Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Lembram-se do filme “Os Deuses devem estar loucos”? Aquele em que, algures em África, um homem acha que uma garrafa de coca-cola que lhe bate na cabeça é um sinal divino? Rimo-nos todos com o absurdo da cena, longe de imaginar que poucos anos depois estaríamos a viver realidades semelhantes num mundo supostamente muito avançado.

Vem isto a propósito da reacção, mais comum do que se imagina, à vacina para a Covid-19 que começa a ser aplicada no nosso país. São, infelizmente, muitas as pessoas, supostamente educadas e instruídas, que alinham na tese conspirativa de que a vacina é um novo inimigo escondido posto a circular para nos manipular.

Este artigo é exclusivo para os nossos assinantes: assine agora e beneficie de leitura ilimitada e outras vantagens. Caso já seja assinante inicie aqui a sua sessão. Se pensa que esta mensagem está em erro, contacte o nosso apoio a cliente.