O conservador Gordon Henderson, membro do parlamento britânico, questionou o secretário de Estado dos Transportes (Robert Goodwill) se o navio Richard Montgomery, que afundou no estuário do rio Tamisa durante a II Guerra Mundial, podia ser um alvo do Estado Islâmico. A resposta do governo do Reino Unido chegou a semana passado: Robert Goodwill garantiu que o barco estava constantemente a ser vigiado pela polícia e, portanto, não representava perigo.

O Clube de Navegação da Ilha de Sheppey, no entanto, insiste que “essa é a mesma resposta que têm dado há 40 anos” e que a estratégia governamental britânica é “inadequada”, conta o Kent Online.

Mas o que pode este barco ter de interessante para os terroristas do Estado Islâmico?

O SS Richard Montgomery era um navio batizado em honra de um general irlandês que lutou na Guerra da Independência dos Estados Unidos. Em 1944, com menos de um ano a cruzar os mares, este navio deixou Inglaterra com destino a França. A bordo tinha 1400 toneladas de munições explosivas, conta a BBC. Mas quando atravessava o estuário do rio Tamisa, SS Richard Montgomery embateu num banco de areia que partiu o casco em dois. O barco acabou por se afundar, nunca tendo sido removido. Nem a embarcação, nem as munições que transportava há mais de 70 anos.

O destino a dar ao barco e à mercadoria que carregava nunca foi acordado. A Autoridade Portuária de Medway, que pertence à Agência Marítima e de Guarda Costeira, protege o local 24 horas por dia: há guardas no local e radares a monitorizar a área. De acordo com Robert Goodwill, o secretário de Estado a quem o deputado britânico se dirigiu, as “incursões, e incidentes com probabilidade de resultar numa incursão são imediatamente reportados à polícia e à Guarda Costeira para que o suporte especializado adequado seja providenciado”, responde ele em resposta escrita ao deputado, conta a Echo News.

O conservador Gordon Henderson realçou ao Kent Online que não acredita que o barco possa de facto estar na mira do Estado Islâmico. Mas, por enquanto, SS Richard Montgomery continua no fundo do estuário do rio Tamisa com 1400 toneladas de explosivos a bordo. E sem planos para ser retirado da água em breve.