O Conselho da República de Angola mostrou-se esta quinta-feira favorável ao prolongamento do estado de emergência, devido ao aumento dos riscos de transmissão do novo coronavírus, mas apelou a maior “equilíbrio entre o confinamento social e a situação de fome”.

No comunicado final divulgado após a reunião com o Presidente João Lourenço, o Conselho da República considerou que aumentou o risco de propagação da doença no país, “tendo em conta o surgimento de casos de transmissão local”, e recomendou “a prorrogação do estado de emergência”.

Os conselheiros pediram, no entanto, mais atenção para as dificuldades que as medidas restritivas estão a colocar a muitas famílias, apelando a “uma situação de equilíbrio entre o confinamento social e a fome” e melhoria da capacidade de distribuição de água às populações.

A nível global, segundo um balanço da agência de notícias AFP, a pandemia de Covid-19 já provocou mais de 263 mil mortos e infetou cerca de 3,7 milhões de pessoas em 195 países e territórios. Mais de um 1,1 milhões de doentes foram considerados curados.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

O número de mortos devido à Covid-19 em África ultrapassou esta quinta-feira os dois mil (2.012), com mais de 51 mil casos da doença registados em 53 países, segundo as estatísticas mais recentes sobre a pandemia no continente.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.