456kWh poupados com o Logótipo da MEO Energia Logótipo da MEO Energia
i

A opção Dark Mode permite-lhe poupar até 30% de bateria.

Reduza a sua pegada ecológica.
Saiba mais

Logótipo da MEO Energia

Adere à Fibra do MEO com a máxima velocidade desde 29.99/mês aqui.

Diogo Prates

Convidado

Artigos publicados

Serviço Nacional de Saúde

Saúde: desafios e soluções

Desafio António Costa de 2022 a fazer melhor que António Costa de 2015 na área da saúde. Convenhamos, não será difícil.
PAN

De inúteis a perigosos

As boas intenções destes partidos esbarram sempre na realidade. No dia em que a proposta do PAN sobre licenças menstruais era discutida, soubemos que a carga fiscal sobre o trabalho subiu para 41,8%.
Estado da Nação

Encarar o futuro de frente

Todos os que nos apelidam de racistas, homofóbicos ou intolerantes devem saber que não terão sucesso. Os líderes de centro-direita devem ter a coragem de colocar de lado o politicamente correcto.
25 de Abril

A revolução que falta fazer

Se no tempo do Estado Novo a emigração era o escape dos que procuravam uma vida melhor, não é menos verdade que continua a ser vergonhosamente elevada, agora até entre jovens muito qualificados.
Estado

O sol de Diógenes

O problema de a TAP ser ou não rentável era um problema dos seus accionistas privados, passou a ser um problema dos contribuintes portugueses após a sua nacionalização pelo governo.
Jovens

Carta a um filho

O diretor da escola é tão importante como a senhora que limpa o que sujaste e a senhora que faz o almoço.
Sanções

O futuro da liberdade

Como no controlo da pandemia, estão a ser tomadas medidas desproporcionais. Banir o ensino da obra de Dostoiévski das Universidades faz tanto sentido como colocar fitas à volta de bancos de jardim.
Política

Cerca sanitária ao PS

Nenhum dos problemas que hoje Portugal enfrenta são da responsabilidade do Chega, mas muitos são da responsabilidade do PS, que governou 18 dos últimos 25 anos.
Crescimento Económico

Uma década perdida

É a noção de futuro que falta à sociedade portuguesa e só isso explica a mais recente maioria absoluta do PS.
Vacinas

Primum non nocere

Na dúvida devemos proteger o doente, poupando-o a drogas ou técnicas das quais temos dúvidas acerca da sua eficácia e que podem causar mais dano que benefício.
Rui Rio

O que fazer com uma vitória?

Rio percebeu que era nos debates quinzenais que os pequenos partidos, IL e Chega, aproveitavam para passar a mensagem e confrontar o governo. Não podia ceder o palco a outros e portanto acabou com ele
Autárquicas 2021

Outro caminho para Almada

Na Iniciativa Liberal não nos resignamos com um concelho pobre, envelhecido e parado no tempo quando temos todas as condições para ser um dos mais desenvolvidos do país.
Pandemia

A brutalidade como o novo normal

Quando se diz respeitar pela Constituição depende do controlo da pandemia diz-se que o Estado pode para fazer o que quer, desde impedir-nos de sair de casa depois das 23h a tirar crianças às suas mães
Política

Causas que importam

O espaço não socialista, se quer ser relevante, tem que ter um programa eleitoral baseado no pragmatismo, na liberdade económica e política, mas sobretudo tem que se focar numa palavra: esperança.
Autárquicas 2021

Os liberais e o distrito de Setúbal

O distrito de Setúbal é hoje o melhor exemplo de como a esquerda retrógrada, míope e inimiga da iniciativa privada foi capaz de submeter um distrito inteiro à pobreza e retrocesso social.
Almada

Almada “illusion district”

Os almadenses riem-se do “innovation district” porque já foram enganados com o “Lisbon South Bay” e a “Cidade da Água”. A realidade é esta: Almada perde população e não é atractiva para o investimento
Pandemia

Síndrome de Estocolmo

Constatamos impávidos que os turistas estrangeiros poderão viajar de norte a sul do país durante a Páscoa, mas achamos normal que os portugueses não possam sair do concelho. 
Saúde

Os liberais e o Serviço Nacional de Saúde

A actual pandemia provou que a saúde deve ser gerida de forma independente e racional, procurando ter no centro da decisão um único factor: o melhor interesse do doente.
Carlos César

E agora o Nuno, a Augusta, o Hugo, o avô do André?

O PS governa desde 2015 e já não temos dúvidas: quando sair do governo, entregará um país mais fragilizado do que aquele que encontrou, um país mais pobre, mais desigual e com menos oportunidades.
Pandemia

Aqui chegados

Talvez os nossos governantes não nos conheçam como julgam conhecer, acreditam que pelo medo nos vencem, julgam que nos atemorizam com restrições de movimentos entre concelhos e com ameaças.
A página está a demorar muito tempo.

Ofereça este artigo a um amigo

Enquanto assinante, tem para partilhar este mês.

A enviar artigo...

Artigo oferecido com sucesso

Ainda tem para partilhar este mês.

O seu amigo vai receber, nos próximos minutos, um e-mail com uma ligação para ler este artigo gratuitamente.

Ofereça artigos por mês ao ser assinante do Observador

Partilhe os seus artigos preferidos com os seus amigos.
Quem recebe só precisa de iniciar a sessão na conta Observador e poderá ler o artigo, mesmo que não seja assinante.

Este artigo foi-lhe oferecido pelo nosso assinante . Assine o Observador hoje, e tenha acesso ilimitado a todo o nosso conteúdo. Veja aqui as suas opções.

Atingiu o limite de artigos que pode oferecer

Já ofereceu artigos este mês.
A partir de 1 de poderá oferecer mais artigos aos seus amigos.

Aconteceu um erro

Por favor tente mais tarde.

Atenção

Este artigo só pode ser lido por um utilizador registado com o mesmo endereço de email que recebeu esta oferta.
Para conseguir ler o artigo inicie sessão com o endereço de email correto.