O partido Nova Democracia, liderado por Vangelis Meimarakis desde a saída de Antonis Samaras após o referendo de julho, surgiu numa sondagem divulgada quarta-feira em primeiro lugar nas intenções de voto com vista à eleições de 20 de setembro. A sondagem, feita pela GPO para o canal Mega TV, dá uma margem escassa ao partido conservador, mas não deixa de ser a primeira consulta que aponta para uma derrota de Alexis Tsipras.

De acordo com a sondagem, se as eleições fossem hoje Alexis Tsipras e o seu “renovado” partido Syriza teriam exatamente um quarto dos votos (25%), ao passo que a União Popular – partido fundado pelos deputados que saíram do Syriza, liderados por Panagiotis Lafazanis – não levará mais do que 4% da votação.

Ao contrário do que previu recentemente Lafazanis, a União Popular não conseguirá (segundo a sondagem) chegar ao ambicionado terceiro lugar na votação. Além de ultrapassado pelo Syriza e pelo Nova Democracia (25,3%), este novo partido fica atrás, também, dos 5,5% do partido nacionalista Aurora Dourada, dos 5,3% dos socialistas do Pasok, dos 5,1% do Partido Comunista e, também, dos 4,6% do To Potami, um partido mais centrista liderado pelo ex-jornalista Stavros Theodorakis.

A conclusão principal que se tira dos dados da sondagem é que será um resultado renhido, sem grandes probabilidades de se chegar à maioria absoluta pedida por Alexis Tsipras. Uma outra sondagem, anterior, também dava o Syriza com 26% e o Nova Democracia com 25%, segundo o jornal grego Kathimerini.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Estão a ser preparados para os próximos dias debates televisivos entre os líderes dos partidos. Deverá haver dois debates, um envolvendo os líderes de todos os partidos (possivelmente a 10 de setembro) e um segundo, a 14 de setembro (data não confirmada ainda), que apenas colocará frente a frente Alexis Tsipras e Vangelis Meimarakis.

O Syriza deverá apresentar este domingo as linhas gerais do programa eleitoral, em Salónica.