(artigo corrigido com evolução das intenções de voto no Bloco de Esquerda)

O PSD de Rui Rio ganhou quase cinco pontos percentuais nas intenções de voto, a poucos dias das eleições legislativas, e supera os 25% — deixando o PS mais longe do objetivo da maioria absoluta. Os socialistas perderam um ponto percentual, para 37,4%, segundo a sondagem da Aximage divulgada esta sexta-feira pelo Jornal Económico.

Esta é uma sondagem realizada entre os dias 21 e 25 de setembro, duas semanas depois do estudo de opinião anterior. Entre um momento e outro, o PS caiu de 38,4% para 37,4%, uma descida de um ponto percentual que é simétrica ao terreno ganho pelo Bloco de Esquerda (que sobe para 11%). Além de PS, também o partido Pessoas-Animais-Natureza desce nas intenções de voto — o PAN é o que mais desce, perdendo 1,3 pontos para os 3,6% das intenções de voto.

Com sinal positivo, além da subida de 4,6 pontos percentuais do PSD (para 25,2%), o CDS tem uma subida ligeira, de meio ponto percentual, para 5,1%, e a CDU ganha 1,4 pontos percentuais, para 6,8% (ainda assim, abaixo do mínimo histórico que a coligação comunista teve em 2002, no tempo de Carlos Carvalhas, quando obteve 6,9% dos votos).

Entre os partidos mais pequenos, destaca-se o Livre, liderado por Rui Tavares, com 1,6%. O Chega, de André Ventura, poderá obter 1,5% da votação e o partido Iniciativa Liberal, liderado por Carlos Guimarães Pinto, também poderá ter mais de 1% dos votos: 1,2%, segundo a sondagem.

No que diz respeito aos dois principais partidos, uma outra sondagem — a sondagem diária da Pitagórica, para JN, TSF e TVI — aponta para um cenário um pouco diferente. Segundo este estudo diário, o PS deverá conseguir 38,3% dos votos e o PSD 26,8%. De acordo com esta sondagem, a CDU não vai além dos 5,3%.