A coligação Coimbra é Capital (PDR/MPT) propôs esta segunda-feira quatro programas focados na questão da habitação em Coimbra, dois de arrendamento e dois de compra de casa.

A coligação Coimbra é Capital tem então no seu programa o desejo, caso ganhemos as eleições, de disponibilizar aos conimbricenses um programa de habitação que se irá chamar ‘Coimbra Habita Low Cost'”, disse esta segunda-feira a cabeça de lista ao município de Coimbra, Inês Tafula, que é vice-presidente do Partido Democrático Republicano (PDR).

De acordo com Inês Tafula, outro dos programas é o ‘Coimbra Habita Low Cost Jovem’, destinado também ele ao arrendamento, neste caso arrendamento acessível jovem. “‘Coimbra Habita Low Cost Jovem‘ é um incentivo ao arrendamento jovem”, sublinhou.

Relativamente a quem quer comprar casa, a candidata no seu programa eleitoral propõe dois programas: o “Coimbra Casa Na Hora” e o “Coimbra Casa Na Hora Jovem”.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

“O ‘Coimbra Casa Na Hora’ e ‘Coimbra Casa Na Hora Jovem’ têm a ver com a compra de casa na hora, com o desburocratizar o processo de aquisição de uma casa, com preços muito mais acessíveis. E, por isso mesmo, a coligação Coimbra é Capital vai dispor de dois programas de arrendamento ‘low cost’ e dois programas de casa na hora”, explicou a candidata à agência Lusa.

Este programa denominado por ‘Coimbra Casa Na Hora Jovem’ é destinado à compra de casa por parte dos jovens, de modo a incentivar à fixação desta faixa etária no concelho, nomeadamente com a isenção do Imposto Municipal sobre Transações de Imóveis (IMT), até aos 34 anos.

Tendo em conta que o arrendamento em Coimbra compreende “custos elevados, rendas incomportáveis” e a “inflação do mercado imobiliário dificulta a compra de casa”, a candidata disse que o município deve “reabilitar e construir fogos até em terrenos municipais a contratar por privados, que depois consigam explorar essas rendas, para então criar rendas acessíveis para todos”, sustentou.

A coligação reuniu com a Cooperativa de Habitação Económica do Mondego e constatou que a Câmara Municipal tem “obrigação de apoiar” estes projetos na construção de empreendimentos a custos controlados.

Este apoio materializa-se na desburocratização dos processos, bem como na cedência de terrenos municipais.

“Quanto mais casas eles [cooperativa] conseguirem fazer a custos controlados, mais a concorrência baixará os valores, isso irá possibilitar uma maior adesão e uma maior acessibilidade a preços baixos de compra de casa”, concluiu.

Nas eleições marcadas para dia 26 concorrem à Câmara Municipal de Coimbra o atual presidente, Manuel Machado (PS), José Manuel Silva (Juntos Somos Coimbra – PSD/CDS-PP/Nós, Cidadãos!/PPM/Volt/RIR /Aliança), Gouveia Monteiro (Cidadãos por Coimbra), Miguel Ângelo Marques (Chega), Filipe Reis (PAN), Inês Tafula (Coimbra é Capital – PDR/MPT), Francisco Queirós (CDU) e Tiago Meireles Ribeiro (Iniciativa Liberal).