Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

A Royal Mail, empresa de correios britânica, entregou no passado dia 23 um postal de Natal que vinha da Alemanha e onde apenas se conseguia ler “Inglaterra” no destinatário do envelope.

O método de entrega foi pouco ortodoxo: o carteiro andou de porta em porta até encontrar o seu destinatário, que era, então, Paul Biggs, cidadão de Gloucester, no sul de Inglaterra. Quando a recebeu, com um atraso de dois dias, mostrou-se surpreendido, mesmo estando à espera de correspondência daquele país e tendo reconhecido o remetente.

Segundo a BBC Brasil, a hipótese mais plausível é que o envelope tenha vindo de Bitburg, cidade alemã onde Paul Biggs tem amigos, e estivesse endereçado ao posto de correio correto. Mas é provável que a correspondência tenha perdido, pelo caminho, a etiqueta com o local exato de destino.

A entrega foi possível porque a etiqueta com o destinatário perdeu-se depois de o postal ter sido encaminhado para o posto de correios correto. Isso permitiu que o carteiro fosse, de porta em porta, perguntar aos moradores se estavam à espera de alguma correspondência da Alemanha. “Talvez, porque tenho amigos lá”, respondeu Biggs.

Um porta-voz da Royal Mail disse que é comum os seus “detetives de endereços” desvendarem casos como este, mas “até para os nossos padrões” este caso foi impressionante, afirmou.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR