A escritora Marieke Lucas Rijneveld recuou e desistiu de traduzir para holandês o poema recitado por Amanda Gorman na cerimónia da tomada de posse do presidente norte-americano Joe Biden. A decisão foi anunciada via rede social Twitter, depois de uma onda de críticas por a editora ter escolhido uma mulher branca para traduzir o trabalho de uma negra.

Segundo o The Guardian, Marieke Lucas Rijneveld — que em 2020 ganhou o International Booker Prize com a obra  The Discomfort of Evening — foi escolhida pela editora Meulenhoff  para traduzir o poema Hill We Climb, o que ela aceitou. No entanto, um artigo de uma jornalista e ativista publicado no jornal Volkskrant, um periódico dos Países Baixos, levantaria a polémica. Nele Janice Deul defendia que o tradutor de um poema destes devia ser como Gorman, “um artista local, jovem, uma mulher assumidamente Negra”.  “Uma escolha incompreensível, do meu ponto de vista e de muitos outros que têm exprimido a sua dor, frustração, raiva e desilusão nas redes sociais”, escreveu.

Amanda Gorman, a poetisa que esteve na tomada de posse de Joe Biden, será a primeira a declamar no Super Bowl

A mensagem chegou a Rijneveld que numa publicação da rede social Twitter decidiu declinar o que já tinha aceitado fazer.

epa08627130 Dutch writer and poet Marieke Lucas Rijneveld poses for a photo in Utrecht, Netherlands, 22 July 2020 (issued 26 August 2020). Marieke Lucas Rijneveld has won the International Booker Prize. She won the prize with the English translation of her book 'De avond is ongemak' (The Discomfort of Evening). EPA/JEROEN JUMELET

Marieke Lucas Rijneveld ganhou, em 2020, o International Booker Prize com a obra  The Discomfort of Evening

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Estou chocada com o tumulto à volta do meu envolvimento na divulgação da mensagem de Amanda Gorman e compreendo que as pessoas se sintam magoadas com a escolha de Meulenhoff por me convidar”, escreveu. “Felizmente, dediquei-me a traduzir o trabalho da Amanda, vendo como o maior desafio manter sua força, tom e estilo. No entanto, percebo que estou em posição de pensar e sentir assim, onde muitos não estão. Desejo que as suas ideias alcancem o maior número de leitores possível e abram os corações”.

A editora Meulenhoff já fez saber que a decisão de renunciar era somente de Rijneveld e que foi a própria Gorman, de 22 anos, que selecionou Marieke, de 29, como uma jovem escritor que também alcançou a fama cedo. Ainda assim Deul respondeu a Marieke via Twitter: “Obrigada por esta decisão”.

International Booker Prize para Marieke Lucas Rijneveld dos Países Baixos