Rádio Observador

PS

Carlos César: “Tenho tanto receio em falar de Luís Filipe Vieira como de Ana Gomes: nenhum”

898

Carlos César diz que Ana Gomes não assume responsabilidades pelo que diz e tem "o hábito de insultar quem não lhe faz a corte". César acrescenta que a socialista não tem direito de falar do partido.

MIGUEL A. LOPES/LUSA

Continua acesa a “discussão” entre o presidente do PS, Carlos César, e a antiga eurodeputada Ana Gomes. Desta vez, Carlos César respondeu a um tweet que a militante publicou no domingo onde acusa o presidente de fechar os olhos em casos de corrupção no futebol. Em declarações ao Diário de Notícias, Carlos César diz que a socialista tem “o hábito de insultar quem não lhe faz a corte”.

O presidente do PS acusa ainda Ana Gomes de não ser capaz de assumir as responsabilidades pelas acusações que faz. “Importa, todavia, não imputar nem insinuar a prática de tais comportamentos a pessoas ou entidades em relação às quais não tenhamos provas ou não sejamos capazes de assumir as responsabilidades do que dizemos”, afirma Carlos César ao mesmo jornal.

No Twitter, a ex-eurodeputada falou em “máfias”, acusou César de “fechar os olhos” e citou um relatório que denuncia um esquema de corrupção no futebol português.

No que me toca, neste caso específico, como em qualquer outro, tenho tanto receio em falar de Luís Filipe Vieira como de Ana Gomes. Ou seja, nenhum”, afirma o socialista.

Carlos César diz também que Ana Gomes tinha direito a falar em nome do partido quando era “assalariada do aparelho”, mas “agora não”. 

A polémica entre o presidente do Partido Socialista e Ana Gomes começou quando a socialista insinuou no Twitter que a transferência de João Félix do Benfica para o Atlético de Madrid pode ter sido um “negócio de lavandaria”. O clube da Luz ameaçou, na altura, colocar um processo judicial à antiga eurodeputada. Entretanto, o Benfica pediu também a Carlos César para esclarecer se o PS concordava ou não com a posição de Ana Gomes.

Carlos César respondeu então, afirmado que as declarações de Ana Gomes “refletem apenas uma posição própria e pessoal que não vincula o Partido Socialista”.

Já na sexta-feira, Ana Gomes “voltou à carga” e escreveu no Twitter: “Não represento o PS e o que digo e escrevo só me vincula. Sendo socialista, e não apparatchick, não abdico de usar à minha cabeça… Já César, usa o que pode face a Vieira: a César, o que é de César. E viva o Partido Socialista”.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)