Começou ontem em Praga, terminando amanhã, a 22ª edição da conferência Forum 2000, uma instituição fundada por Vaclav Havel em 1996. Envolvendo mais de 50 painéis (muitos deles simultâneos) e largas centenas de participantes, sobretudo da Europa e dos EUA, a edição deste ano tem por título “Democracy: In need of a critical update?”.

Trata-se de um ponto de encontro anual de académicos, políticos, jornalistas e empresários, com diferentes sensibilidades políticas, mas que se reconhecem na defesa comum da democracia representativa, da economia de mercado e da aliança transatlântica. Do encontro do ano passado dei aquiconta no Observador. Espero poder voltar a dar conta do encontro deste ano na próxima segunda-feira.

Entretanto, dias antes deste reencontro em Praga, teve lugar no Lago de Como, em Itália, sob os auspícios da Fundação Konrad Adenauer, uma reunião de académicos euro-americanos sobre “Democratic Resilience and Renewal”. Embora de muito menor dimensão do encontro de Praga, também esta reunião congregou sensibilidades políticas diferentes, partilhando a defesa comum da democracia liberal e da aliança euro-americana.

Na bela Villa La Collina, onde Konrad Adenauer costumava passar férias, cerca de 20 participantes partilharam durante dois dias as suas preocupações sobre o estado actual da democracia, sobretudo na Europa e nos EUA, mas também à escala global. Acordámos aplicar as chamadas “Chatham House rules” , segundo as quais os argumentos apresentados na reunião podem ser citados publicamente, mas não atribuídos especificamente a quem os proferiu.

Este artigo é exclusivo para os nossos assinantes: assine agora e beneficie de leitura ilimitada e outras vantagens. Caso já seja assinante inicie aqui a sua sessão. Se pensa que esta mensagem está em erro, contacte o nosso apoio a cliente.