O inquérito policial sobre o incêndio que provocou 79 vítimas mortais num torre de apartamentos em Londres concluiu que o incidente teve origem num frigorífico com defeito, segundo um comunicado lançado pelas autoridades. Foi emitido um alerta para os materiais usados no revestimento do edifício e considera-se avançar com acusações de homicídio, pois tanto o isolamento como os painéis usados no prédio falharam os testes de segurança.

Fiona McCormack, detetive superintendente, afirmou que a investigação à origem do incêndio conduziu a um frigorífico, acrecentando que o fogo não foi intencional.

“Os testes preliminares mostraram que as amostras recolhidas da isolação do edifício se inflamaram facilmente quando expostos ao fogo”, disse a superintendente. Acrescentou que a polícia vai ainda investigar como é que os azulejos foram fixados no prédio para avaliar e a instalação foi feita de forma correta. De acordo com Fiona McCormack, a Polícia Metropolitana de Londres admitiu avançar com acusações de homicídio.

O Departamento das Comunidades e de Governo Local estimou que cerca de 600 torres habitacionais por todo o Reino Unido possam ter um revestimento de painéis de alumínio semelhantes.

A detetive reforçou as preocupações do comandante da polícia, Stuart Cundy, sobre a possibilidade de “não encontrar ou identificar todos os que morreram”. Apesar disso, afirmou que a busca das vítimas ainda presentes no interior do edifício continua, num esforço de “tentar entregá-las aos seus entes queridos”.