Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Professor universitário, crítico literário, ensaísta e escritor, Eduardo Lourenço era um dos grandes pensadores do século XX português. Autor de uma vasta obra, focada na literatura portuguesa mas abrangendo muitas outras áreas, ganhou o Prémio Camões, o mais importante galardão de língua portuguesa, em 1996. Em 2011, recebeu o Prémio Pessoa. Morreu esta terça-feira, 1 de dezembro, aos 97 anos.

Nascido em 1923 numa aldeia do concelho de Almeida, na Guarda, concluiu o curso de Ciências Histórico-Filosóficas na Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra a 23 de julho de 1946, com a dissertação O Sentido da Dialéctica no Idealismo Absoluto. Primeira parte. Foi professor nessa mesma faculdade de 1947 a 1953, mudando-se depois para França, onde exerceu vários cargos em diferentes universidades francesas e também alemãs. Publicou o seu primeiro livro, Heterodoxia I, em edição de autor, em 1949, mantendo um ritmo de publicação muito regular a partir dos anos 70.

Este artigo é exclusivo para os nossos assinantes: assine agora e beneficie de leitura ilimitada e outras vantagens. Caso já seja assinante inicie aqui a sua sessão. Se pensa que esta mensagem está em erro, contacte o nosso apoio a cliente.