O acidente desta quarta-feira na sequência de uma avalanche nos Alpes Franceses, que causou já três mortos, terá sido provocado por “homicídio involuntário” por parte do professor de esqui. A pista em que o grupo se encontrava estava fechada ao público. A notícia é avançada pelo Le Parisien.

O professor “tomou a iniciativa de levar o seu grupo para uma pista fechada”, aponta Jean-Paul Bonnetain, representante da região de l’Isère, onde aconteceu o acidente. Segundo a mesma publicação, nesta sequência, a Procuradoria terá aberto uma investigação por “homicídio involuntário”.

As vítimas mortais são um estudante de 14 anos e um outro aluno, ambos pertencentes ao grupo, e um cidadão ucraniano, avança o mesmo órgão. Há três feridos graves (dois alunos e o professor) e cinco desaparecidos, esclarece a polícia francesa. O professor estava inconsciente e com vários traumatismos e foi transportado para o centro hospitalar de Grenoble, em França. Quando foram encontrados, quatro dos alunos estavam em paragem cardiorrespiratória, precisou a polícia.

O acidente aconteceu por volta das 16 horas. No total, o grupo era composto por 19 estudantes e três professores do Liceu Saint-Exupéry, de Lyon. Os restantes estão “sãos e salvos” e vão seguir de autocarro de volta para o liceu, garante o Le Parisien.

Para o local foram mobilizados três helicópteros, mais de 30 elementos de polícia de montanha e cães de busca. Foram mobilizadas duas equipas de psicólogos: uma para Deux Alpes e outra para a escola de onde é oriundo o grupo.

O presidente francês Hollande já enviou condolências à família e amigos das vítimas:

Há vários dias que as condições para esqui e caminhadas estavam difíceis, devido a fortes nevões. As câmaras de Isère, Sabóia e Alta-Sabóia tinham recomendado aos esquiadores que evitassem andar fora das pistas. Em Deux-Alpes, o risco de avalanche era de nível três numa escala de cinco.

Desde o início deste ano, tinham já morrido quatro pessoas em avalanches nos Alpes Franceses: dois alpinistas lituanos, a 3 de janeiro, em Alta-Sabóia, e um esquiador espanhol e outro checo, a 5 de janeiro, em Sabóia.