O atual bispo das Forças Armadas e Segurança, D. Manuel Linda, será o novo bispo do Porto, confirmou o Observador junto de fonte ligada à diocese. A nomeação pelo papa Francisco foi entretanto tornada pública pelo Vaticano.

D. Manuel Linda, de 62 anos, sucede assim a D. António Francisco dos Santos, que faleceu em setembro do ano passado, vítima de um enfarte agudo do miocárdio. Desde então, a diocese tem sido gerida pelos bispos auxiliares, tendo D. António Taipa sido escolhido como administrador diocesano enquanto um novo bispo não era nomeado. O seu nome foi um dos que integrava uma curta lista, divulgada no início do passado mês de janeiro, que esteve em avaliação até agora.

Novo bispo do Porto deverá ser conhecido este mês

O futuro bispo do Porto passou pelo Seminário Menor, em Resende, e depois pelo Seminário Maior, na sede da diocese, em Lamego, assim como o Instituto de Ciências Humanas e Teológicas, no Porto, onde se formou em 1980. Um ano depois, a 10 de junho, foi ordenado padre. Foi ainda professor na Universidade Católica do Porto, mantendo um percurso ligado ao mundo académico.

Enquanto sacerdote na diocese de Vila Real, além de pároco passou também pelo Tribunal Eclesiástico, foi capelão militar, reitor do seminário e vigário episcopal.

Completou os estudos em Roma e em Madrid, onde fez o doutoramento em Teologia, e foi ordenado bispo em 20 de setembro de 2009 na catedral de Vila Real, depois de ter sido nomeado pelo papa Bento XVI bispo auxiliar da arquidiocese de Braga.

Morreu D. António Francisco dos Santos, bispo do Porto, “um homem da tolerância”

Em outubro de 2013, o papa Francisco nomeou-o bispo das Forças Armadas para substituir D. Januário Torgal Ferreira, que resignara por atingir os 75 anos, idade limite para os bispos apresentarem a renúncia ao Papa.

Pedido do papa Francisco era “irrecusável”

Na primeira mensagem aos católicos da diocese do Porto, D. Manuel Linda seguiu a linha de pensamento do papa Francisco e dirigiu-se “aos mais débeis: os pobres, desempregados, doentes, idosos, detidos e quantos perderam os horizontes da esperança”.

No texto, o bispos diz que quer ser “um irmão dos mais pobres e um fomentador do espírito ecuménico e de diálogo”, acrescentando que vai procurar “reconduzir a Igreja a uma tal simplicidade evangélica que a constitua referencial ético para o mundo atual”.

Tocando num outro ponto a que o papa Francisco se refere com frequência, D. Manuel Linda acrescentou um cumprimento às famílias, que são, “sem qualquer dúvida, a célula básica da sociedade e, consequentemente, também da nossa Igreja”.

Numa outra mensagem, deixada à diocese das Forças Armadas e de Segurança, que dirigiu até hoje, explicou que tinha recebido do papa Francisco um “pedido irrecusável”.

“Quer os militares e polícias, quer nós, pessoas da Igreja, sabemos bem o que é obedecer e a força moral de uma «guia de marcha» para onde os nossos superiores entendem que somos necessários”, escreveu o novo bispo do Porto, garantindo que vai sentir “saudade” do trabalho com os militares e os polícias portugueses.

Os bispos auxiliares do Porto, António Taipa, Pio Alves e António Augusto Azevedo, deixaram uma saudação ao novo líder da diocese lembrando que D. Manuel Linda “não é estranho” à diocese do Porto, uma vez que foi lá que “terminou o seu curso teológico”. “Saudamos o seu ‘regresso'”, escreveram os bispos.

D. António Francisco dos Santos morreu em setembro do ano passado, vítima de um ataque cardíaco fulminante. A câmara do Porto decretou três dias de luto (Pedro Correia/Global Imagens)

D. Manuel Linda será o décimo bispo do Porto nos últimos 100 anos, como explica a agência Ecclesia. A diocese do Porto é a mais populosa da Igreja Católica em Portugal e, tradicionalmente, tem sido liderada por um bispo com experiência episcopal noutra diocese — motivo pelo qual não terá sido nenhum dos bispos auxiliares a assumir a liderança da diocese.

Em janeiro já tinha sido conhecida a short list que o Núncio Apostólico (embaixador do Vaticano em Lisboa) tinha enviado para o papa Francisco, e que incluía, além de D. Manuel Linda, D. Virgílio Antunes (bispo de Coimbra e antigo reitor do Santuário de Fátima) e D. António Augusto de Azevedo (bispo auxiliar do Porto).