1. Foi há dias e foi bonito. Ainda bem. Celebrava-se a arrancada para a grande aventura, a primeira viagem, o primeiro porto onde encostaram as caravelas portuguesas. Os navegadores chamaram-lhe Porto Santo. As autoridades – as de lá e as de cá – representaram o Estado, saudando a data. E eu que tão bem conheço a minúscula ilha, gostaria de lá ter estado. Um belo arquipélago, a Madeira. Vem a propósito porque escrevo, dia por dia, seis séculos depois do primeiro português ali ter aportado, em dia de Todos os Santos.

2. Mas a Madeira também vem ao caso por razões políticas que justificam a só aparente falta de contexto, em semana capturada por Web Summits e outras webs.

É que valerá a pena antecipar o duelo entre dois homens que mutuamente se medem: Miguel Albuquerque, presidente do Governo Regional (PSD) e Paulo Cafofo (apoiado pelo PS), presidente da Câmara do Funchal. Porquê? Porque pela primeira vez as sondagens colocam Paulo Cafofo em (quase) pé de igualdade com Albuquerque e com isso emprestando verosimilhança a um combate entre forças políticas subitamente “iguais” – coisa nunca vista na Madeira, onde o PSD reinou sozinho e com grande á vontade durante décadas.

Mas se para o presidente da Câmara as futuras eleições serão uma prova de vida ou de morte política, para António Costa elas serão (ainda mais?) cruciais: o primeiro-ministro não terá – e sabe-o – melhor oportunidade para colher a flor madeirense que lhe falta para o seu bouquet, nas próximas legislativas e assim ficar o dono eleitoral disto tudo: Continente, Açores e finalmente a Madeira. Esse dantes inexpugnável arquipélago, conhecido como um bastião alaranjado. A empreitada é por isso coisa séria para o Largo do Rato: activada por Lisboa e bem manuseada nas duas ilhas, está em curso uma geringonça insular (“sim, vamos lá fazer uma igual à de cá”, confirmava-me há semanas, um ministro, com invejável beatitude).

Este artigo é exclusivo para os nossos assinantes: assine agora e beneficie de leitura ilimitada e outras vantagens. Caso já seja assinante inicie aqui a sua sessão. Se pensa que esta mensagem está em erro, contacte o nosso apoio a cliente.