A investigadora brasileira de literatura Beatriz Berrini, especialista na obra de Eça de Queiroz, morreu na passada quarta-feira, em S. Paulo, no Brasil, anunciou esta quinta-feira a Fundação Eça de Queiroz (FEQ).

Beatriz Berrini era professora de Literatura Portuguesa e Brasileira e de Teoria Literária, na Pontifícia Universidade Católica de S. Paulo, e participou na constituição da Fundação Eça de Queiroz (FEQ) em 1990.

“A Fundação Eça de Queiroz cumpre o doloroso dever de informar que ontem [quarta-feira] perdemos mais uma grande senhora e grande entusiasta da vida e obra de Eça de Queiroz, a distinta académica brasileira Beatriz Berrini”, afirma a instituição em comunicado.

Maria da Graça Salema de Castro, fundadora da FEQ, “manteve ao longo de toda a sua vida uma relação muito especial com a catedrática Beatriz Berrini, que participou no projeto de constituição da Fundação e acompanhou o desenvolvimento de toda a atividade, com especial destaque para a parte cultural, já que integrava o conselho cultural da FEQ”, afirma a fundação.

Beatriz Berrini concluiu o doutorado em Letras pela Universidade de São Paulo em 1982, com a tese “Portugal de Eça de Queiroz”, e é autora de uma extensa obra sobre Eça de Queiroz, publicada em Portugal e no Brasil, nomeadamente “A relíquia: uma nova leitura”, “Eça & Machado – Conferências e textos das mesas redondas do simpósio internacional Eça e Machado”, “Brasil e Portugal: A Geração de 70”, “Eça de Queiroz: Literatura e arte: uma antologia”, “J.M. Eça de Queiroz e J.P. de Oliveira Martins: correspondência”, “Comer e beber com Eça de Queiroz” e “A arte de ser pai: cartas inéditas de Eça de Queiroz para os seus filhos”, entre outros títulos.