805kWh poupados com a
i

A opção Dark Mode permite-lhe poupar até 30% de bateria.

Reduza a sua pegada ecológica.
Saiba mais

i

JOÃO PORFÍRIO/OBSERVADOR

JOÃO PORFÍRIO/OBSERVADOR

O arroz de choco, as grades de Aguiar-Branco e o elogio às “capacidades únicas” do amigo António. As 20 horas de Roberta Metsola em Lisboa

Em menos de 24 horas em Lisboa, Metsola encontrou-se com quatro protagonistas políticos (Marcelo, Aguiar-Branco, Montenegro e Pedro Nuno) e elogiou um quinto em declarações ao Observador: Costa.

Um arroz de choco, uma viagem de elétrico, um encontro com quatro protagonistas políticos e — em menos de 24 horas em Lisboa — a presidente do Parlamento Europeu ainda elogiou um quinto.

Sobre uma candidatura de António Costa à presidência do Conselho Europeu, Roberta Metsola começou por dizer que essa não é uma decisão que cabe ao Parlamento Europeu, mas acabou por tecer rasgados elogios ao antigo primeiro-ministro: “O que posso dizer é que o António [Costa] é um velho e próximo amigo meu. Conheço-o há muitos anos. Tem capacidades únicas de liderança e humanidade. E essas são habilidades que acredito que podem levar uma pessoa a qualquer lugar.”

A presidente do Parlamento Europeu anda num périplo pelos 27 países da União Europeia numa assumida campanha de apelo ao voto nas próximas eleições europeias: “Estou aqui com um último apelo: que não se esqueçam de votar. O dia 9 de junho determinará o rumo da Europa e de Portugal para os próximos cinco anos.”

Em Portugal pela quarta vez, aterrou em Lisboa, vinda de Bruxelas, ao início da noite desta quinta-feira e seguiu para o seu restaurante de eleição na capital, o Solar dos Presuntos, para comer um dos seus pratos favoritos: arroz de choco. Sexta-feira seria uma dia curto para tantos encontros bilaterais e ainda uma cerimónia de reconhecimento e mérito pelo meio, com a atribuição do título de Honoris Causa pelo Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas, da Universidade de Lisboa.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

O Observador acompanhou os bastidores deste dia da presidente do Parlamento Europeu, andou na sua comitiva e esteve em todos os momentos normalmente fechados à comunicação social.

Metsola para Pedro Nuno Santos: “Ah, aqui está você”

A manhã começou com um encontro com o secretário-geral do PS, Pedro Nuno Santos, na sede do partido, no Largo do Rato, para uma reunião que durou pouco mais de 20 minutos. Pedro Nuno veio à porta da sede receber Metsola e, a caminho do seu gabinete, passaram pela parede onde estão todos os antigos secretários-gerais do PS. “Ah, aqui está você”, apontando Metsola para o último retrato dessa parede: a fotografia de Pedro Nuno Santos.

No fim do encontro, Pedro Nuno Santos e Roberta Metsola passearam pelos jardins do palacete onde trocaram presentes: Pedro Nuno entregou uma escultura de Mário Soares da coleção “Os Figurões” da Bordallo Pinheiro; Metsola entregou uma fotografia de Mário Soares, no Parlamento Europeu a 9 de março de 1977, na altura em que Soares estava em visitas diplomáticas às capitais europeias para obter apoio dos Estados Membros para a adesão de Portugal à CEE.

Chegada de Roberta Metsola e o momento em que reconhece Pedro Nuno Santos na parede dos retratos dos secretários-gerais do PS
JOÃO PORFÍRIO/OBSERVADOR
Antes do início da reunião bilateral, Pedro Nuno Santos mostra os jardins do palacete da sede do PS pela janela
JOÃO PORFÍRIO/OBSERVADOR
Pedro Nuno Santos sai do seu gabinete e Metsola segue-o para uma pequena visita ao Jardim Mário Soares
JOÃO PORFÍRIO/OBSERVADOR
No jardim, com vários jornalistas, Metsola e Pedro Nuno veem a fotografia que a presidente do PE ofereceu ao PS — uma fotografia de Mário Soares
JOÃO PORFÍRIO/OBSERVADOR
Pedro Nuno Santos e Roberta Metsola fazem um pequeno passeio pelos jardins da sede do PS
JOÃO PORFÍRIO/OBSERVADOR

Metsola recebe título Honoris Causa

Os quatro carros da comitiva da presidente do Parlamento Europeu dirigiram-se, então, para Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas da Universidade de Lisboa para a entrega a Metsola do título Honoris Causa. Uma cerimónia que teve casa cheia de políticos no ativo, mas também diplomatas. Estavam presentes representantes de alguns partidos com assento parlamentar, eurodeputados, ministros do atual Governo e Carlos Moedas, presidente da Câmara Municipal de Lisboa. Também Pedro Passos Coelho esteve presente (recorde-se que Passos Coelho deu aulas naquela universidade no ano letivo de 2018/2019), estando sentado na segunda fila, ao lado do embaixador do Irão em Portugal.

Paulo Rangel, um dos ministros presentes, fez questão de, no fim da cerimónia, ir cumprimentar o antigo primeiro-ministro (e autor de várias declarações polémicas nos últimos dias) e Passos disse-lhe: “Agora pessoalmente, muitos parabéns, tenha paciência.” Rangel riu-se e trocou breves palavras com o embaixador do Irão — tema quente também na atualidade, depois de o Irão ter capturado um navio com bandeira portuguesa.

Roberta Metsola com o novo livro de Carlos Moedas
JOÃO PORFÍRIO/OBSERVADOR
A agenda pessoal da presidente do Parlamento Europeu
JOÃO PORFÍRIO/OBSERVADOR
Roberta Metsola com o novo livro de Carlos Moedas
JOÃO PORFÍRIO/OBSERVADOR
Cerimónia do título Honoris Causa pelo Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas da Universidade de Lisboa
JOÃO PORFÍRIO/OBSERVADOR
Entrega do título Honoris Causa
JOÃO PORFÍRIO/OBSERVADOR
Pedro Passos Coelho cumprimenta Paulo Rangel, recém empossado ministro dos Negócios Estrangeiros, e dá-lhe os parabéns pelo cargo
JOÃO PORFÍRIO/OBSERVADOR

Na cerimónia, Roberta Metsola apelou ao voto nas eleições europeias de 9 de junho, pedindo aos portugueses que “não cedam ao conforto do cinismo fácil”, enquanto enalteceu o que chamou de “efeito português”.

“Levanta-te, sê a mudança, faz com que a tua voz seja ouvida. Pára de esperar que alguém o faça. No dia 9 de junho, vai votar e faz parte desse histórico efeito português”, pediu Metsola. A presidente do Parlamento Europeu advertiu ainda que os valores europeus estão cada vez mais ameaçados, mas defendeu também que a Europa está mais forte que nunca.

“Já vi que tirou as grades de frente do Parlamento”

Chegada à Assembleia da República, Roberta Metsola foi recebida na escadaria exterior por José Pedro Aguiar-Branco, Presidente da Assembleia da República. Depois dos habituais cumprimentos, as primeiras palavras da presidente do Parlamento Europeu foram sobre uma das primeiras medidas de Aguiar-Branco: “Já vi que tirou as grades que estavam à volta do vosso Parlamento.” Surpreendido com a observação, Aguiar-Branco ri-se e responde que a Assembleia da República é para estar aberta a todos.

À reunião bilateral seguiu-se um momento para a uma fotografia oficial e uma visita à “Casa do Parlamento — Centro Interpretativo”, do outro lado da estrada do Parlamento. Lá, além de terem visitado todo o espaço inaugurado há apenas um dia, ambos tiraram uma selfie num dos ecrãs do centro, uma montagem automática que coloca Metsola e Aguiar-Branco como participantes do 25 de Abril, numa fotografia histórica da altura.

Aguiar-Branco recebeu Roberta Metsola na escadaria do Parlamento
JOÃO PORFÍRIO/OBSERVADOR
“Já vi que tirou as grades de frente do Parlamento”, disse Metsola a Aguiar-Branco assim que chegou à Assembleia da República
JOÃO PORFÍRIO/OBSERVADOR
À saída da Assembleia, a presidente do PE e o presidente da AR desceram juntos a escadaria exterior
JOÃO PORFÍRIO/OBSERVADOR
Depois da reunião bilateral, Metsola e Aguiar-Branco dirigiram-se à Casa do Parlamento — Centro Interpretativo
JOÃO PORFÍRIO/OBSERVADOR
Ambos tiraram uma selfie num dos ecrãs do centro, uma montagem automática que coloca Metsola e Aguiar-Branco como participantes do 25 de Abril, numa fotografia histórica da altura
JOÃO PORFÍRIO/OBSERVADOR
Metsola escreveu numa parede sobre a importância do voto em democracia
JOÃO PORFÍRIO/OBSERVADOR
Numa simulação interativa do Parlamento consegue perceber-se onde é que cada deputado se senta no hemiciclo
JOÃO PORFÍRIO/OBSERVADOR

A viagem de elétrico até ao Palácio de Belém (e aos pastéis)

Foi provavelmente a distância mais pequena entre um ponto e o outro, mas foi a deslocação que demorou mais tempo — cerca de 35 minutos. Roberta Metsola aceitou o desafio de alguns jovens e viajou de elétrico — acompanhada por Carlos Moedas — da Basílica da Estrela até ao Palácio de Belém, onde tinha uma audiência marcada com o Presidente da República. Durante a viagem, os jovens tiveram oportunidade de fazer várias perguntas à presidente do Parlamento Europeu e ao presidente da Câmara Municipal de Lisboa.

O elétrico aproximava-se do Palácio de Belém e quem lá estava dentro apercebia-se de um enorme aglomerado de pessoas na estrada, no local onde o elétrico iria parar. Havia uma pessoa que se destacava desse aglomerado: Marcelo Rebelo de Sousa, que desceu do Palácio para vir buscar Roberta Metsola pessoalmente à rua. Enquanto isso, já um dos seus assessores ia até ao fundo da rua buscar um saco com quatro caixas de pastéis de Belém.

Metsola e Carlos Moedas fizeram uma viagem de elétrico desde a Basílica da Estrela até ao Palácio de Belém
JOÃO PORFÍRIO/OBSERVADOR
A presidente do Parlamento Europeu aproveitou a viagem para responder a perguntas de vários jovens que estavam no elétrico
JOÃO PORFÍRIO/OBSERVADOR
A viagem durou cerca de 35 minutos
JOÃO PORFÍRIO/OBSERVADOR
No fim, já a chegar ao Palácio de Belém, houve tempo para várias fotografias com os jovens presentes
JOÃO PORFÍRIO/OBSERVADOR

O elétrico parou, abriu as portas e Marcelo não esperou que ninguém saísse: entrou e deu um longo abraço à presidente do PE e a Carlos Moedas. Este último despediu-se e Marcelo e Metsola entraram no Palácio, a pé, pela rampa. “Há muito pouca gente que entra aqui em Belém a pé, pela rampa. Eu fiz este caminho quando tomei posse a primeira vez”, disse o Presidente a Roberta Metsola.

Depois da fotografia oficial e da assinatura do livro de honra do Palácio de Belém, seguiu-se uma nova reunião bilateral, agora entre os dois, e outra troca de presentes, ambas fotografias emolduradas. Metsola ofereceu uma fotografia de Marcelo no Parlamento Europeu, no dia em que lá discursou, a 10 de maio de 2023; Marcelo ofereceu a Metsola uma fotografia em Cascais de um Conselho de Estado em que a presidente do PE participou.

Marcelo Rebelo de Sousa desceu do Palácio para vir buscar Roberta Metsola à rua
JOÃO PORFÍRIO/OBSERVADOR
Despedida dos jovens que acompanharam toda a viagem de elétrico. Seguiu-se uma reunião bilateral com Marcelo Rebelo de Sousa
JOÃO PORFÍRIO/OBSERVADOR
“Há muito pouca gente que entra aqui em Belém a pé, pela rampa. Eu fiz este caminho quando tomei posse a primeira vez”, disse o Presidente a Roberta Metsola
JOÃO PORFÍRIO/OBSERVADOR
Momento posterior à habitual fotografia oficial
JOÃO PORFÍRIO/OBSERVADOR
Reunião bilaterial entre Marcelo e Metsola
JOÃO PORFÍRIO/OBSERVADOR
Saída de Metsola do Palácio de Belém. Iria dirigir-se de seguida para São Bento
JOÃO PORFÍRIO/OBSERVADOR

Montenegro, o velho e grande amigo

Da mesma família política, Metsola e Montenegro já se encontraram diversas vezes antes e depois do líder do PSD tomar posse como primeiro-ministro: duas em Bruxelas e agora em Lisboa.

O discurso estava alinhado entre ambos. Na conferência de imprensa conjunta, Luís Montenegro, assumiu estar a estudar a possibilidade do voto em mobilidade e disse também que, com alguns membros do seu Governo, “iam dar o exemplo”, votando antecipadamente a 2 de junho.

Ambos reconheceram que a data das próximas eleições europeias não é de todo favorável a Portugal, por ter o feriado nacional a 10 de junho e um feriado municipal logo no dia 13 de junho, em Lisboa. Montenegro admitiu que há muitas pessoas que aproveitam estes dias para viajar e tirar férias.

Roberta Metsola e Luís Montenegro, o primeiro-ministro, na chegada à Residência Oficial do primeiro-ministro
JOÃO PORFÍRIO/OBSERVADOR
Fotografia oficial na escadaria do Palácio de São Bento
JOÃO PORFÍRIO/OBSERVADOR
Jornalistas captam as imagens do início da reunião bilaterial entre Metsola e Montenegro
JOÃO PORFÍRIO/OBSERVADOR
Na conferência de imprensa conjunta, Luís Montenegro, assumiu estar a estudar a possibilidade do voto em mobilidade
JOÃO PORFÍRIO/OBSERVADOR
Ambos reconheceram que a data das próximas eleições europeias não é de todo favorável a Portugal por causa dos feriados
JOÃO PORFÍRIO/OBSERVADOR
Despedida de Montenegro e Roberto Metsola
JOÃO PORFÍRIO/OBSERVADOR
Roberta Metsola entrega um ramo de flores à polícia que esteve a garantir a sua segurança durante todo o tempo em que esteve em Portugal
JOÃO PORFÍRIO/OBSERVADOR
Instantes antes de a presidente do Parlamento Europeu embarcar no avião
JOÃO PORFÍRIO/OBSERVADOR
Na sala VIP do aeroporto de Lisboa, Metsola aproveitou para fazer algumas chamadas telefónicas
JOÃO PORFÍRIO/OBSERVADOR
Despedida de uma das suas assessoras em Lisboa
JOÃO PORFÍRIO/OBSERVADOR

Metsola, ao Observador, reconhece esse problema, mas sai satisfeita do país. Já no aeroporto de Lisboa, responde: “Esse é o problema, sim. No entanto estou muito satisfeita por ver que o Governo promulgou há algum tempo uma série de medidas a fim de maximizar a possibilidade de o maior número possível de pessoas irem votar. Não só foi introduzida a possibilidade de votar uma semana antes, mas também que, no dia das eleições, se possa votar em todo o território nacional”.

Em jeito de despedida do país, mas também da equipa de segurança que esteve com a presidente do Parlamento Europeu todas estas horas, Roberta Metsola entregou à polícia que esteve a garantir a sua segurança o ramo de flores que tinha recebido, horas antes, na universidade.

Já a entrar no autocarro que a ia levar ao avião, Metsola ainda fez um último apelo: “Tirem uma hora do vosso fim de semana de férias e escolham. Essa decisão é importante para os próximos cinco anos, para a Europa e para o vosso país.”

 
Assine o Observador a partir de 0,18€/ dia

Não é só para chegar ao fim deste artigo:

  • Leitura sem limites, em qualquer dispositivo
  • Menos publicidade
  • Desconto na Academia Observador
  • Desconto na revista best-of
  • Newsletter exclusiva
  • Conversas com jornalistas exclusivas
  • Oferta de artigos
  • Participação nos comentários

Apoie agora o jornalismo independente

Ver planos

Oferta limitada

Apoio ao cliente | Já é assinante? Faça logout e inicie sessão na conta com a qual tem uma assinatura

Há 4 anos recusámos 90.568€ em apoio do Estado.
Em 2024, ano em que celebramos 10 anos de Observador, continuamos a preferir o seu apoio.
Em novas assinaturas e donativos desde 16 de maio
Apoiar

19 MAIO 2024 - SEDE OBSERVADOR

Atos de vandalismo não nos calarão.

Apoie o jornalismo que há 10 anos se pauta pela liberdade de expressão e o nunca vergar por qualquer tipo de intimidação.

Assine 1 ano / 29,90€ Apoiar

MELHOR PREÇO DO ANO

Ao doar poderá ter acesso a uma lista exclusiva de benefícios

Ofereça este artigo a um amigo

Enquanto assinante, tem para partilhar este mês.

A enviar artigo...

Artigo oferecido com sucesso

Ainda tem para partilhar este mês.

O seu amigo vai receber, nos próximos minutos, um e-mail com uma ligação para ler este artigo gratuitamente.

Ofereça artigos por mês ao ser assinante do Observador

Partilhe os seus artigos preferidos com os seus amigos.
Quem recebe só precisa de iniciar a sessão na conta Observador e poderá ler o artigo, mesmo que não seja assinante.

Este artigo foi-lhe oferecido pelo nosso assinante . Assine o Observador hoje, e tenha acesso ilimitado a todo o nosso conteúdo. Veja aqui as suas opções.

Atingiu o limite de artigos que pode oferecer

Já ofereceu artigos este mês.
A partir de 1 de poderá oferecer mais artigos aos seus amigos.

Aconteceu um erro

Por favor tente mais tarde.

Atenção

Para ler este artigo grátis, registe-se gratuitamente no Observador com o mesmo email com o qual recebeu esta oferta.

Caso já tenha uma conta, faça login aqui.

Há 4 anos recusámos 90.568€ em apoio do Estado.
Em 2024, ano em que celebramos 10 anos de Observador, continuamos a preferir o seu apoio.
Em novas assinaturas e donativos desde 16 de maio
Apoiar

19 MAIO 2024 - SEDE OBSERVADOR

Atos de vandalismo não nos calarão.

Apoie o jornalismo que há 10 anos se pauta pela liberdade de expressão e o nunca vergar por qualquer tipo de intimidação.

Assine 1 ano / 29,90€

MELHOR PREÇO DO ANO