567kWh poupados com a
i

A opção Dark Mode permite-lhe poupar até 30% de bateria.

Reduza a sua pegada ecológica.
Saiba mais

Sete dias, sete imagens. A evolução do fogo de Pedrógão Grande

Este artigo tem mais de 5 anos

O incêndio de Pedrógão Grande foi a maior tragédia do género de que há memória. 64 pessoas perderam a vida. Veja a evolução do fogo nestas imagens de satélite.

8 fotos

O incêndio de Pedrógão Grande já se encontra em fase de rescaldo e o de Góis deverá ficar dominado este sábado. As chamas deflagraram em Pedrógão Grande e nos concelhos limítrofes no sábado, dia 17 de junho, e pelo caminho fizeram 64 vítimas mortais. Sete dias depois, reunimos as imagens do satélite Worldview, da NASA, que nos mostram o antes e o depois desta tragédia.

As fotografias não deixam dúvidas: a área ardida é gigantesca. Ao todo foram, até esta quinta-feira, 45.039 hectares de floresta, de acordo com um relatório do Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas. O relatório avalia “os cinco grandes incêndios: Pedrógão Grande, Figueiró dos Vinhos, Alvaiázere, Penela e Góis”.

A soma de todos os incêndios já ocorridos em território nacional em 2017 eleva a área ardida para 62.139 hectares. Quer isto dizer que cerca de 73% da área já ardida este ano se concentra em Pedrógão Grande.

A fotogaleria em cima dá conta disto mesmo. Um incêndio de tamanha dimensão que afeta visivelmente os afluentes e o caudal do rio Tejo. Ainda ficam por esclarecer os efeitos ambientais e ecológicos do incêndio de Pedrógão Grande.

Quanto a causas, agora na mesa de debate, o Instituto Português do Mar e Atmosfera (IPMA) garante no relatório de esclarecimento pedido por António Costa que “se vieram a confirmar pelos valores medidos” os “valores previstos com quatro dias de antecedência”. Contudo, o IPMA assume que houve “uma variação” nos valores da humidade relativa – que terão sido um importante fator na propagação das chamas – tal como na variável da velocidade do vento, em que se registaram velocidades superiores às previstas.

O IPMA afirma que em Pedrógão Grande e na região se observaram condições excecionais “que determinaram situações de excecional gravidade”, que provocaram um “downburst“.

Acompanhe o liveblog para novas atualizações.

Pedrógão Grande. Marcelo e Costa querem respostas

editado por Pedro Esteves

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Ofereça este artigo a um amigo

Enquanto assinante, tem para partilhar este mês.

A enviar artigo...

Artigo oferecido com sucesso

Ainda tem para partilhar este mês.

O seu amigo vai receber, nos próximos minutos, um e-mail com uma ligação para ler este artigo gratuitamente.

Ofereça artigos por mês ao ser assinante do Observador

Partilhe os seus artigos preferidos com os seus amigos.
Quem recebe só precisa de iniciar a sessão na conta Observador e poderá ler o artigo, mesmo que não seja assinante.

Este artigo foi-lhe oferecido pelo nosso assinante . Assine o Observador hoje, e tenha acesso ilimitado a todo o nosso conteúdo. Veja aqui as suas opções.

Atingiu o limite de artigos que pode oferecer

Já ofereceu artigos este mês.
A partir de 1 de poderá oferecer mais artigos aos seus amigos.

Aconteceu um erro

Por favor tente mais tarde.

Atenção

Este artigo só pode ser lido por um utilizador registado com o mesmo endereço de email que recebeu esta oferta.
Para conseguir ler o artigo inicie sessão com o endereço de email correto.