O Sindicato Nacional da Polícia (SINAPOL) indicou esta quinta-feira que vai reunir-se, em 3 de maio, em Bruxelas com um representante da União Europeia para os Negócios Estrangeiros e Política de Segurança para dar conta das dificuldades dos polícias portugueses.

A reunião foi pedida pelo SINAPOL com o objetivo de expor junto de entidades da União Europeia os problemas dos polícias que o Ministério da Administração Interna “não demonstra vontade em solucionar”, refere o sindicato, em comunicado.

Entre os problemas está a progressão nas carreiras, existindo polícias que não sobem de escalão há cerca de 12 anos, disse à agência Lusa o presidente do SINAPOL, Armando Ferreira, adiantando que a PSP tem também como dificuldade a falta de pessoal devido ao número limitado de novas entradas para esta força de segurança. O SINAPOL considera que a maioria dos polícias da PSP “estão desmotivados”. “Na atual conjuntura social que a Europa vive, sobre constantes ameaças, entendemos que é uma política muito errada não apostar nas forças de segurança”, refere ainda o sindicato.

O SINAPOL pediu também uma reunião à Organização Internacional do Trabalho (OIT) para abordar os direitos laborais dos polícias, que “não são reconhecidos aos elementos da PSP”, estando à espera do agendamento do encontro, disse ainda Armado Ferreira.