Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

A recusa de Donald Trump em reconhecer a derrota eleitoral que sofreu no último sábado está a aprofundar a divisão e a discórdia no interior da Casa Branca, do Partido Republicano e da equipa jurídica do ainda Presidente dos Estados Unidos, de acordo com os relatos da imprensa norte-americana. Até agora, entre a generalidade das figuras de topo do partido e da administração tem imperado o silêncio — ou, em alguns casos, as declarações vagas de reconhecimento do direito de Trump a disputar o resultado das eleições em tribunal.

Contudo, as poucas intervenções públicas contam apenas uma parte da história que se está a desenrolar nos bastidores da política norte-americana numa altura em que o Presidente-eleito, Joe Biden, já começou um processo de transição que se antevê turbulento devido ao boicote promovido por Trump. Com o futuro incerto do Partido Republicano, que Trump moldou definitivamente à sua imagem, a maioria dos congressistas, senadores e outras figuras de proa do partido atravessa um momento delicado.

Este artigo é exclusivo para os nossos assinantes: assine agora e beneficie de leitura ilimitada e outras vantagens. Caso já seja assinante inicie aqui a sua sessão. Se pensa que esta mensagem está em erro, contacte o nosso apoio a cliente.