Rádio Observador

Emirados Árabes Unidos

Papa Francisco termina visita aos Emirados Árabes Unidos com uma missa para mais de 130 mil pessoas

108

Durante a última celebração em Abu Dhabi, o Papa deixou uma mensagem de alegria e desafiou os católicos a fazerem das suas comunidades um oásis de paz.

O Papa parte agora para o Vaticano, mas desde o início do seu pontificado já se deslocou a vários países cuja população é maioritariamente muçulmana

AFP/Getty Images

O Papa Francisco termina nesta terça-feira a visita aos Emirados Árabes Unidos. O Pontífice celebrou nos últimos minutos em Abu Dhabi uma missa para mais de 130 mil pessoas em que desafiou os católicos a fazerem das suas comunidades um oásis de paz.

“É como uma árvore que, mesmo em terra árida diariamente absorve ar poluído e restitui oxigénio. Faço votos que sejais assim, bem enraizados em Jesus e prontos a fazer bem a quem está perto de vós. Que as vossas comunidades sejam oásis de paz”, citou-o a Rádio Renascença.

O Papa Francisco deixou também uma mensagem de alegria e de esperança a todos os crentes: “Se estás com Jesus, se gostas – como os discípulos de então – de escutar a sua palavra, se procuras vivê-la cada dia, és feliz (..)  É viver a alegria desta bem-aventurança, é compreender a vida como uma história de amor: a história do amor fiel de Deus, que nunca nos abandona e quer fazer comunhão connosco sempre. Eis o motivo da nossa alegria, uma alegria que nenhuma pessoa no mundo nem nenhuma circunstância da vida pode tirar-nos”, disse o Papa, segundo o Vatican News.

Francisco ressaltou a dificuldade de viver longe de casa e sentir a ausência das pessoas mais queridas e a incerteza sobre o futuro. “Mas, o Senhor é fiel e não abandona os seus”, assegurou, no palco no centro do estádio Zayed, cuja capacidade estava praticamente completa.

Mais uma vez, durante sua viagem a Abu Dhabi, o Papa recordou São Francisco de Assis, que marcou esta visita, dado que se completam oito séculos que o santo chegou ao Egito para construir pontes com o sultão muçulmano do Malik al-Kamil. “Não entrem em discussões ou disputas: naquela época, enquanto muitos marcharam vestidos com armaduras pesadas, São Francisco lembrou que o cristão está armado apenas com a sua fé humilde e o amor concreto”, disse.

A celebração reuniu a comunidade católica local, constituída em grande parte por imigrantes de várias partes do mundo, nomeadamente da Índia e das Filipinas. Desde o início do seu pontificado já se deslocou a vários países cuja população é maioritariamente muçulmana, como o Egito, o Azerbaijão, o Bangladesh e a Turquia. Em março é esperado em Marrocos.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)