O Papa Francisco aplaudiu este domingo a inesperada reunião entre o Presidente norte-americano, Donald Trump, e o líder norte-coreano, Kim Jong-un, e assegurou que foi “um bom exemplo da cultura do encontro”.

“Nas últimas horas temos assistido na Coreia [do Norte] a um bom exemplo da cultura do encontro. Saúdo os protagonistas com a oração e que este gesto significativo constitua um passo mais no caminho da paz não só na Península (coreana) mas também a favor do mundo inteiro”, disse Francisco, depois da tradicional oração do Ângelus na Praça de São Pedro, no Vaticano.

Apesar de não ter citado Trump ou Kim Jong-un, o Papa Francisco referia-se à reunião entre os presidentes dos Estados Unidos e da Coreia do Norte, que aconteceu esta manhã na zona desmilitarizada na fronteira entre as Coreias e que serviu para reativar as conversações sobre desnuclearização, interrompidas desde fevereiro. O encontro foi histórico porque Trump deu uns passos em território norte-coreano, tornando-se no primeiro presidente dos Estados Unidos a fazê-lo.

Na mensagem de hoje, o Papa argentino, que no mês de julho diminuiu a sua atividade e suspendeu as audiências gerais de quarta-feira, desejou também que “todos os trabalhadores possam ter também durante o verão um período de repouso que os beneficie e às suas famílias”.

Francisco também se referiu à onda de calor que atinge quase toda a Europa, assegurando que reza por todos aqueles “que nestes dias sofreram mais as consequências do calor, como os doentes, os anciãos e os que trabalham ao ar livre nas obras”, e pediu para que nestes dias “ninguém se sinta abandonado ou explorado”.