Cooperação económica

Merkel diz que irá “trabalhar muito” para Comissão Europeia acelerar negociações com Mercosul

A chanceler alemã Angela Merkel afirmou que vai "trabalhar muito" para que a Comissão Europeia "acelere" as negociações de um acordo comercial com o Mercosul, em declarações à imprensa, em Brasília, ao lado da Presidente brasileira Dilma Rousseff.

Getty Images

A chanceler alemã Angela Merkel afirmou que vai “trabalhar muito” para que a Comissão Europeia “acelere” as negociações de um acordo comercial com o Mercosul, em declarações à imprensa, em Brasília, ao lado da Presidente brasileira Dilma Rousseff.

Merkel realçou que o Mercosul – integrado por Brasil, Argentina, Paraguai, Uruguai e Venezuela -, é heterogéneo, e elogiou Rousseff por Brasília ter assumido um “papel de liderança” no grupo, citada pela imprensa brasileira.

Rousseff afirmou que a Alemanha é um “importante interlocutor” na Europa e que a sua expetativa é a de que as ofertas para o acordo comercial sejam divulgadas até ao fim deste ano.

A chanceler alemã chegou ao Brasil na noite de quarta-feira, tendo participado num jantar com Rousseff.

Hoje de manhã, as duas chefes de Governo mantiveram um encontro a sós, assim como ministros e vice-ministros alemães de 12 áreas diferentes, que integraram a comitiva de Merkel, se encontraram com os seus homólogos brasileiros.

Os dois países assinaram 17 instrumentos de cooperação e diálogo em áreas como inovação nos processos produtivos, pesquisa marinha, bio economia, educação, saúde, defesa e segurança alimentar, segundo o Governo brasileiro.

Também foi adotada uma declaração conjunta sobre mudança do clima e uma declaração de intenções conjunta sobre urbanização.

O encontro inaugurou o mecanismo de Consultas de Alto Nível Brasil-Alemanha, que prevê reuniões presidenciais e ministeriais a cada dois anos para discutir temas da agenda bilateral e global.

Rousseff também apresentou a Merkel o programa de concessões em áreas de infraestruturas, incluindo logística e geração e distribuição de energia elétrica, para estimular o investimento de empresas alemãs.

A Alemanha é o quarto principal parceiro comercial do Brasil no mundo, após a China, Estados Unidos e Argentina e, segundo o portal de notícias G1, Merkel defendeu que os dois países devem adotar acordos de cooperação económica.

O intercâmbio comercial entre os países foi de 20.400 milhões de dólares (18.200 milhões de euros) em 2014.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)