Dark Mode 94,8 kWh poupados com o MEO
i

A opção Dark Mode permite-lhe poupar até 30% de bateria.

Hoje é um bom dia para mudar os seus hábitos. Saiba mais

Crónica

Crónica

Está tudo igual. Mas pior.

123
Um dia teremos também de explicar como perdemos tantas oportunidades. Como fomos capazes de criar um futuro penhorado. Está tudo igual. Mas pior.
Crónica

Verão: quando é que a vida deixou de sorrir?  /premium

419
Quando ficámos sem palavras. Sem vergonha. Sem memória. E sem juízo. A vida já não nos sorri. Parece é rir-se de nós.
Palavras cruzadas

Ainda vão pedir a canonização do Centeno ao Papa

Enquanto William se entretem com o golfe e receitas de cozinha, Hans preocupa-se com a ida de Mário Centeno para o Banco de Portugal e com as hesitações dos manda-chuva burocrato-políticos de Bruxelas
Crónica

Dialectos do Alentejo

Alfacinha que eu sou, e por isso sem terra própria, logo me apercebi e estranhei os dialectos próprios desta gente. Dialectos sim, no plural, porque há termos e hábitos diferentes, de terra para terra
Energia Renovável

Energia hidromilionária

162
Está anunciado um mundo verde alimentado a hidrogénio de Sines. Um projecto piloto. Por sete mil milhões de euros. Piloto?! Que projecto piloto atinge este valor? Quantas taxas nas facturas que virão?
Crónica

Muita memória, pouca história /premium

Como é que o golpe mortal dado no ”racismo sistémico” ao cortar a cabeça de Colombo não produziu ainda o almejado objectivo de nos tornar todos criaturas infinitamente amantes umas das outras?Mistério
Crónica

Entre o Preto e o Branco

Há que prevenir, a todo o custo, o risco de nos tornarmos cada vez mais misólogos e, ganhando aversão aos argumentos, abandonar a reflexão fundamentada, a favor de uma sociedade de extremos.
Crónica

O preconceito

258
Reivindicar os direitos humanos é reivindicar o direito de todo e qualquer um de nós, nas suas diferenças e nas suas especificidades, é aceitar o outro como pedimos para sermos aceites.
Política

E agora como vai ser? /premium

3443
Prometeram-nos liberdade e acabámos mais vigiados que nunca. Prometeram-nos igualdade e acabámos divididos em castas. Prometeram-nos paz e acabámos a viver em guerra connosco mesmos. O cerco fechou-se
Política

A indigestão da intolerância

Poderá existir alguma correlação entre o menor espaço mediático ocupado por vozes críticas da situação política e o crescimento do número de descontentes que são atraídos pelo populismo mais radical.
Crónica

Let me preach to the dead fish

Até então uma representante exemplar dos valores da alta sociedade Democrata nova-iorquina, Amy Cooper passou a representar a lógica contemporânea do crime e castigo pelo cânone politicamente correcto
Crónica

A síndrome da cabana

Comprei cinco litros de gel hidroalcoólico, luvas finas de borracha e habituei-me a um rito obsessional permanente. Andava sempre com um trapo embebido naquele líquido que metia no bolso num saquinho.
Crónica

A fraude

106
Somos demasiado bons actores na farsa do homem feliz, e, ávidos de ficção cedemos à tirania da fraude. Estamos a viver de pão e circo como no tempo de Nero, enquanto a vida passa por nós com desdém.
Palavras cruzadas

Um vinho, um perfume e um banco comuna

Quanto vale um Tinta Francisca, como se conquista uma senhora com um perfume, como se anula uma conta num banco de Hong Kong porque este se submete à ditadura comunista e ainda uma sugestão francesa.
Crónica

O mal

206
É assim que se tratam fobias, que se banaliza o mal. Integrando-o, dando-lhe espaço, justificando-o. Dessensibilizando-nos. Um dia o joelho deixa de ser polícia, o corpo imobilizado deixa de ser Floyd
Douro

Notícias do outro mundo (ou antes deste) /premium

Terão percebido que falei de outro Portugal que não o circunstancial, o do momento, o das actuais “autoridades”, mas sim de outra gente. Amante do risco, praticante do progresso e militante do país.
Governo

Uma eminência parda contra a iminência parva /premium

173
É uma espécie de remodelação, só que em vez de trocar os ministros velhos por ministros novos, Costa guarda-os numa arrecadação e substitui-os a todos por um faz-tudo, António Costa Silva
Coronavírus

O mirabolante mito do regresso à normalidade

Só a dor faz ressuscitar a tão banal, a tão desprezada normalidade, a partir do desejo. Nada será como dantes. Mas nunca coisa alguma pôde ser como de antes. Somos sempre o agora em busca de um depois
Crónica

Cultura: sonho e realidade

102
Nesta fase, o teatro, as artes, a cultura não animam sonhadores e a vida tornou-se fealdade para os que a temperavam de alegria, de entusiasmo, de vocação realizada. E o medo é doença grave, a crescer
Palavras cruzadas

Gente avermelhada que não vê os perigos de Pequim

151
Hans queixa-se a Archibald que lhe parece que em S. Bento fazem de conta que não percebem que os chineses andam a falar com os europeus como uma arrogância como se a UE e os lusitanos fossem lixo.
Crónica

A Ópera já foi Pop, Cristina

705
E penso, ao ver a Cristina de banana na boca e a falar, que estamos outra vez perto de falharmos a renovação do país. Estamos como antes da revolução, impregnados de folclore e Portugal dos Pequeninos
Crónica

As questões que se repetem /premium

Mesmo que em história o peso do discurso sociológico tenha recuado, a verdade é que (para utilizar um conceito ele mesmo sociológico) os seus efeitos perversos se sentem um pouco por todo o lado.
Crónica

Os lenços

A minha professora da primária, Senhora Dona Maria Adelaide, (coitada) gritava zangada da janela que abria do seu rés do chão, sem nos reconhecer graças aos lenços no rosto: - Calem-se, mas calem-se!
Praia

Os mergulhos de final de tarde

Eu passo o ano a pensar nestes mergulhos de fim de tarde, sobretudo durante os dias difíceis, em jornadas chuvosas de inverno, quando o céu vem e vai triste e tudo é pesado.
Palavras cruzadas

Um tiro nos media, uma grande aflição em Bruxelas

Archibald suspeita que as boas massas para alguns media é para afinarem a voz “à moda”, enquanto para Hans o Tribunal Constitucional alemão deu um tiro que atingiu a linha de água de três porta-aviões
Crónica

Homens, por favor leiam isso

1561
Marquem consultas regulares. Bebam menos álcool. Façam exames. Sejam menos ignorantes com a alimentação. Dirijam mais devagar. Façam atividade física. Cuidem do peso. Procurem apoio psicológico.
Crónica

Parque Temático Europa

144
Não somos o parque temático Europa. Não foi para isso que Ulisses voltou para casa, nem eram pegas de cozinha com o eléctrico bordado ILove Portugal que Pénelope fazia e desfazia na espera.
Alentejo

O nosso Alentejo

Um país solidifica-se sabendo olhar a realidade como forma de projectar o futuro. É isso mesmo que temos de fazer e esta região, a do Alentejo Litoral, vai continuar a dar o exemplo. 
Política

Um gato pode olhar para um rei /premium

PS e PSD quase se confundem por inteiro. Costa apoia Marcelo, Rio apoia Costa. Apoiam-se uns nos outros. Como pode uma pessoa orientar-se assim? As más formas desorientam.
Psicologia

À espera

O desafio é o de transformarmos a espera num tempo mais criativo e não de suspensão das nossas vidas em função do tão esperado. Conseguirmos manter ativos interesses diversos, ocupações necessárias.
Crónica

Já posso ir ao cabeleireiro!

Critica este, incensa aquele, mais isto e aquilo. Mal o percebo, agora com a máscara obrigatória as palavras a perderem-se entre as dobras do tecido. Acorda-me com a pergunta: Quer as patilhas curtas?
Coronavírus

O Humor não é o remédio, é a cura

191
Não acredito que num país senão Portugal isto seria possível. Assim numa noite de Maio, depois de um dia cinzento, os portugueses puseram luzes na janela e celebraram o fim de uma bonita etapa. 
Crónica

Morrer na Praia

517
A riqueza deixa de ser aspiracional: rouba-se a prancha. Destrói-se o iate. Acaba-se com o patronato e reescreve- se o marxismo: onde se lia meios de produção, leia-se meios de veraneio.
Crónica

Esta piada deixou de ter graça

Quantos lol vale uma gargalhada? Confesso que desconheço por ignorância. O que lhes podemos desejar é que tenham muitos motivos para sorrir até contorcer a barriga e doerem-lhes os maxilares.
Crónica

O Alienista e o confinamento

163
“O homem inventou o manicómio para os que estão cá fora pensarem que não são loucos”. Razão tinha Amália Rodrigues ao cantar "estranha forma de vida".
Crónica

Queremos mesmo voltar ao normal?

160
Já? Pergunto-me desiludido. Já! – resposta que obtenho quando confronto o ecrã do telemóvel com um olhar frustrado e sonolento. Ou me levanto agora ou assumo que vou chegar atrasado. Levanto-me.
Coronavírus

Fátima não, Futebol talvez, Fado só no Avante! /premium

447
Com Fátima e o Futebol fora de cena, pomos em definitivo para trás das costas a miserável ditadura salazarista e vislumbramos já a desprezível ditadura do proletariado! Uhu!
Crónica

Nós, os cuidadores /premium

190
A realidade dos cuidadores informais a que há que reconhecer uma vivência erosiva, desgastante, angustiante, que eleva os níveis de stress e multiplica as possibilidades de colapso físico e emocional.
Psicologia

Bocas tapadas, olhos vigilantes, as novas máscaras

Hoje, na rua, são as interacções oculares que traduzem estados de simpatia, contentamento, agradecimento, ansiedade, zanga. Os olhos rasgam-se quando sorriem, abrem-se com medo, cerram-se com tristeza
Palavras cruzadas

Uma questão de generosidade e "compassion"

A América tem o Bezos, da Amazon, que pode doar 100 milhões de dólares aos Food Banks, mas Portugal tem a generosidade sem limites dos que sustentam o Banco Alimentar contra a Fome mesmo que com pouco
Crónica

Pão e Bolos

247
Estes somos nós. Aderimos ao Zoom para manter a família e os amigos perto. Reinventámos o trabalho. Recuperámos a tele-escola. Já fizemos pão, já fizemos bolos. Decerto podemos pensar um país.
Crónica

Saudades do Futuro

403
Os parêntesis em que as nossas vidas agora se suspenderam são um puxão de orelhas a relembrar isso mesmo: haverá um género de segunda oportunidade para recomeçar, movidos pelos motores que escolhermos
Crónica

As bolachas do meu descontentamento

119
Tomei há poucos dias uma decisão sensata e desliguei a televisão por tempo indeterminado. Bem sei que devia ter pegado num livro. Ao invés tive a infeliz ideia de ligar o computador. Arrependi-me logo
Crónica

O efémero triunfo do “silêncio”

A melodia da vida é musicada por solfejos da brisa ou rajadas do vento, por cantos de pássaros distintos, pelas asas dos sei-lá-quantos insectos, pelo balir das ovelhas, pelo cão que ladra noite fora.
Coronavírus

Pensamentos de um tempo diferente

727
Pode ser horrível e pouco politicamente correcto, mas a verdade é que para a protecção de pessoas acima dos 70 anos estamos a hipotecar o futuro dos seus netos, a pôr em risco as vidas dos seus filhos
Coronavírus

O povo não é sereno: é submisso /premium

2041
António Costa decretou uma série de regras para cumprirmos até se descobrir, segundo ele, uma cura ou uma vacina. É então possível que tenhamos de viver nesta agradável distopia até 2039 ou assim.
Palavras cruzadas

Lenines de cá e d'além mar

Nesta semana os nossos amigos falam do 1º de Maio, da TAP, do presidente da câmara do Porto, do o Arcebispo de Los Angeles mas também do regresso das motas Norton e... da barbeira do Hotel Altis.
Crónica

A geração do meu pai

911
Não nos cabe escolher a forma como as gerações mais velhas viverão estes tempos. Cabe-nos, individual e colectivamente, o dever de as proteger, informando-as. Cabe-nos explicar.
Crónica

Conversa de quarentena, tipo Gonçalo M. Tavares

Sabe, meu caro? Fico sempre impressionado quando pessoas de ambientes extremamente agressivos e competitivos contrariam aquilo que a sociedade nos quer fazer pensar – que não há espaço para todos.
Palavras cruzadas

Quando o etanol vale mais do que o whisky

Incapaz de entender o que se passa no Parlamento português, William já sabe que na sua Escócia as destilarias vão fazer etanol, enquanto Hans, que chegou à Califórnia, comenta as incoerências de Trump
Crónica

A Normalidade em Tempos de Exceção

132
Num tempo em que se banalizam vis comportamentos, em que se menospreza todos os que vão minando a democracia, devemos constantemente lembrar-nos que não são apenas os monstros que cometem atrocidades.
Crónica

Os Cientistas

Nestes dias de quarentena, emergência, confinamento, a Deus e ao demónio de Riobaldo, acrescento a minha atual terceira matéria de fé. Creio hoje na Ciência como salvação universal.
Crónica

O que vai fazer quando esta guerra acabar?

352
Não espere tirar grandes lições nem alcançar enormes feitos. Não se obrigue a mudar, a ser melhor pessoa, a ter mais paciência, a fazer o que não foi feito. E cuide-se para os dias bons que vão chegar
Crónica

Crónicas de cidades livres e Pátrias desenrascadas

Livre está também a minha cidade. Vi-a outro dia, quando lá fui espairecer. Está livre de nós. Nós que a fizemos para a encher. De ir ali e voltares, mais ou menos a horas, bem, mal ou médio sucedidos
Coronavírus

Eu não aguento muito mais

2145
É imperioso um equilíbrio. Não podemos ficar fechados em casa muito mais tempo. Precisamos de viver. Precisamos de conviver. Precisamos de nos mexer. E precisamos de cuidar de todas as outras doenças.
Crónica

Memórias do Porto, notícias alarmantes da Alemanha

"Eu andava de calça curta, e assisti à corrida do Stirling Moss, empoleirado no muro da casa do Conde de Vizela, em cima da curva do Castelo do Queijo, onde não recordo como consegui entrar".
Coronavírus

Mais sete dias inúteis: o milagre português /premium

3356
O grau de arrogância de Costa, o Benevolente, só encontra exacto equivalente no grau de reverência da populaça. O que é bom: por cá, o enxovalho dispensa a força bruta para se impor.
Coronavírus

A filosofia espontânea dos intelectuais /premium

105
Tal filosofia espontânea, que sobrevive no coração da sua elaborada “sofisticação”, conduz sempre à crítica do capitalismo, aí onde ela não vem de todo a propósito. Será que isto nos deve surpreender?
Coronavírus

Os macaquinhos do chinês /premium

105
Bastou Boris Johnson enaltecer um cidadão lusitano durante quarenta segundos e, num ápice, aos olhos de toda a comunicação social, o político inglês passou de lunático despenteado a egrégio estadista.
Coronavírus

Os dias. E as rosas /premium

Não usem o confinamento como solução, não nos deixem à espera para ganharem o tempo que precisam para saber o que fazer. O confinamento não pode passar de pontual a bóia de salvação. Ou estratagema.
Crónica

Que bom é quando encaixamos na cozinha

Neste tempo de clausura forçada é importante esforçarmo-nos por conter a irritação face a atropelos, tropeções e maneiras diferentes de estar na cozinha, bem como tentar recuperar o prazer de cozinhar
Crónica

Sem arte e sem cultura, não há historia(s)

Confinados ao local onde moramos, os títulos de obras de filmes, espectáculo, livros, e programas de TV e Rádio, serviram tão à medida para descrever o texto da nossa realidade doméstica.
Crónica

Confinamento com finamento /premium

Com o Estado de Emergência e consequente proibição de sair de casa, a única forma de o cônjuge desamparar a loja é falecendo. A pista está no nome: confinamento. Só se tolera, lá está, com finamento.
Coronavírus

Fragilidade do ser

176
A Natureza resistiu à actividade do Homem e entrou em burnout colectivo. O Papa Francisco referiu que estamos frágeis e desorientados mas é necessário remarmos todos juntos. Não nos salvamos sozinhos.
Crónica

A Páscoa de sempre como nunca foi

130
Este ano, a Páscoa de sempre, vai ser uma Páscoa nova. Mais estreita, mais curta, mais solitária. Fica a sala ainda maior, ainda mais vazia, com os lugares de todos, marcados no mesmo sítio.
Crónica

Falar de coisas boas

Também em nós próprios podemos compreender não só o tom dos romances de Jane Austen, como a afirmação de várias das suas principais personagens: “Não há charme igual à ternura do coração”.
Coronavírus

As invisíveis vidas que o coronavírus salvou

601
Há vidas que, por causa do coronavírus, continuarão existindo. Acidentes que não aconteceram, balas perdidas que não encontraram corpos, atropelamentos sem vítimas, homicídios que deixaram de suceder.
Coronavírus

Só eu sei porque fico em casa /premium

974
Farto de ver excertos de 79 séries da Netflix e anúncios para surdos na CMTV, saí à rua para respirar. Cruzei-me com irresponsáveis que não andavam na rua para respirar. Apeteceu-me logo espancá-los.
Coronavírus

Cartas da jaula global em que estamos encerrados /premium

Palavras Cruzadas são as cartas íntimas trocadas entre dois amigos, um escocês a viver no Porto, outro alemão e cirandando pelo mundo. Falam dos dias de hoje e o que nelas não é verdade bem podia ser.
Coronavírus

Quem somos, quem seremos...

São tempos em que estamos a ser postos à prova, em que vamos perceber se as dificuldades nos fazem mais solidários ou se o atual receio de contágio traz ainda mais à tona o nosso egoísmo latente.
Crónica

Vidas de ciclope /premium

Tenho seguido os briefings diários da directora-geral da Saúde e da ministra (ou do secretário de Estado) da Saúde. Como toda a gente, ando perplexo com a evolução da doutrina sobre o uso de máscaras.
Crónica

Memória

A memória pode ser a melhor companhia de doçura para o isolamento tão sofrido de tantos de nós de todas as idades e gerações. É cumplicidade que acompanha, anima, consola em tempo de retiro e reflexão
Coronavírus

A sabedoria dos Antigos

120
A coronacrise obriga-nos a confrontar a autoimagem moderna com resposta para tudo: como justificar que nos tenhamos deixado capturar por um pânico coletivo que transformou todo o nosso estilo de vida?
Coronavírus

Não vá para fora, nem cá dentro /premium

Os portugueses estão a ensandecer por estarem trancados em casa. A prova? Numa sondagem feita no passado fim de semana, o Chega de André Ventura recolheu 8,1% das intenções de voto.
Crónica

Pequenos sinais com importância /premium

Não me ocorre nome nenhum de encenador ou realizador capaz de igualar na ficção a realidade interpretada pelo Papa Francisco, na Praça de S. Pedro. Momento global de profundo, desolado significado.
Crónica

Carta ao meu avô que hoje faz anos

Neste momento, enquanto escrevo estas palavras, estou muito longe dele, mas no reflexo da minha própria janela vejo o verde do jardim e o azul dos olhos do meu avô, o escritor.
Coronavírus

Arrogante geração que achou que controlava o mundo

6087
O vírus veio e, quanto maior a arrogância dos sujeitos, mais categóricas eram as afirmações a seu respeito: escândalo. Bobagem. Drama. É só uma gripe. É só uma coisa temporária. É só. É só.
Coronavírus

Uma carta da Polónia, com orgulho nos portugueses

629
Ter opiniões diferentes é óptimo e vai ajudar-nos muito a sairmos da crise económica que já se está a formar muito rapidamente, mas espalhar notícias falsas é uma traição que ajuda os nossos inimigos.
Coronavírus

Desimportâncias

O sentimento do mundo ou a metamorfose do medo, desimportâncias em tempo de retiro no campo.
Crónica

Uma visão provocatória da identidade portuguesa

111
É este o nosso mal, permanecermos encerrados numa bolha silenciosa que nos inspira a acreditar na fantasia de que em Portugal se produz a melhor comida, os melhores atletas, os melhores escritores...
Justiça

Os dias de incerteza

100
Senti-me seguro. Estamos seguros. A polícia funciona, os tribunais funcionam, as instituições públicas merecem toda a nossa confiança. Que alívio! Como inventei tão horríveis histórias enquanto dormia?
Política

Quem é que se adapta a quem?

215
Quando é que foi a última vez que a Direita colocou um assunto social à discussão com a finalidade de o reformar? Não me recordo: limita-se a correr atrás do prejuízo.
Crónica

Tenho um naperon de crochet e não sei o que fazer

653
Era ponto assente que havia coisas masculinas e coisas femininas. Não me parecia, na minha inocência, que isso fosse problema ou motivo de desconforto para ninguém. Já nada disso existe. Nem naperons.
Sociedade

Os portugueses são burros? Cada um que fale por si

A quem serve o argumento de que os portugueses são criminosos e corruptos? Exatamente! Aos que são, de facto, criminosos e corruptos. Assim naturaliza-se a corrupção e o crime.
Crónica

António Costa tem imensas fantasias /premium

Este ano actualizou-se a tradição do enterro do Entrudo. Assim, um pouco por esse Portugal fora, o Rei do Carnaval morreu à mesma, mas desta vez foi já com recurso à eutanásia.
Crónica

10 crónicas de Vasco Pulido Valente no Observador

450
"As discussões sobre o Orçamento de 2017 deixaram à vista a pobreza e a fragilidade de Portugal", escrevia o cronista em outubro de 2016, na primeira crónica que assinou para o Observador.
Política

Hoje, como antes, no PREC

365
Toda a opinião ou proposta política que não se enquadre nos “cânones progressistas” deve ser eliminada, aplicando-se ao autor, como pena, um qualquer rótulo desqualificador, provocador.
Crónica

Era a continha, por favor

Um croissant misto com pouca manteiga, uma torrada de pão integral com nozes, um pacote de leite Ucal morno e um carioca de limão. Ah, e a continha, por favor.
Politicamente Correto

Sou um "perigo social"

10860
Ser anti-feminista, branca, heterossexual,  anti-marxista, anti-drogas, pró-vida e do povo transforma-me num alvo a "abater". Porquê? Porque faço parte da maioria e hoje as maiorias são para aniquilar
Crónica

O que se descobre no nada

A minha passagem pelo impressionante metro de Pequim trouxe-me à superfície uma daquelas evidências que o constante preenchimento dos tempos modernos empurra para baixo. O valor do nada.
Crónica

Excessos e quase exageros

No fundo é importante que o profissional da saúde sinta o que é ter dor. Levar uns estalos bem assentes nunca fez mal à educação de um patriota. Há lá coisa mais patriótica do que trabalhar no SNS?
A Sexta Coluna

Sinais do tempo /premium

344
O tempo não é de guerra político-partidária. Para as não-esquerdas e para as direitas o tempo é de contra-cultura, de guerra cultural, aquela que sempre prepara o terreno para as grandes tranformações
Cidades

Lisboa é muito isto… ou era!

151
Os turistas não constituem a maior ameaça à autenticidade que ainda se experimenta em muitas zonas de Lisboa. A maior ameaça são aqueles portugueses complexados que não honram a sua tão nobre condição
Política

O meu problema com André Ventura não é o vosso /premium

827
Sempre que vejo ou ouço André Ventura penso num sujeito decente e confiável, alternativa aos desavergonhados bandos que mandam nisto tudo. Mas não se chama André Ventura: chama-se Pedro Passos Coelho.
Crónica

Não falo coisês

16673
Muitas mulheres (a minha) falam com frequência uma língua diferente, o “coisês”. É uma língua especial, misteriosa, e apenas clara para os iniciados. Nós, os homens, os não iniciados, não a percebemos
Crónica

Tributo ao papel /premium

Dez séculos de História que me permiti manusear por entre cartas, documentos, desenhos, notas, cerzidas pelo tempo numa tapeçaria a que vulgarmente chamamos civilização.
Crónica

O som do silêncio /premium

Entendo que cumpri o meu dever cívico e agi de acordo com os ditames exclusivos da minha consciência – contra uma concepção de Estado gigante, que tudo engole e de que muitos dependem.
Política

Democracia portuguesa para pequeninos

Um dia, eventualmente, tornamo-nos como eles: intolerantes. Depois, vocês já sabem... Não é preciso terminar a estória porque a História ensina-nos o fim. 
Crónica

Resignações de Ano Velho /premium

A afirmação de Santos Silva caiu tão mal que vários gestores largaram as suas chibatas, permitindo assim que os lombos dos funcionários descansassem por alguns instantes, só para virem ripostar.
Crónica

O empresário, o sociólogo, o aldrabão: uma análise /premium

499
Augusto Santos Silva está certo. Da mesma forma que não há bons astronautas etíopes, bons pescadores suíços ou bons ananases siberianos, é impossível haver bons empresários portugueses.
Crónica

O casamento do meu melhor amigo /premium

593
Merecem ser muito felizes porque se cada um, sozinho, já fazia a diferença no mundo resgatando os mais frágeis, excluídos, carentes e doentes, juntos vão fazer uma verdadeira revolução.
Crónica

O secular perfume das tascas de Coimbra

423
O “Pintos”, o “Couraça”, o “Garcia”, o malogrado “Pratas”, e outros, são lugares encantadores que permanecerão no imaginário de cada um que os frequentou. “Uma vez para Coimbra, para sempre saudade!”
Stress

Carta aberta aos “desalmados de burnout”

Na gestão de conflitos e sobretudo nas relações interpessoais é que está o segredo e não há que ter medo, siga, descontraia e se for preciso medite, que a meditação é a oração dos honestos.
Crónica

A melancolia da realidade /premium

Não há convite possível á vontade para intervir na vida colectiva se se persistir na pegajosa ficção de que está tudo bem e no disfarce de que Portugal pisa o melhor caminho (para chegar onde?)
Crónica

Já quase ninguém respeita o tempo dos outros!

193
Será mesmo necessário desrespeitarmos os outros ao ponto de coleccionarmos minutos das suas vidas, minutos que acabam por nos ser roubados pois a sociedade cada vez menos respeita o espaço e o tempo do outro?
Crónica

Não só com couve se pagam dívidas

Fui informada das minhas opções: regressar à Rússia onde já tinha gasto a minha única entrada ou ficar ali, onde sobrava uma cadeira, já que um dos senhores soldados dormia estendido em apenas três.
Crónica

A geração instantânea

599
Uma miúda de 23 anos escrever uma crítica sobre a sua geração? Mas a verdade é que se nos sentíssemos confortáveis nela não tínhamos a necessidade de o fazer. Então porque mantemos os comportamentos?
Minorias

Ser ou não ser cigano, eis a questão! /premium

1756
Recomenda-se aos media “evitem, na construção de notícias, a referência a nacionalidade, etnia, religião ou situação documental, sempre que esta não seja um eixo explicativo do essencial da notícia.”
Crónica

“Não percas tempo a chupar limão”

Há quem vingue e considere os fracassos apenas como mais um passo do caminho; e, por outra, há quem se demore na auto-comiseração, que impede que a natureza siga verdadeiramente o seu caminho.
Crónica

Tempos de invernia /premium

Chove, o que torna tudo ainda mais viscoso que é outra forma de dizer inaceitável. Mas são tão poucos os verdadeiramente preocupados com estes tempos de invernia não são?
PS

Afinal PS significa Pepónio Suculento /premium

Este seria o momento ideal para actualizar o famoso slogan lançado em 1995: deixávamos de parte o clássico “Vá para fora cá dentro” e víamos se pegava um mais premente “Vote como lá fora cá dentro”.
Crónica

São os loucos de Lisboa (e do resto do país) /premium

939
Portugal está repleto de imbecis, dos quais os maiores enchem as televisões a dar palpites, e os ligeiros servem de coro nas redes sociais (aparentemente os indivíduos equilibrados vivem no manicómio)
Crónica

O país em que todos querem atirar a primeira pedra /premium

469
Não foi bonito de ver o Portugal moralista que se revelou com o caso do bebé abandonado. Mas é o mesmo Portugal velhaco onde a responsabilidade é sempre dos outros e que tem sempre uma pedra na mão.
Crónica

A história das quatro holandesas

809
Muitos já poderão ter ficado a saber da funesta notícia através dos tabloides internacionais, mas achei por bem transmitir-vos a história verdadeira; clara, transparente, contada pela minha pessoa.
Polémica

Carta aberta a um jovem português

235
Saúdo enfaticamente a tua vontade de fazer por melhorar o nosso país, de ver novas caras no nosso panorama político. Mas fala com pessoas de opiniões diferentes, põe à prova a História que aprendeste.
Crónica

A lesbicazinha afrodescendentezinha da minha tia /premium

642
A minha tia descobriu agora que o sem-abrigo Joaquim não é um dos mais desfavorecidos da sociedade. “O menino sabia que o Joaquim é homem, heterossexual, cis e branco? Faz parte da classe opressora!”
Crónica

“Tínhamos todo o tempo do mundo”

1289
Respirar fundo… Tínhamos toda a liberdade, todo o tempo do mundo e não demos conta, fomos uma geração de sortudos… será que os nossos filhos ainda vão a tempo?
Política

Desabafo a propósito de algumas direitas /premium

440
Para o Estado, e para a lei, não deveria haver senão cidadãos. É absurdo criticar as “identidades” sem compreender a sua trafulhice intrínseca, ou contrapondo quadros “identitários”  similares.
Política

A política da despolitização

A estratégia tem sido a de despolitizar para avançar, para conquistar, para controlar, para manipular. A conveniência de uma sociedade desligada e silenciosa nunca fez tanto sentido como agora.
Crónica

Comunismo 31 - 0 Nazismo /premium

109
Resolução da Parlamento Europeu terminou em empate, aqui trata-se mesmo do número de deputados portugueses que preconizam cada uma destas ideologias congéneres, fontes de tantas e tantas alegrias.
Crónica

A crise dos 30

É preciso contrariar e insistir. Comprometer. Esquecer o desconforto da última vez e chegar à próxima. É que não se-me ocorre outra forma de encher o recipiente que não gota-a-gota.
Crónica

O sonho de Portugal é fingir que é um país /premium

1745
O melhor de Portugal são aqueles instantes em que se esforça por simular a aparência de uma nação a sério e acaba a demonstrar espectacularmente que não passa de um equívoco.
Crónica

Crédulos e desconfiados /premium

114
Tropeça-se constantemente em indivíduos que acreditam que os americanos nunca puseram os pés na Lua tal como em televisões que acreditam que Mário Centeno é um “Ronaldo das finanças”.
Crónica

Profissão: político, cantor e trapezista de circo /premium

Melhor é ficarmos com quem conhecemos, não experimentar pessoas novas (suores frios), não dar ideias a novatos (horror), controlar tudo, não permitir que alguém descambe o belíssimo status quo (credo)
Crónica

O café

265
Quando me farto da minha época, do meu mundo e dos cafés automáticos, espreito para dentro da cafeteira e, havendo ainda café no interior, sirvo-me, bebo-o e encontro-me com a minha mãe, no mundo dela
Crónica

Museológica da batata /premium

Somos um povo com inclinação para a filosofia, com dotes de abstracção tão bons, tão bons, que acabamos por ser mais fortes a discorrer sobre museus imaginários do que a visitar museus reais.
Crónica

O Verão /premium

Quando as coisas “impossíveis” acontecem é como um certificado: sabemos que podem acontecer e por isso, voltar a acontecer. O desconsolo é maior que o consolo.
Política

A rentrée dos artistas /premium

651
O PS oferece-nos os piores serviços públicos de sempre a troco de um crescimento anémico e da maior carga fiscal de todos os tempos. E proclama que este é o melhor dos mundos e assim devemos continuar
Política

A malta da manga do avião e dos tiros nos pés /premium

484
A malta da “manga do avião” antes exaltava José Sócrates. Agora incensa António Costa. Já a malta do “tiro no pé” cumpriu os objectivos: correu com Passos e reduziu a oposição a um papel simbólico.
Crónica

Onde é que há gente no mundo? /premium

Abre-se um jornal ou vê-se uma televisão e só nos deparamos com doses cavalares de virtude a crédito que clama por integral satisfação e danação eterna dos que escapam à sua jurisdição.
Crónica

I love Portugal /premium

2410
Os portugueses lúcidos, coitados, padecem da esperança de que os portugueses restantes acordem para as delícias da liberdade. Sucede que para os simplórios a liberdade não é deliciosa: é uma ameaça.
Crónica

Por cá, na Quinta…

200
Estes prodígios das finanças criticam tudo e todos, direita e esquerda. Nada lhes serve. O que interessa é o que Estado volte a abrir os cordões à bolsa (e nisso os socialistas são bons, sem dúvida).
Crónica

Carta do Di Maria escrita por um médico português

382
Com as devidas adaptações poderia ter sido escrita por um qualquer trabalhador em Portugal ou no mundo inteiro. Por qualquer profissional! Se por um futebolista teria sido lida por milhões de sabichões
Política

The winter is coming

209
Para travar esta frente fria, é necessário que alguém – por favor alguém! – saia do armário e afirme sem medo que quanto maior for a presença do Estado nas relações humanas maior é a corrupção.
Crónica

O que fazer quando se fazem 50 anos /premium

1198
Se o que importa é o que fazemos com os anos, a verdade é que, nestes 50, fiz o que quis, o que pude, o que soube e principalmente o que calhou. Amanhã, faço 50 anos. E depois de amanhã, faço o quê?
Crónica

Cavaco não tem saco para falar do saco /premium

Cavaco sempre foi um homem das contas. Menos das contas relativas ao financiamento da sua campanha para as Eleições Presidenciais de 2011. Dessas não fazia ideia rigorosamente nenhuma, como é óbvio.
Crónica

Cocóspotting /premium

1892
Daniel Nunes, o amigo do filho de António Costa, é um Fiscaliza Fezes. Recebe 1300 euros por mês para fazer cocóspotting. Deve ser, ao dia de hoje, dos Assinala Detritos mais bem pagos do país.
Crónica

A lição e a demolição do prédio Coutinho /premium

1533
O Estado serve para desumanizar os cidadãos. E os cidadãos deveriam servir para abominar o exercício e opor-se-lhe. É evidente que o Estado, que detém a força, acaba por ganhar sempre, ou quase sempre
Crónica

É um pássaro? É um avião? Não, é o Superavit!  /premium

200
É que sempre que Mário “Lex Luthor” Centeno apresenta mais cativações o Coisas A Funcionar Normalmente começa logo com as perninhas a tremer. E em menos de nada já nem papel higiénico há nas escolas.
Crónica

Em Portugal pensa-se pouco Inês Pedrosa /premium

2988
Inês Pedrosa é porteira do 10 de Junho e não vai franquear a subida ao púlpito de alguém que meramente “pensa em Portugal”, nem de quem apenas “pensa sobre Portugal”. Não, exige quem “pensa Portugal".
Crónica

A solidão das rãs 

Nos últimos anos, quando me sento na minha varanda rural olhando para a ribeira e a ponte, ouvindo o coaxar das rãs, fico com a ideia que naquele ambiente já falta vida, falta alegria, falta companhia
Crónica

Ninguém está preparado para ser mãe /premium

5672
Quem aceita que uma mãe, que se sente “Deus na Terra” sempre que aninha o bebé nos braços, está autorizada a estar “farta” e exausta de tanta exigência sobre ombros e ávida de um bocadinho só para si?
Crónica

História extraordinária /premium

Devemos basear as nossas políticas públicas em estudos bem cimentados, com avaliações frequentes, aprendendo da própria experiência e da alheia, e não em utopias, em mitos ou em ideologias caducas.
Crónica

Esta não é uma crónica sobre o prédio Coutinho /premium

1280
Portugal para os portugueses. Nenhum estrangeiro mentalmente equilibrado aguentaria isto mais do que um fim-de-semana. A apatia perante os selvagens que mandam no país não é para todos os paladares.
PS

A culpa é do mexilhão! /premium

316
Sempre que formos bombardeados por uma qualquer intervenção do PS com a a cartilha de Costa, só temos de repetir, contritos, conformados e de cabeça baixa: Por minha culpa. Por minha tão grande culpa!
Novo Acordo Ortográfico

O desacordo. Ortograficamente falando 

291
Linguisticamente muita coisa mudou em Portugal e a principal é que cada um escreve hoje como quer, coisa que antes não sucedia. O Acordo é bem vindo, pois trouxe um cheirinho acrescentado a liberdade.
Serviço Nacional de Saúde

Ó minha senhora, vá parir para outra freguesia!  /premium

2105
Passará a ser proibido ter relações sexuais com intuito de procriação entre os dias 21 de Setembro e 21 de Dezembro. Assim garante-se que as férias dos profissionais das maternidades não maçam ninguém
Serviço Nacional de Saúde

Conversa da obstreta /premium

143
Como é que Costa acha que vão reagir os condutores de ambulâncias quando começarem a ser agredidos por grávidas irritadas, às voltas em Lisboa à procura da urgência que calha estar aberta naquele dia?
Crónica

E se o nosso futebol fosse gerido por comunistas?

1496
Se aplicássemos as ideias comunistas ao futebol português, deixaríamos as boas intenções de ajudar os mais desfavorecidos arruinar a sua competitividade. Porque havemos de as aplicar à nossa economia?
Crónica

Crónicas do Portugalistão /premium

368
Ou a minha comunicação ao futuro congresso em que as esquerdas vão fazer o balanço dos muitos anos de poder socialista em Portugal.
Crónica

Agora percebi a tanga: Guterres viu a água subir  /premium

174
Guterres não deixou o país de tanga por incompetência, antes para que ficássemos equipados com a indumentária certa face à subida do nível da água dos mares por efeito das alterações climáticas.
Crónica

Que fica do que passa? Nada? (E duas notas) /premium

Que foi preciso ir acontecendo de tão sulfúrico no país para ocorrer uma demissão da inteligência, da sensibilidade, da cidadania, da responsabilidade, desta envergadura?
Exames Nacionais

Mensagem sem Pessoa 

667
Sim, o exame teve Pessoa, mais Saramago e Ricardo Reis. Mas não inclui Eça de Queiroz. Crónica de uma aluna enquanto estudava para o exame de hoje de Português do 12º ano. "Valete, fratres".
Crónica

Amorfo da mãe /premium

426
O Governo deve também permitir que, no dia seguinte ao trauma que é abandonar a criança no cárcere escolar, o progenitor vá trabalhar acompanhado pelo seu próprio progenitor. Caso precise de colinho.
Política

Eleições à vista

327
Hoje, com a velocidade da informação, o que releva são as causas, tão voláteis como as opiniões da sociedade civil. O modus operandi da política do séc. XX está morto. A ordem natural está invertida.
Crónica

Portugal, país-slime /premium

1256
Estão a ver aquela massa viscosa com que as crianças se entretêm? O slime, claro. Portugal está a tornar-se num país-slime, onde os valores são moldados a gosto e a responsabilidade não existe.
Crónica

Esta noite pode ser tarde demais /premium

9517
Morreu-nos e todos fomos obrigados a despedir-nos de quem não nos foi dado tempo absolutamente nenhum para despedidas. Parece que ficou tudo por fazer e quase tudo por dizer. Custa muito.
Pais e Filhos

Querido pai /premium

172
O que não faz sentido, neste momento em que a “versão autoritária” do pai e a “versão submissa” da mãe estão em grande mudança, é que um e outro se “rendam” a um novo (pequeno) chefe de família
Crónica

Os amigos /premium

780
Os amigos uns dos outros. Os amigos de Peniche. Os amigos dos animais. Os amigos do alheio. O amigo de todos... Com amigos assim não precisamos de inimigos.
Viagens

Maio em Nova York

Em Nova York sentiu-se o vigor da economia, da abundância e de um progresso imparável. E, na quinta Avenida, a Trump Tower deixada agora ao desinteresse de quem por ali anda, o mau gosto a destacar-se
A página está a demorar muito tempo.