Rádio Observador

Política

A Direita, a Galp e também o Brexit /premium

Autor

Adolfo Mesquita Nunes interrompeu a sua carreira política. É pena porque poderia vir a ser um bom candidato presidencial contra Marcelo.

A união da direita

No sábado, pelas 17 horas, é lançado o Movimento 5.7, uma iniciativa do deputado Miguel Morgado. É no Espaço Espelho de Água, em Belém. A Direita levou demasiado tempo para perceber que, perante a geringonça, apenas com a união dos partidos que a compõem é possível apresentar uma alternativa à governação socialista. Com o PCP e o BE determinantes na subsistência de um governo, a realidade política que se iniciou em 2015 é semelhante à de 1979. Tal como na altura, e perante a incapacidade do PS se descolar da extrema-esquerda, a única forma de Portugal ter um governo capaz de fazer as reformas necessárias é com uma aliança democrática de todos os partidos de Direita. Militantes do PSD, do CDS, da Aliança e da Iniciativa Liberal, juntamente com muitos independentes, estarão presentes no sábado. Todos são bem-vindos à família não socialista.

Adolfo Mesquita Nunes e a Galp

É perfeitamente legítimo que Adolfo Mesquita Nunes suspenda a sua carreira política em benefício da profissional. Mas há três comentários a fazer relativamente a este assunto que não podem ser varridos para debaixo do tapete: primeiro, que é pena que uma empresa como a Galp sinta necessidade de contratar um político para exercer um cargo não executivo na sua administração. Bem sei que estas são as regras, mas estas regras revelam bem como é que o país funciona. Segundo, que não deixa de ser negativo para o CDS que a demissão de Mesquita Nunes do cargo de vice-presidente do partido suceda em cima das europeias e a seis meses das legislativas. O terceiro comentário já é relativo à Direita mencionada no início desta crónica e que vai precisar de um candidato presidencial contra Marcelo, sob pena do seu projecto político ser minado por este. Pelo seu percurso, capacidades políticas e boa projecção que tem na imprensa, Adolfo Mesquita Nunes poderia vir a ser um bom candidato presidencial em 2021.

Brexit

Theresa May vai pedir a Bruxelas o adiamento do Brexit. Se este é aceite, em que termos e por quanto tempo depende do objectivo desse mesmo adiamento. Se é para ficar na mesma talvez nem valha a pena perder muito mais tempo com este episódio. Mas talvez se pudesse considerar uma de duas soluções: o estabelecimento de um prazo para a saída, com a condição do processo se considerar extinto (e sem Brexit) se até essa data a Câmara dos Comuns não aprovar o acordo de May com a UE, ou a submissão a referendo do acordo conseguido por Theresa May. Esse sim, seria um referendo sério, de uma proposta concreta. Não a armadilha em que os Britânicos caíram em 2016.

Advogado

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros de órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Política

Alguns mitos da democracia portuguesa /premium

André Abrantes Amaral
172

Alguns mitos desta democracia: que está tudo bem, que os portugueses são racistas e que a direita não existe porque é socialista. Contudo, como sucede com os verdadeiros mitos, estes também são falsos

Estado da Nação

Os podres da legislatura /premium

André Abrantes Amaral
197

Esta legislatura termina e é tempo de balanço, mesmo que breve. Não é difícil imaginar Costa em 2015 sentado à secretária a tomar notas sobre o que teria de não fazer para se manter no poder até 2019.

Viana do Castelo

Como o Estado se virou contra nós /premium

André Abrantes Amaral
333

Eis como o poder político se vira contra os cidadãos em vez de os proteger: o prédio Coutinho foi permitido e legalizado e agora, por razões estéticas, querem demoli-lo. Os fascistas não fariam melhor

Serviços públicos

O melhor dislate do ano

Fernando Leal da Costa

Que mania, a dos nossos concidadãos, que insistem em usar os serviços que lhes disseram ser públicos. E, logo que precisam, vão todos ao mesmo tempo. É muito irritante.

PSD/CDS

35 horas: outro vazio de representação /premium

Alexandre Homem Cristo

PSD e CDS já não defendem a convergência dos sectores público e privado (40 horas de trabalho semanais). Quem representa, então, os eleitores que compreenderam a sua medida em 2013? Ninguém.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)