Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

O teste positivo de João Félix, confirmado esta quarta-feira pelo Atl. Madrid, é o mais recente caso de Covid-19 nos colchoneros. O clube espanhol, ainda que sem grandes surtos em simultâneo, tem sido dos emblemas europeus mais afetado pela pandemia desde o início da temporada, com casos recorrentes. Com o avançado português, são agora 12 os jogadores que já estiveram infetados, sendo que o treinador Diego Simeone também testou positivo no início da temporada.

Ora, numa retrospetiva rápida, é preciso recuar ao início de maio do ano passado para encontrar o primeiro jogador infetado no plantel do Atl. Madrid. A preparar o regresso aos treinos, com vista à retoma das competições, os colchoneros realizaram as habituais baterias de testes: Renan Lodi, lateral brasileiro, testou positivo e falhou o recomeço dos trabalhos. Nesses resultados, porém, o grande destaque foi outro. Nove jogadores, cuja identidade nunca foi revelada, revelaram ter anticorpos no organismo. Flash forward para agosto e para a final eight da Liga dos Campeões, disputada em Lisboa, onde o Atl. Madrid foi eliminado pelo RB Leipzig logo nos quartos de final. Correa e Vrsaljko falharam essa partida, também por terem testado positivo.

No início da já tardia pré-temporada, Diego Costa (que já deixou o clube) e Santiago Arias regressaram infetados do curto período de férias que tiveram e também não recomeçaram os treinos em conjunto com o restante plantel. Pouco depois, mesmo à beira do início da nova temporada, Giménez não esteve presente na primeira jornada da liga espanhola por ter juntado um teste positivo a uma lesão muscular. Foi também nesta altura, no início de setembro, que Diego Simeone soube que estava infetado, deixando a equipa sem o técnico argentino durante as primeiras semanas do Campeonato. Em novembro e na sequência de um surto na seleção uruguaia — que também afetou Darwin, avançado do Benfica –, Suárez e Lucas Torreira voltaram infetados da pausa para os compromissos internacionais. Já em dezembro e logo depois de se ter estreado com a camisola do Atl. Madrid, no jogo da primeira ronda da Taça do Rei contra o modesto Cardassar, foi a vez de Grbic testar positivo.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Agora, o caso de João Félix surge na sequência de outros dois que já tinham sido confirmados na semana passada e que já falharam o último jogo, o confronto contra o Cádiz durante o fim de semana: o central Mario Hermoso e o avançado Ferreira-Carrasco. Simeone tem assim quatro baixas para a receção ao Celta Vigo na próxima segunda-feira — Trippier está castigado e também não está disponível –, numa altura em que o Atl. Madrid lidera a classificação com mais 10 pontos do que Barcelona e Real Madrid, segundo e terceiro classificados, e tem ainda dois jogos em atraso.

Barcelona entregou o título a um rival por 15 milhões: Suárez bisa, torna-se melhor marcador e Atl. Madrid reforça liderança

Quanto a João Félix, o clube anunciou que o jogador estava infetado durante a manhã desta quarta-feira, referindo que o português está agora “isolado no domicílio a cumprir estritamente as recomendações das autoridades sanitárias e do protocolo da La Liga”.