-membros da União Europeia, a comissão estima que fiquem 913 mil vagas por preencher no setor.

Esta quinta-feira, a InvestBraga – Agência para a Dinamização Económica de Braga, o Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP) e a Universidade do Minho também vão começar a selecionar 100 pessoas para a primeira fase do Qualifica IT, um programa que visa dotar 200 desempregados licenciados em ciências, matemáticas, engenharias ou tecnologias. Objetivo: dar-lhes formação nas principais tecnologias e linguagens de programação até 2016.

De acordo com um estudo divulgado em junho pela Landing.jobs – empresa que atua no mercado de recrutamento de profissionais de TIC -, 55% dos profissionais de TIC em Portugal tem um vencimento mensal superior a 1.300 euros e 15% recebe mais de 1.800 euros por mês. Apenas 27% ganha menos do que mil euros por mês.