A secretária regional dos Transportes e Obras Públicas admitiu esta quarta-feira a reabertura parcial do espaço aéreo em algumas ilhas dos Açores, e o mercado em determinados setores, se “houver condições” sanitárias face à pandemia da Covid-19.

“Não me parece, ponderando os dois valores em questão (sanitário e economia), que haja hesitações em eleger como prioritária a saúde pública. Não se pode fazer qualquer projeção, neste momento, de como será a evolução da crise, nos próximos tempos, mas, havendo condições para se começar a abrir o mercado em determinados setores e em algumas ilhas, naturalmente que essa será a opção”, declarou Ana Cunha.

Os empresários da região têm vindo a reivindicar a abertura parcial do transporte aéreo inter-ilhas, por forma a gerar um mercado turístico interno face à expetável inexistência de turistas do exterior na época alta.

A titular da pasta dos Transportes, que falava esta quarta-feira, em Ponta Delgada, em conferência de imprensa, recordou que em 18 de março, o Conselho do Governo deliberou suspender as ligações aéreas inter-ilhas, praticadas pela SATA Air Açores e também as ligações aéreas da Azores Airlines, para o exterior da região, exceto os voos de transporte de carga ou casos de força maior.

A medida surgiu face “à necessidade de salvaguardar a capacidade da SATA de continuar a oferecer ligações para transporte de carga e para casos de força maior, uma vez que se está a verificar falta de capacidade operacional para dar cumprimento às obrigações de serviço público, nomeadamente ao nível de tripulações suficientes, tendo em conta o cumprimento do período de quarentena” a que estas estão obrigadas.

Desde o início do surto foram confirmados 131 casos de Covid-19 nos Açores, 109 dos quais ativos, tendo ocorrido 15 recuperações (seis na Terceira, quatro em São Miguel, quatro em São Jorge e uma no Pico) e sete mortes (em São Miguel).

Portugal regista 762 mortos associados à Covid-19 em 21.379 casos de infeção, segundo o boletim diário da Direção-Geral da Saúde (DGS) sobre a pandemia. Relativamente ao dia anterior, há mais 27 mortos (+2,5%) e mais 516 casos de infeção (+3,7%).