Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Um bombista suicida fez-se explodir esta segunda-feira junto à Mesquita do Profeta, em Medina, Arábia Saudita, segunda cidade sagrada do Islão, a seguir a Meca. Pelo menos quatro polícias morreram e quatro civis ficaram feridos. De acordo com relatos da televisão al-Arabiya TV, o explosivo foi detonado no último dia do Ramadão e seguiu-se a dois outros ataques de bombistas suicidas ocorridos esta segunda-feira por todo o país.

Esta segunda-feira é o último dia do Ramadão, sendo que amanhã celebra-se o Eid al-Fitr, feriado muçulmano que assinala o fim do período de jejum. O ataque em Medina tinha como alvo a zona de segurança nos arredores da Mesquita.

Vídeos divulgados nas redes sociais e pela televisão estatal saudita mostram um veículo em chamas naquilo que aparenta ser um parque de estacionamento nas imediações da Mesquita, com pelo menos um corpo deitado no chão.

https://twitter.com/B3zero/status/750018023260426240

Antes, em Qatif, cidade da minoria xiita, também na Arábia Saudita, ocorreu uma outra explosão violenta, que terá tido como alvo uma mesquita xiita. Nos relatos feitos por testemunhas, citados pela Reuters, fala-se de partes de corpos espalhadas pela zona onde ocorreu a explosão. Não há, no entanto, registo de vítimas para além do bombista.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Também na cidade de Jeddah um outro bombista suicida fez-se explodir junto ao edifício do consulado norte-americano.

Não é ainda certo quem esteve por detrás dos ataques mas acredita-se que as três explosões terão sido coordenadas para ocorrerem precisamente no dia em que os sauditas se preparam para quebrar o jejum do Ramadão.