O Bloco de Esquerda foi o partido que mais subiu nas intenções de voto do último mês, de acordo com o barómetro da Intercampus para o Jornal de Negócios e o Correio da Manhã, feito entre 6 e 11 de outubro, durante as negociações para o Orçamento do Estado. Na frente, nada de substancialmente novo. O PS recupera uma décima para 37,5%, enquanto o PSD sobe cinco décimas, para 24,8%, com uma distância entre os dois partidos de quase 13 pontos.

O caminho do PS nas intenções de voto tem sido tendencialmente de descida desde junho, quando chegou a ter 40%. Desceu depois para 39% em julho, subiu para 39,6% em agosto, mas voltaria a cair para 37,4% em setembro. Já o PSD volta ao valor de agosto, depois de uma queda de cinco décimas em setembro.

Em terceiro lugar, segue então o partido liderado por Catarina Martins, que está em recuperação desde o mês passado — depois de cair de 10,4% para 8,5% em agosto, subiu para 9,9% em setembro. Consegue agora mais 1,1 pontos percentuais na sondagem de outubro, atingindo 11%.

Bem diferente é o cenário para a CDU, que, neste momento, tem 4,3% das intenções de voto, continuando uma tendência de perda (depois de 5,1% em setembro e 6,1% em agosto).

Sondagem. PS e PSD descem nas intenções de voto para as legislativas. CDS em último

Entre os dois partidos, em quarto lugar, está o Chega, com 7,7% — uma subida face aos 7,4% do mês passado, mas abaixo dos 7,9% de agosto.

Em sexto e sétimo lugar nas intenções de voto, a apenas duas décimas de distância do PCP, estão o PAN (mantém percentagem) e o CDS (que desce duas décimas face a setembro), ambos com 4,1%.

Por fim, a Iniciativa Liberal atinge 2,4%, mais três décimas do que em setembro, mas ainda aquém dos 2,8% alcançados em agosto.