Numa altura em que acaba de dar a conhecer o seu relatório trimestral de vendas e rentabilidade a nível mundial, o Grupo PSA demonstra também que, por vezes, não há idade que nos derrube… A certeza surge através da lista composta pelos modelos mais vendidos pelo fabricante francês, em todo o mundo. Com o 2º lugar a ser ocupado não por uma novidade, mas antes por um verdadeiro clássico: o Peugeot 405 (verdade!).

Comercializado na Europa apenas nos 10 primeiros anos de existência, altura em que foi substituído pelo Peugeot 406, o 405 continuou, no entanto, a ser fabricado e comercializado (a bom ritmo) em países como o Chile, Argentina, Indonésia, Tailândia, Egipto, Taiwan.

Hoje em dia, já só é produzido no Irão, onde continua a ocupar os primeiros lugares do ranking dos carros mais vendidos no país, graças à parceria celebrada entre a PSA e o fabricante local Iran Khodro. A linha de montagem iraniana recebe todos os componentes do veículo tipo kit de montagem, tendo então apenas de juntar as peças, género Lego gigante, para construir o carro e, em seguida, vendê-lo.

Quanto ao modelo propriamente dito, trata-se de um produto cujas bases são muito semelhantes ao 405 dos anos 80, nomeadamente em termos de plataforma. Embora a Iran Khodro tenha vindo a actualizá-lo, tanto a nível estético, como técnico.

405 para todos os gostos

Graças a essa “actualização”, existem várias versões do 405 no Irão. Com a liderança, em termos de procura, a pertencer ao Peugeot Pars, uma versão modernizada do 405, com uma estética mais actual, um interior renovado e mais equipamento. Com a oferta, no que diz respeito a motores, a resumir-se a um único bloco, um 1,6 litros de 108 cv de potência, com injecção electrónica multiponto e respeitador da norma de emissões Euro 3. Mas que, no capítulo da segurança, pouco mais tem que ABS e cintos…

Além desta versão de topo, no mercado iraniano vendem-se mais duas variantes do 405, denominadas GLX e SLX. A primeira exibe um aspecto idêntico ao modelo que chegou a vender-se na Europa, ao passo que a segunda beneficia de uma ligeira actualização estética, ainda que de gosto (ligeiramente) duvidoso. Estão ambas à venda apenas com o já velhinho 1.8 XU de quatro cilindros e injecção, a debitar 97 cv e que garante acelerações dos 0 aos 100 km/h em 10 segundos, graças aos 1.100 kg de peso que o conjunto anuncia.

A Iran Khodro produz ainda um outro modelo, denominado Samand, e que pouco mais é que uma berlina de aspecto mais moderno, construída em cima da plataforma do Peugeot 405.

Sempre a crescer… muito

Apesar da redução entretanto realizada no número de variantes, nada abala a performance do velhinho 405 no mercado iraniano. O qual, só este ano, já vendeu 191.514 unidades, ou seja, mais 156,4% que em igual período do ano passado.

Graças ao levantamento parcial das sanções económicas e à recuperação da pujança comercial do país, as vendas de veículos novos têm registado um forte impulso, com o 405 a beneficiar desta situação. Assume o 2º lugar do ranking dos automóveis mais vendidos, logo atrás de um outro Peugeot, o moderno 208, e bem à frente da novidade chamada Citroën C3, que completa agora o seu primeiro ano de vendas no país.

Mas se a performance comercial do 405 é inigualável, também vale a pena referir o desempenho do Peugeot 206, modelo também fabricado e comercializado no mercado iraniano. Que, só este ano, registou um crescimento nas vendas na ordem dos 188%, para as 128.512 unidades. Números finais que, ainda assim, não conseguem ultrapassar as prestações arrasadoras de um 405 que, embora já com idade avançada, promete continuar aí para as curvas…