Tinta-da-China publica primeira edição do "Fausto" de Fernando Pessoa em 30 anos

Trinta anos depois, o "Fausto" de Fernando Pessoa vai ter uma nova edição, a primeira com aparato crítico. Da responsabilidade de Carlos Pittella, o livro chega às livrarias este mês de abril.

i

Quando morreu, Fernando Pessoa deixou inúmeras obras inacabadas. "Fausto" foi uma delas

DR

Quando morreu, Fernando Pessoa deixou inúmeras obras inacabadas. "Fausto" foi uma delas

DR

A Tinta-da-China vai publicar, neste mês de abril, uma nova edição de Fausto, de Fernando Pessoa. A obra, inacabada, foi editada pela última vez em 1988 por Teresa Sobral Cunha, com prefácio de Eduardo Lourenço. Esta será, portanto, a primeira edição nova em 30 anos.

Da responsabilidade de Carlos Pittella (co-autor de Como Fernando Pessoa pode mudar a sua vida), esta nova edição de Fausto será também a primeira a ter aparato crítico. “A obra ressurge enquanto ‘novo’ livro de poemas sobre a busca incessante do conhecimento e seus abismos”, ao mesmo tempo que “liberta o Fausto da pretensão de uma unidade não atingida”, refere a editora.

A obra, uma das muitas que Fernando Pessoa deixou inacabada, que faz parte da coleção “Pessoa” da editora, dirigida por Jerónimo Pizarro. Chega às livrarias no início deste mês de abril.

Recomendamos

Populares

Últimas

A página está a demorar muito tempo.