268kWh poupados com o Logótipo da MEO Energia Logótipo da MEO Energia
i

A opção Dark Mode permite-lhe poupar até 30% de bateria.

Reduza a sua pegada ecológica. Saiba mais

Logótipo da MEO Energia

Poupe na sua eletricidade com o MEO Energia. Simule aqui.

Crónica

Crónica

Paisagem: rios e montanhas /premium

A vida na montanha e nos rios tem os seus perigos. Mas às vezes é preciso correr riscos, mesmo imaginários. A felicidade e o risco andam de mãos dadas.
Comportamento

A arte de apanhar o jeito /premium

Estamos todos muito viciados nas nossas inclinações quando, na verdade, a nossa verdadeira inclinação é para a mudança. Ora, só faremos da vida aquilo que quisermos se nos debruçarmos sobre ela.
Reino Unido

A saque

Trocámos a proteína pelos hidratos. Já não nos interessa o que comem, ficamos com o que bebem, partem e destroem, diante da nossa polícia, numa subserviência que não se rebela.
A Sexta Coluna

10 de Junho /premium

Se não é a pertença a uma comunidade na História o que nos une numa humanidade comum, o que propõem então que seja?
Crónica

A Champions League para a Linha Saúde 24 /premium

Após esta polémica em torno da final da Liga dos Campeões a NASA reconfirmou, junto do governo português, o interesse em conseguir amostras de ADN do Ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita
A Sexta Coluna

Salazar visto de fora /premium

Tom Gallagher pega no homem e na obra com a serenidade, o equilíbrio e a distância de que talvez só um estrangeiro seja capaz.
A Sexta Coluna

O lugar de onde se observa /premium

Como a “extrema-direita” não tem isentos cientistas sociais nem estudos para ter observatórios, só podia ser ela o objecto da observação.
Morte

Perdão

3053
De manhã, uma mãe pegou nos filhos, pô-los no carro e levou-os à escola. Voltou para casa, trabalhou, até que, a meio da tarde, percebeu que deixou a filha fechada no carro. Essa mãe podíamos ser nós.
França

Os "golpistas" do costume /premium

Desiludam-se aqueles que querem ver na Carta-manifesto dos generais um novo pioneirismo político francês, que seria, nem mais nem menos, que um golpe e uma ditadura militar em pleno coração da UE.
Crónica

O bom e o mau silêncio /premium

Quando alguém se fecha em copas dentro de si, sofrendo em silêncio, por angústias interiores ou devido a situações traumáticas exteriores, é sinal de alarme.
Crónica

A Música e a Primavera

A música raramente anuncia a sua chegada. Surge apenas e deixa-se ficar pelo tempo que pretende. Tudo aquilo que nós podemos fazer é abrir as janelas e facilitar a sua entrada nas nossas vidas.
A Sexta Coluna

Ventos de Espanha /premium

355
Proclamando uma direita claramente anti-esquerda e sem “cercas sanitárias”, Isabel Ayuso foi a grande vencedora na batalha por Madrid.
A Sexta Coluna

As contas da História no dia da liberdade /premium

100
O Presidente da República deu-se com certeza conta da ofensiva de desconstrução da História e dos níveis de paranóia que atingiu.
Comportamento

A perfeita imperfeição

Podermos integrar as nossas imperfeições e as dos outros, tantas vezes olhadas com ar crítico e desaprovador, pode permitir ver perfeita a imperfeição. É um descanso sermos mais tolerantes e flexíveis
Crónica

Quem não gosta do cheiro a café?

É através do cheiro que o bebé reconhece o cheiro da sua mãe, que identifica o seu peito e o odor do seio que lhe dá leite. Por isto, o olfacto é o sentido mais regressivo do ser humano.
A Sexta Coluna

A bela e nobre tradição de matar fascistas /premium

1213
A grande ameaça à nossa Democracia não é a corrupção, nem o compadrio, nem as injustiças da Justiça, mas os “populistas de extrema-direita”, que arranjam todos os pretextos para manipular o povo.
Vida Sustentável

Como é bom descolar e poder voar

O dia-a-dia pautado por obrigações e afazeres cansa-nos, e em algumas fases de maiores dificuldades, desgasta-nos. Logo, poder desatar esses nós deve ser conseguido de tempos a tempos.
Francisco Louçã

Les Aventures de Louçã Tantã /premium

1032
Não, Estaline nem pensar. Bom, mas mesmo bom, era o Trotsky. O Trotsky é que era de sonho. Com o Trotsky, os amanhã seriam uns autênticos Conans Osíris. Se o Conan Osíris soubesse cantar, como é óbvio
Crónica

Um dia de cada vez  /premium

Se queremos o futuro, que vivamos o presente. De forma a caber nele todo o tempo do mundo! E nunca mais neste registo, entupido por letras minúsculas, de quem vive “um dia de cada vez”. Bom amanhã!
Comunismo

Paraísos soviéticos

1645
Um dia em Cuba a bomba da asma caiu-me da mala. Logo uma mãe recusou o dinheiro em troca da bomba para o filho. Nem toda a escuridão se acaba com o interruptor e há muitas formas de comer criancinhas.
A Sexta Coluna

Das trevas à luz. Com Dante, em Sexta-Feira Santa /premium

Nada de menos neutro do que este mundo além-mundo erguido por Dante – mas nada também de mais próximo e de mais verdadeiramente inclusivo.
Psicologia

Sim, tudo é efémero

Conviver com a angústia do prenúncio de morte é inevitável mas ao mesmo tempo a consciência de tal, pode ser suplantada e ser menos dolorosa se conquistarmos um lugar interior de ancoragem.
Pandemia

Terraplanistas são eles /premium

1490
A “ciência” viu-se apropriada por devotos da virologia de veterinários, da fancaria das TVs e da hipocondria do inquilino de Belém. Isto é, por místicos que não fazem a mínima ideia do que é a ciência
Crónica

“Portugal? Salazar? Que horror!” /premium

Alexandre O’Neill não tinha, como é óbvio, qualquer simpatia pelo regime de Salazar, mas sabia em toda a sua extensão o abismo que o separava de um regime totalitário como o soviético.
Educação

As asas das borboletas e o seu voar  /premium

É estranha a relação dos sábios com a memória. Não citam páginas ou autores de supetão. Não têm a inquietação dos curiosos nem o desassossego dos perguntadores. Mas o olhar vai mais longe e perscruta.
Crónica

Sandra, a guerreira

Hoje voltei a ver a mãe da Sandra. Ela é auxiliar no hospital. Vi-a por lá. Cumprimentei-a com um acenar da cabeça e um “olá”, a que ela respondeu do mesmo modo. Ambos sabemos aquilo que sabemos.
Dia do Pai

O meu pai

O meu pai foi de todos e não foi de ninguém, confundiu-nos também, porque quase que me esquecia, no meu papel de mãe, que ser pai é também não saber ser pai e sair de cena mais cedo do que se esperava
A Sexta Coluna

Jorge Borges de Macedo, o historiador livre /premium

147
Medo foi uma coisa que nunca vi em Jorge Borges de Macedo. Nem medo da confrontação, nem medo de ir contra a corrente, nem esse medo de parecer menos “institucional” e menos “erudito”.
Crónica

Nada, na vida, é fácil /premium

Ao fácil chega-se com trabalho e com inteligência. E com pessoas! Que nos ensinam que a vida se torna complexa e simples, repensando-a. Ao fácil chega-se muito mais depressa se não se “for” sozinho.
Crónica

A vida apanhada de surpresa /premium

“A ordem natural das coisas” já me começou a irritar quando, recentemente, todos acabámos por viver a morte dos mais velhos como uma coisa “natural”. De acordo?...
Crónica

Isto por cá não é o Texas não

A minha equipa, malta com as ditas casas porreiras nas quais andam de t-shirt todo o ano, mandavam fotografias a cozinhar em fogões de acampamento, enrolados em cobertores medonhos
Crónica

Morrer assim /premium

346
Não se passa incólume pelo heroísmo, testemunhá-lo confere pesada responsabilidade. Como perceber que bem vistas as coisas, a santidade está afinal mais vezes do que se pensa, ao alcance da mão.
Crónica

Já não se pode confiar no povo /premium

1218
Sousa Tavares alerta para riscos dos emigrantes que “votam muito mais à direita”. Francisco Ramos a despropósito das vacinas ataca os “11% ou 12%” que votaram Ventura. Já não se pode confiar no povo.
Crónica

Gosto de andar com a cabeça nas nuvens

Quando vivemos realidades difíceis e estamos sucessivamente a ser desafiados a aguentar, a ultrapassar, a remediar, a inovar, poder saltar para um certo lugar de evasão é um bom escape.
Pandemia

A vacinação, a propaganda e o plano inclinado /premium

1151
O país desceu a tais abismos de descaramento que se torna muito difícil distingui-lo de uma rábula de revista. A única diferença é que o público da revista tinha noção das circunstâncias e ria.
Crónica

2021

2021 é um ano para o habitarmos na certeza de que se continuarmos chegaremos ao que lá está para ser visto: à imunidade, à reconstrução das vidas suspensas no medo do contágio e da morte.
Futuro

Previsões pessimistas para 2021   /premium

146
A vantagem do novo ano é sabermos já que é imprevisível. Preparados para o pior será com facilidade que viveremos o melhor. Eis as previsões para 2021 no seu lado negro. À espera que sejam desmentidas
Tradição

O Natal foi este ano triste

O Natal, este ano, foi em casa. Eça de Queirós apressar-se-ia a acrescentar, ironicamente, que “resta a consolação de que os pobres tiveram menos frio”, o que, mais uma vez, não é provável.
Crónica

O presépio da Torre Bela ou o triunfo dos javalis /premium

1157
No Portugal, presépio pagão de renas, luzes e bolas, a carrinha das vacinas foge dos buracos na estrada mas viaja com escolta de aparato e a morte dos javalis choca mais que a dos velhos.
Crónica

Natal

Natal é isto. O renascimento da alma. A possibilidade de se voltar à viagem que não foi feita, de nos perdermos na memória carregada de ficheiros, e reencontrarmos os sabores descobertos na infância.
Crónica

O fascínio por faróis

Perante as dificuldades da vida, saber que há um alguém farol que nos ilumina e orienta, permite-nos navegar com maior segurança e ousadia para nos aventurarmos a enfrentar a força das marés altas.
Crónica

Por favor, não dispare, senhor Mamadou! /premium

281
No caso do PS, com Ventura, temos repúdio-interesse-repúdio, como ficou provado quando precisou do líder do Chega, por breves minutos, para aprovar o OE. Assim que foi aprovado, retomou o enorme nojo.
Pandemia

A morte do senhor juiz

Lá morreu o senhor juiz, do terceiro frente, do prédio dos meus pais, que tinha 97 anos e que, nos últimos meses de vida, não saiu de casa, não viu família nem ninguém, e viveu fechado e cheio de medo
Ocidente

Os tempos de suspeita

Será tentadora a ideia de encontrar culpados fáceis, mas a realidade é sempre mais complexa. Os tempos são de suspeita e ela não se encontra só à Direita, parecem antes sintoma de um momento histórico
A Sexta Coluna

O grande ogre /premium

242
A América está dividida e a culpa não é exclusivamente de Trump. Trump é uma reacção a um processo de mundialização da economia, de crise de valores da civilização, cujas vítimas estão a resistir.
Crónica

A era da mentira

Primeiro foi servidão imposta a golpes de terror. Depois aceite, a seguir voluntária, hoje desejada. São dias de obscurantismo ultra-relativista do tudo igual a tudo, a verdade à mentira, o bem ao mal
A Sexta Coluna

A necropolítica da conveniência: crónica parcial /premium

156
O clima de histeria mediática anti-Trump tem vindo a crescer exponencialmente. Até por cá, parece não haver quem não reivindique o seu lugar ao sol no grande apedrejamento público.
Crónica

Portugal deprimiu a depressão Bárbara /premium

Mesmo apesar das limitações impostas pela pandemia, conseguiu-se que, ao nível do bullying, as escolas continuassem a funcionar normalmente. Bem bom.
Política

A cauda da Europa /premium

A Europa não é sem dúvida uma lagartixa, mas há tantas coisas esquisitas por estas bandas que, em dias mais sombrios, uma pessoa apanha-se a pensar: que Deus me perdoe, mas não será que merecia?
Crónica

Quem, se eu gritar, poderá ouvir-me?

Um acidente muda tudo, submete o corpo aos limites da dor e exige o que nem se sabe ter e se aprende a ir buscar. Mas o amor submete o mundo.
A Sexta Coluna

América contra América /premium

Entre a luta de galos em recinto fechado, está em causa uma confrontação simbólica e ideológica entre concepções do mundo e da América: o nacionalismo popular e identitário; e o globalismo liberal.
Crónica

Diálogo trivial sobre a pandemia 

"O vírus à solta nas ruas a esventrar impiedosamente a humanidade e ela quer beber um copo?", pensou João, enquanto um laivo de cautela lhe percorria a mente.
A Sexta Coluna

Moçambique: Razões duma intervenção internacional /premium

135
De momento, tudo indica que os recursos militares e de segurança nacionais não são suficientes para garantir a retoma e manutenção das áreas afectadas pelo terrorismo jihadista internacional.
A Sexta Coluna

A economia pós-pandémica: riscos e oportunidades /premium

Trata-se de reavaliar e medir complementaridades entre economias e sociedades em campos muito vastos. Angola tem que ressuscitar como a grande economia agro-industrial que foi no tempo colonial.
Crónica

Atirar dinheiro aos patos

421
Um ministro português trata os impostos cobrados com a seriedade de um feirante, o profissionalismo de um canalizador e a constância de uma borboleta.
A Sexta Coluna

Breve memória dos vencidos de 1820 /premium

O facto de, por coerência nos princípios, os miguelistas nunca se terem querido organizar num partido político acabou por não lhes permitir uma intervenção na vida política, sobretudo a partir de 1851
A Sexta Coluna

O pensamento em primeiro lugar /premium

207
Talvez seja tempo de haver espaço para introduzir algumas ideias e pensamento político nos partidos existentes e nos novos, de modo a responderem com coerência aos novos problemas e desafios.
Crónica

Visitar os olhos do poeta Ernesto Melo e Castro

Ernesto Melo e Castro recebeu-me em São Paulo no seu escritório feito de livros, de muitos livros. “Cerca de cinco mil livros. É o meu universo.”
Crónica

Imprevisibilidade

371
Poucas coisas nos tiram tanto a paz e o gozo neste mundo que a infelicidade de ter leis tributárias, maridos ou mulheres, ou governos imprevisíveis ou erráticos — seja por estratégia ou incompetência.
A Sexta Coluna

A Santa Aliança e a excepção portuguesa /premium

Entre a oposição discreta mas firme de Londres, o mal disfarçado incómodo da França e a vontade de D. João VI, fracassaram os projectos da intervenção restauracionista em Portugal da Santa Aliança.
Maioria de Esquerda

Crónica de um país alienado /premium

1274
Os velhos não contam, os doentes que aguardam uma cirurgia urgente também não. Os profissionais de saúde e os bombeiros também não interessam nem preocupam os deputados, nem os governantes.
A Sexta Coluna

1820: A tempestade perfeita /premium

Como as principais revoluções portuguesas que se lhe seguiriam (a de 1910, a de 1926, a de 1974) a revolução de 1820 começou por ser uma revolução de composição mestiça, isto é, uma revolução “contra"
Política

O estado a que isto chegou. Basta abrir os olhos /premium

610
Os velhos morrem. Os pagamentos da segurança social não chegam. As regras da democracia são subvertidas. A oposição passou a colaborar com a situação. O país apodrece à espera dos dinheiros da Europa.
A Sexta Coluna

Da radicalização da América /premium

A decisão a 3 de Novembro vai depender da avaliação da Administração Trump face aos riscos e expectativas de uma América governada, a curto prazo, por Kamala Harris e os seus compagnons de route.
Crónica

A bem da “marca Portugal” /premium

Não, somos os melhores e podemos falar longamente daquilo de que falam os melhores dos outros. E até mais e mais liricamente. O lirismo jornalístico é uma das mais sólidas marcas da “marca Portugal”.
Energia

O futuro não é o hidrogénio, é o Galambogénio /premium

2148
Com Galamba, poderemos sempre contar com o elemento mais abundante do universo, que é a inesgotável prosápia, a renovável jactância, a eterna bazófia do secretário de Estado.
Política

Viagens na Minha Terra

244
Onde estão as vozes liberais, à esquerda e à direita? Não amantes do nosso crony capitalismo, mas de verdadeiros amantes da liberdade de pensamento, de associação, de criação, de educação, de escolha?
Crónica

A beleza das folhas que dançam

Ocupar um lugar de pousio que nos permita refletir sobre nós e as nossas (belas e boas) ligações aproxima-nos da tal completude e ideia de perfeição. Contactar com o belo dá-nos paz.
A Sexta Coluna

Ventos de Espanha /premium

180
O rei Filipe VI tem pela frente a esquerda radical e agressiva do Unidas-Podemos que, ferida pelas próprias confusões e casos do seu líder Pablo Iglesias, se mostra interessada em derrubar a monarquia
Amizade

À amizade que perdura além da existência /premium

103
'Se chegarem ao fim da vossa vida e puderem dizer que têm dois verdadeiros amigos é sinal que foram bem-sucedidos.' Esta frase marcou-me porque expressa que o sucesso é sermos lembrados depois.
Palavras cruzadas

Escócia: Saiam os leões para devorar cristãos!

"Pois imagine que na Escócia tal legislação pode vir a considerar crime a posse do Catecismo e da Bíblia Católica, por considerá-los inflamatórios".
A Sexta Coluna

E se…? /premium

Estes exercícios de “História Alternativa”, normalmente partindo da supressão ou sobrevivência de um grande líder, são úteis e necessários por reporem na nossa lógica a importância do factor humano.
Palavras cruzadas

A Gulbenkian foi atingida por Covid neurológico?

821
O Calouste e o Azeredo Perdigão tremeram nas tumbas:a Gulbenkian abandonou o horizonte lusitano para que foi traçada e enveredou não só pelo global “político” como ainda acrescentou o global “correto”
A Sexta Coluna

O Século de Salazar /premium

931
As antigas oposições, uma vez no poder, acabariam por contribuir para que século XX ficasse como o século de Salazar, servindo-se de um homem morto e de um regime desaparecido para se legitimarem.
União Europeia

Nação solvente, à conta do frugal /premium

363
Tudo o que é empresário com ligações ao PS já começou a esfregar as mãos com tal entusiasmo e vigor, que foram reportados inúmeros casos de metacarpos e falanges com queimaduras de terceiro grau.
Política

Do milagre à pedincha numa semana  /premium

1009
Rui Rio criticou a contratação de Cristina Ferreira pela TVI. Já Centeno no Banco de Portugal não lhe motiva reparos. Costa distribui máscaras em Bruxelas. Em França, as catedrais ardem.
Crónica

Será que esta desorientação total é passageira?

Os impostos estão proibitivos e os custos de energia são abusivos. Olhe: quem é o investidor estrangeiro que neste momento, sem ser corrupto, quer ir para aquele nosso querido rectângulo?
A Sexta Coluna

“A Longa Marcha” de Pequim /premium

Pequim, nestes meses, passou de uma linha de soft power económico-financeiro para uma afirmação mais directa e clara, o que é estranho numa potência que tem primado pelo realismo e pela auto-contenção
Palavras cruzadas

Vigarices lusitanas que nunca acabam na prisão

Cheira-me que a magia negra vai fazer prescrever todo o enredo, com o especialista em filosofia socrático-política a ficar com a casa do seu salgadíssimo amigo lá para as bandas das furnas de Cascais.
A Sexta Coluna

Política e geopolítica na nova ordem mundial /premium

157
Para além da vida doméstica, da política doméstica, das surpresas e tragédias do desconfinamento, multiplicam-se os acontecimentos na vida internacional – na grande e na pequena escala.
Palavras cruzadas

O arcebispo de Canterbury terá de ir ao psiquiatra

As redes anti-sociais (há quem lhes chame redes sociais) tornaram-se num caldo de cultivo onde lavra o primarismo mais aberrante, a ignorância mais absurda, e o ódio mais abjecto.
Crónica

Está tudo igual. Mas pior.

123
Um dia teremos também de explicar como perdemos tantas oportunidades. Como fomos capazes de criar um futuro penhorado. Está tudo igual. Mas pior.
Palavras cruzadas

Nada há como a noite de S. João. Nem a Oktoberfest

Temos de ter cuidado: somos brancos, heterossexuais, com raízes e educação judaico-cristã, prezamos a família, somos partidários da liberdade de expressão. Ou seja, somos um anátema para os activistas
A Sexta Coluna

“A estupidez ao Poder!” /premium

299
Esta gente é perigosamente lunática, não se sabe se por estupidez, se por puro e maldoso fanatismo. Mas podemos para já estar seguros que estas propostas de perfeição e absoluto vão acabar mal.
Crónica

Verão: quando é que a vida deixou de sorrir?  /premium

419
Quando ficámos sem palavras. Sem vergonha. Sem memória. E sem juízo. A vida já não nos sorri. Parece é rir-se de nós.
Palavras cruzadas

Ainda vão pedir a canonização do Centeno ao Papa

Enquanto William se entretem com o golfe e receitas de cozinha, Hans preocupa-se com a ida de Mário Centeno para o Banco de Portugal e com as hesitações dos manda-chuva burocrato-políticos de Bruxelas
Crónica

Dialectos do Alentejo

Alfacinha que eu sou, e por isso sem terra própria, logo me apercebi e estranhei os dialectos próprios desta gente. Dialectos sim, no plural, porque há termos e hábitos diferentes, de terra para terra
Energia Renovável

Energia hidromilionária

162
Está anunciado um mundo verde alimentado a hidrogénio de Sines. Um projecto piloto. Por sete mil milhões de euros. Piloto?! Que projecto piloto atinge este valor? Quantas taxas nas facturas que virão?
A Sexta Coluna

A amálgama /premium

683
Os “liberais” toleraram e toleram tudo desde que não lhes toquem na liberdade económica. Mais e pior: tornaram-se aliados objectivos dos esquerdistas em matéria de costumes e de valores nacionais.
Crónica

Muita memória, pouca história /premium

Como é que o golpe mortal dado no ”racismo sistémico” ao cortar a cabeça de Colombo não produziu ainda o almejado objectivo de nos tornar todos criaturas infinitamente amantes umas das outras?Mistério
Crónica

Entre o Preto e o Branco

Há que prevenir, a todo o custo, o risco de nos tornarmos cada vez mais misólogos e, ganhando aversão aos argumentos, abandonar a reflexão fundamentada, a favor de uma sociedade de extremos.
Crónica

O preconceito

258
Reivindicar os direitos humanos é reivindicar o direito de todo e qualquer um de nós, nas suas diferenças e nas suas especificidades, é aceitar o outro como pedimos para sermos aceites.
Política

E agora como vai ser? /premium

3443
Prometeram-nos liberdade e acabámos mais vigiados que nunca. Prometeram-nos igualdade e acabámos divididos em castas. Prometeram-nos paz e acabámos a viver em guerra connosco mesmos. O cerco fechou-se
Palavras cruzadas

Francamente, não sei onde se vai chegar

Enquanto William segue apaixonado a actualidade até já cancelou a sua subscrição da HBO - o seu único bálsamo foi o nosso 10 de Junho nos Jerónimos -, Hans perde-se a pedalar nos Alpes da Alta Baviera
A Sexta Coluna

O diálogo e o confronto geopolíticos /premium

Ninguém vai querer ter uma rede de fornecedores industriais que envolva 10 ou 20 países; e ninguém vai gostar que a comida que come e os remédios que toma venham de um lugar em que não tenha confiança
Política

A indigestão da intolerância

Poderá existir alguma correlação entre o menor espaço mediático ocupado por vozes críticas da situação política e o crescimento do número de descontentes que são atraídos pelo populismo mais radical.
Crónica

Let me preach to the dead fish

Até então uma representante exemplar dos valores da alta sociedade Democrata nova-iorquina, Amy Cooper passou a representar a lógica contemporânea do crime e castigo pelo cânone politicamente correcto
Crónica

A síndrome da cabana

Comprei cinco litros de gel hidroalcoólico, luvas finas de borracha e habituei-me a um rito obsessional permanente. Andava sempre com um trapo embebido naquele líquido que metia no bolso num saquinho.
Crónica

A fraude

106
Somos demasiado bons actores na farsa do homem feliz, e, ávidos de ficção cedemos à tirania da fraude. Estamos a viver de pão e circo como no tempo de Nero, enquanto a vida passa por nós com desdém.
Palavras cruzadas

Um vinho, um perfume e um banco comuna

Quanto vale um Tinta Francisca, como se conquista uma senhora com um perfume, como se anula uma conta num banco de Hong Kong porque este se submete à ditadura comunista e ainda uma sugestão francesa.
Crónica

O mal

206
É assim que se tratam fobias, que se banaliza o mal. Integrando-o, dando-lhe espaço, justificando-o. Dessensibilizando-nos. Um dia o joelho deixa de ser polícia, o corpo imobilizado deixa de ser Floyd
Douro

Notícias do outro mundo (ou antes deste) /premium

Terão percebido que falei de outro Portugal que não o circunstancial, o do momento, o das actuais “autoridades”, mas sim de outra gente. Amante do risco, praticante do progresso e militante do país.
Governo

Uma eminência parda contra a iminência parva /premium

173
É uma espécie de remodelação, só que em vez de trocar os ministros velhos por ministros novos, Costa guarda-os numa arrecadação e substitui-os a todos por um faz-tudo, António Costa Silva
Coronavírus

O mirabolante mito do regresso à normalidade

Só a dor faz ressuscitar a tão banal, a tão desprezada normalidade, a partir do desejo. Nada será como dantes. Mas nunca coisa alguma pôde ser como de antes. Somos sempre o agora em busca de um depois
Crónica

Cultura: sonho e realidade

102
Nesta fase, o teatro, as artes, a cultura não animam sonhadores e a vida tornou-se fealdade para os que a temperavam de alegria, de entusiasmo, de vocação realizada. E o medo é doença grave, a crescer
Palavras cruzadas

Gente avermelhada que não vê os perigos de Pequim

151
Hans queixa-se a Archibald que lhe parece que em S. Bento fazem de conta que não percebem que os chineses andam a falar com os europeus como uma arrogância como se a UE e os lusitanos fossem lixo.
Crónica

A Ópera já foi Pop, Cristina

705
E penso, ao ver a Cristina de banana na boca e a falar, que estamos outra vez perto de falharmos a renovação do país. Estamos como antes da revolução, impregnados de folclore e Portugal dos Pequeninos
Crónica

As questões que se repetem /premium

Mesmo que em história o peso do discurso sociológico tenha recuado, a verdade é que (para utilizar um conceito ele mesmo sociológico) os seus efeitos perversos se sentem um pouco por todo o lado.
Crónica

Os lenços

A minha professora da primária, Senhora Dona Maria Adelaide, (coitada) gritava zangada da janela que abria do seu rés do chão, sem nos reconhecer graças aos lenços no rosto: - Calem-se, mas calem-se!
Praia

Os mergulhos de final de tarde

Eu passo o ano a pensar nestes mergulhos de fim de tarde, sobretudo durante os dias difíceis, em jornadas chuvosas de inverno, quando o céu vem e vai triste e tudo é pesado.
Palavras cruzadas

Um tiro nos media, uma grande aflição em Bruxelas

Archibald suspeita que as boas massas para alguns media é para afinarem a voz “à moda”, enquanto para Hans o Tribunal Constitucional alemão deu um tiro que atingiu a linha de água de três porta-aviões
Crónica

Homens, por favor leiam isso

1561
Marquem consultas regulares. Bebam menos álcool. Façam exames. Sejam menos ignorantes com a alimentação. Dirijam mais devagar. Façam atividade física. Cuidem do peso. Procurem apoio psicológico.
Crónica

Parque Temático Europa

144
Não somos o parque temático Europa. Não foi para isso que Ulisses voltou para casa, nem eram pegas de cozinha com o eléctrico bordado ILove Portugal que Pénelope fazia e desfazia na espera.
A Sexta Coluna

Considerações sobre a crise petrolífera /premium

Que pode a Geopolítica do petróleo fazer num mundo em que a economia e a geoeconomia ficaram reféns da pandemia e em que as relações internacionais vivem na geometria variável dos interesses?
Alentejo

O nosso Alentejo

Um país solidifica-se sabendo olhar a realidade como forma de projectar o futuro. É isso mesmo que temos de fazer e esta região, a do Alentejo Litoral, vai continuar a dar o exemplo. 
Política

Um gato pode olhar para um rei /premium

PS e PSD quase se confundem por inteiro. Costa apoia Marcelo, Rio apoia Costa. Apoiam-se uns nos outros. Como pode uma pessoa orientar-se assim? As más formas desorientam.
Psicologia

À espera

O desafio é o de transformarmos a espera num tempo mais criativo e não de suspensão das nossas vidas em função do tão esperado. Conseguirmos manter ativos interesses diversos, ocupações necessárias.
Crónica

Já posso ir ao cabeleireiro!

Critica este, incensa aquele, mais isto e aquilo. Mal o percebo, agora com a máscara obrigatória as palavras a perderem-se entre as dobras do tecido. Acorda-me com a pergunta: Quer as patilhas curtas?
Coronavírus

O Humor não é o remédio, é a cura

191
Não acredito que num país senão Portugal isto seria possível. Assim numa noite de Maio, depois de um dia cinzento, os portugueses puseram luzes na janela e celebraram o fim de uma bonita etapa. 
Palavras cruzadas

Saudades dos envelopes, com estampilhas e selos

"...nestes tempos em que tudo é por SMS, WhatsApp, email, tudo tão seco, tão curto e tão mecânico, não sabe a alegria que as suas cartas me dão! Há muitos anos que ninguém me escrevia como você..."
Crónica

Morrer na Praia

517
A riqueza deixa de ser aspiracional: rouba-se a prancha. Destrói-se o iate. Acaba-se com o patronato e reescreve- se o marxismo: onde se lia meios de produção, leia-se meios de veraneio.
A Sexta Coluna

A África Lusófona em tempos de pandemia /premium

Talvez a grande tragédia de África e da África Subsariana não venha tanto do impacto sanitário da Covid 19 mas das consequências económicas da pandemia a nível regional e global.
Crónica

Esta piada deixou de ter graça

Quantos lol vale uma gargalhada? Confesso que desconheço por ignorância. O que lhes podemos desejar é que tenham muitos motivos para sorrir até contorcer a barriga e doerem-lhes os maxilares.
Crónica

O Alienista e o confinamento

163
“O homem inventou o manicómio para os que estão cá fora pensarem que não são loucos”. Razão tinha Amália Rodrigues ao cantar "estranha forma de vida".
Crónica

Queremos mesmo voltar ao normal?

160
Já? Pergunto-me desiludido. Já! – resposta que obtenho quando confronto o ecrã do telemóvel com um olhar frustrado e sonolento. Ou me levanto agora ou assumo que vou chegar atrasado. Levanto-me.
Coronavírus

Fátima não, Futebol talvez, Fado só no Avante! /premium

447
Com Fátima e o Futebol fora de cena, pomos em definitivo para trás das costas a miserável ditadura salazarista e vislumbramos já a desprezível ditadura do proletariado! Uhu!
Crónica

Nós, os cuidadores /premium

190
A realidade dos cuidadores informais a que há que reconhecer uma vivência erosiva, desgastante, angustiante, que eleva os níveis de stress e multiplica as possibilidades de colapso físico e emocional.
Psicologia

Bocas tapadas, olhos vigilantes, as novas máscaras

Hoje, na rua, são as interacções oculares que traduzem estados de simpatia, contentamento, agradecimento, ansiedade, zanga. Os olhos rasgam-se quando sorriem, abrem-se com medo, cerram-se com tristeza
Palavras cruzadas

Uma questão de generosidade e "compassion"

A América tem o Bezos, da Amazon, que pode doar 100 milhões de dólares aos Food Banks, mas Portugal tem a generosidade sem limites dos que sustentam o Banco Alimentar contra a Fome mesmo que com pouco
Crónica

Pão e Bolos

247
Estes somos nós. Aderimos ao Zoom para manter a família e os amigos perto. Reinventámos o trabalho. Recuperámos a tele-escola. Já fizemos pão, já fizemos bolos. Decerto podemos pensar um país.
Crónica

Saudades do Futuro

403
Os parêntesis em que as nossas vidas agora se suspenderam são um puxão de orelhas a relembrar isso mesmo: haverá um género de segunda oportunidade para recomeçar, movidos pelos motores que escolhermos
Língua Portuguesa

A Língua Portuguesa não é só a nossa pátria /premium

É uma língua grande e plástica e plural e aberta como toda a vida que vale a pena ser vivida. Vive nas palavras dos escritores e até nas dos que são um bocado disso tudo ou dos que não são nada disso.
Crónica

As bolachas do meu descontentamento

119
Tomei há poucos dias uma decisão sensata e desliguei a televisão por tempo indeterminado. Bem sei que devia ter pegado num livro. Ao invés tive a infeliz ideia de ligar o computador. Arrependi-me logo
Crónica

O efémero triunfo do “silêncio”

A melodia da vida é musicada por solfejos da brisa ou rajadas do vento, por cantos de pássaros distintos, pelas asas dos sei-lá-quantos insectos, pelo balir das ovelhas, pelo cão que ladra noite fora.
Coronavírus

Pensamentos de um tempo diferente

727
Pode ser horrível e pouco politicamente correcto, mas a verdade é que para a protecção de pessoas acima dos 70 anos estamos a hipotecar o futuro dos seus netos, a pôr em risco as vidas dos seus filhos
Coronavírus

O povo não é sereno: é submisso /premium

2041
António Costa decretou uma série de regras para cumprirmos até se descobrir, segundo ele, uma cura ou uma vacina. É então possível que tenhamos de viver nesta agradável distopia até 2039 ou assim.
Palavras cruzadas

Lenines de cá e d'além mar

Nesta semana os nossos amigos falam do 1º de Maio, da TAP, do presidente da câmara do Porto, do o Arcebispo de Los Angeles mas também do regresso das motas Norton e... da barbeira do Hotel Altis.
A Sexta Coluna

Pai de todos os totalitarismos: 150 anos de Lenine /premium

812
Tinha como qualidades determinantes a manha e a hipocrisia popular russa e uma costela de “despotismo oriental” de Ivan, o Terrível, e de Pedro, o Grande, “os criadores do Estado pelo terror despótico
Crónica

A geração do meu pai

911
Não nos cabe escolher a forma como as gerações mais velhas viverão estes tempos. Cabe-nos, individual e colectivamente, o dever de as proteger, informando-as. Cabe-nos explicar.
Crónica

Conversa de quarentena, tipo Gonçalo M. Tavares

Sabe, meu caro? Fico sempre impressionado quando pessoas de ambientes extremamente agressivos e competitivos contrariam aquilo que a sociedade nos quer fazer pensar – que não há espaço para todos.
Palavras cruzadas

Quando o etanol vale mais do que o whisky

Incapaz de entender o que se passa no Parlamento português, William já sabe que na sua Escócia as destilarias vão fazer etanol, enquanto Hans, que chegou à Califórnia, comenta as incoerências de Trump
Crónica

A Normalidade em Tempos de Exceção

132
Num tempo em que se banalizam vis comportamentos, em que se menospreza todos os que vão minando a democracia, devemos constantemente lembrar-nos que não são apenas os monstros que cometem atrocidades.
A Sexta Coluna

A África em tempos de Covid   /premium

O que é que se vai passar em África e nas regiões tropicais e subtropicais de África? Estarão mais protegidas porque, diz-se, “o coronavírus não gosta do calor”? Vai o impacto ser sobretudo económico?
Crónica

Os Cientistas

Nestes dias de quarentena, emergência, confinamento, a Deus e ao demónio de Riobaldo, acrescento a minha atual terceira matéria de fé. Creio hoje na Ciência como salvação universal.
Crónica

O que vai fazer quando esta guerra acabar?

352
Não espere tirar grandes lições nem alcançar enormes feitos. Não se obrigue a mudar, a ser melhor pessoa, a ter mais paciência, a fazer o que não foi feito. E cuide-se para os dias bons que vão chegar
Crónica

Crónicas de cidades livres e Pátrias desenrascadas

Livre está também a minha cidade. Vi-a outro dia, quando lá fui espairecer. Está livre de nós. Nós que a fizemos para a encher. De ir ali e voltares, mais ou menos a horas, bem, mal ou médio sucedidos
Coronavírus

Eu não aguento muito mais

2145
É imperioso um equilíbrio. Não podemos ficar fechados em casa muito mais tempo. Precisamos de viver. Precisamos de conviver. Precisamos de nos mexer. E precisamos de cuidar de todas as outras doenças.
Crónica

Memórias do Porto, notícias alarmantes da Alemanha

"Eu andava de calça curta, e assisti à corrida do Stirling Moss, empoleirado no muro da casa do Conde de Vizela, em cima da curva do Castelo do Queijo, onde não recordo como consegui entrar".
Coronavírus

Mais sete dias inúteis: o milagre português /premium

3356
O grau de arrogância de Costa, o Benevolente, só encontra exacto equivalente no grau de reverência da populaça. O que é bom: por cá, o enxovalho dispensa a força bruta para se impor.
Coronavírus

A filosofia espontânea dos intelectuais /premium

105
Tal filosofia espontânea, que sobrevive no coração da sua elaborada “sofisticação”, conduz sempre à crítica do capitalismo, aí onde ela não vem de todo a propósito. Será que isto nos deve surpreender?
Coronavírus

Os macaquinhos do chinês /premium

105
Bastou Boris Johnson enaltecer um cidadão lusitano durante quarenta segundos e, num ápice, aos olhos de toda a comunicação social, o político inglês passou de lunático despenteado a egrégio estadista.
Coronavírus

Os dias. E as rosas /premium

Não usem o confinamento como solução, não nos deixem à espera para ganharem o tempo que precisam para saber o que fazer. O confinamento não pode passar de pontual a bóia de salvação. Ou estratagema.
Crónica

Que bom é quando encaixamos na cozinha

Neste tempo de clausura forçada é importante esforçarmo-nos por conter a irritação face a atropelos, tropeções e maneiras diferentes de estar na cozinha, bem como tentar recuperar o prazer de cozinhar
Crónica

Sem arte e sem cultura, não há historia(s)

Confinados ao local onde moramos, os títulos de obras de filmes, espectáculo, livros, e programas de TV e Rádio, serviram tão à medida para descrever o texto da nossa realidade doméstica.
Crónica

Confinamento com finamento /premium

Com o Estado de Emergência e consequente proibição de sair de casa, a única forma de o cônjuge desamparar a loja é falecendo. A pista está no nome: confinamento. Só se tolera, lá está, com finamento.
Coronavírus

Fragilidade do ser

176
A Natureza resistiu à actividade do Homem e entrou em burnout colectivo. O Papa Francisco referiu que estamos frágeis e desorientados mas é necessário remarmos todos juntos. Não nos salvamos sozinhos.
Crónica

A Páscoa de sempre como nunca foi

130
Este ano, a Páscoa de sempre, vai ser uma Páscoa nova. Mais estreita, mais curta, mais solitária. Fica a sala ainda maior, ainda mais vazia, com os lugares de todos, marcados no mesmo sítio.
Crónica

Falar de coisas boas

Também em nós próprios podemos compreender não só o tom dos romances de Jane Austen, como a afirmação de várias das suas principais personagens: “Não há charme igual à ternura do coração”.
Coronavírus

As invisíveis vidas que o coronavírus salvou

601
Há vidas que, por causa do coronavírus, continuarão existindo. Acidentes que não aconteceram, balas perdidas que não encontraram corpos, atropelamentos sem vítimas, homicídios que deixaram de suceder.
Coronavírus

Só eu sei porque fico em casa /premium

974
Farto de ver excertos de 79 séries da Netflix e anúncios para surdos na CMTV, saí à rua para respirar. Cruzei-me com irresponsáveis que não andavam na rua para respirar. Apeteceu-me logo espancá-los.
A página está a demorar muito tempo.