O ministro das Finanças alemão, Wolfgang Schäuble, afirmou que o presidente do Banco Central Europeu (BCE) foi mal interpretado no discurso que fez na sexta-feira, nos Estados Unidos, sugerindo novas medidas de política monetária. “Conheço bem Mario Draghi”, afirmou o ministro em declarações publicadas hoje no jornal regional alemão Passauer Neue Presse, “creio que foi mal interpretado”.

Durante um simpósio de dirigentes de bancos centrais em Jackson Hole, nos Estados Unidos, Draghi afirmou que o BCE “está pronto para ajustar mais” a sua política monetária e manifestou preocupação com a deterioração das perspetivas de inflação a médio prazo na zona euro. As declarações foram interpretadas como um prenúncio de eventuais medidas não convencionais da parte da instituição monetária europeia, seguindo por exemplo o modelo da Reserva Federal (banco central norte-americano) na compra de ativos.

Essa perspetiva animou os mercados nos dois últimos dias e vários observadores assinalaram a mudança de tom do líder do BCE, que reclamou também “uma ação complementar a nível da União Europeia” para estimular o crescimento, com mais margem de manobra a nível de políticas orçamentais.

A Alemanha não tem mostrado entusiasmo com a utilização de fundos públicos para o relançamento económico e insiste na necessidade de reformas. “Precisamos de reformas estruturais na Alemanha e na Europa para reforçar a nossa competitividade”, repetiu Schaüble. Draghi também tinha apontado na sexta-feira a necessidade de reformas estruturais.