O número de trabalhadores assalariados com emprego a tempo inteiro, no Reino Unido, caiu em 649.000 pessoas, nos três meses concluídos em junho, permanecendo a taxa de desemprego estável nos 3,9%, indicou esta quinta-feira o Gabinete Nacional de Estatística (ONS).

O número de pessoas que recorreu a auxílios estatais, incluindo os que têm emprego, foi de 2,6 milhões, refere o gabinete de estatística, em comunicado.

Estes dados refletem o impacto que o confinamento teve no mercado de trabalho no Reino Unido, devido à pandemia da Covid-19, mas não são tão negativos quanto os analistas esperavam, uma vez que mais de 9 milhões de pessoas permaneceram confinadas.

De acordo com o ONS, os desempregados não estão a procurar ativamente emprego. “Agora há muito mais pessoas desempregadas que não estão à procura de emprego, como acontecia antes da pandemia”, disse Jonathan Athow, analista do ONS.

Através de ajudas, o governo britânico paga 80% do salário mensal das empresas forçadas a fechar, por causa do novo coronavírus.

Este pacote de ajudas, a que aderiram 9,4 milhões de pessoas no Reino Unido, e que custa ao Estado 30,5 mil milhões de euros, deverá terminar até outubro, o que levará ao aumento do número de desempregados no Reino Unido, nos próximos meses, salientaram os analistas.