O furacão Harvey poderá converter-se no desastre natural com mais custos de sempre na história dos Estados Unidos, de acordo com dados revelados esta quarta-feira pela empresa AccuWeather: 160 mil milhões de dólares, valor semelhante aos furacões Katrina, no ano de 2005, e Sandy, em 2012. E no dia em que Houston voltou a ver os primeiros raios de sol, perduram ainda os vestígios de quem procura proteger os seus familiares e amigos.

“Alguém ajude a minha irmã, por favor! Ela está aí com três miúdos (cinco meses, dois e cinco anos). 2317 17th St. Port Arthur Tx”, escreveu Jaye Nick no Twitter. As respostas foram quase imediatas, com contactos de entidades públicas, partilhas da mensagem, conselhos de quem também está a fugir do flagelo ou apenas a simples solidariedade de quem quer ajudar mas não consegue mais do que isso.

https://twitter.com/JayeNick_/status/902799504717512705

Cinco horas depois, uma actualização: “Ela e a família foram resgatadas, obrigado família Twitter”. E logo a seguir publicou uma partilha: “2302 12st & Liberty. A minha melhor amiga precisa de ajuda e estão à espera de ajuda desde as 3h da manhã”. E depois foi agradecendo a todos aqueles que perguntavam pela sua irmã e sobrinhos.

A situação vivida pelos residentes de Jefferson County, no Texas, teve situações de completo desespero, como conta o The New York Times. “A nossa cidade está debaixo de água”, assumia o presidente da Câmara de Port Arthur, Derrick Freeman.

A situação vivida pelos residentes de Jefferson County, no Texas, teve situações de completo desespero. Os pedidos via Twitter, sobretudo para solicitar ajuda para crianças e idosos, foram de tal ordem que a cidade esteve no topo das tendências da rede social na manhã desta quarta-feira.

https://twitter.com/justLPSY/status/902866471700877313

Outro dos exemplos de resgate com sucesso citados pelo The New York Times foi Amber Robinson e os pais, que foram de barco de sua casa até à Memorial Boulevard. Amber, de 27 anos, explicou que sabia do furacão mas não imaginava que a chuva provocasse tantas inundações. A carrinha estacionada na garagem serviu de abrigo entre as 3h e as 10h da manhã, altura em que a família foi retirada para um sítio seguro e abrigado.