A 15 de Fevereiro de 1989, a União Soviética terminava a retirada das suas tropas do Afeganistão. Trinta anos depois, o Presidente russo, Vladimir Putin, condecora com a medalha de Herói da Rússia o oficial soviético que conseguiu capturar pela primeira vez um “Stringer” norte-americano aos guerrilheiros afegãos.

“Por heroísmo, coragem e ousadia, revelados durante a realização de tarefas especiais em condições com risco para a própria vida”, lê-se no texto assinado por Putin.

Segundo o documento divulgado pela agência noticiosa RIA, o oficial condecorado, Vladimir Kovtun, conseguiu apoderar-se da arma norte-americana “Stringer”, “o que permitiu aos cientistas soviéticos obterem uma amostra do lança mísseis ocidental”.

Efectivamente, esse míssil terra-ar foi muito importante para desequilibrar as operações militares a favor dos guerrilheiros afegãos. Os Estados Unidos forneceram-lhes centenas de “Stringer” que permitiram à resistência afegã, por exemplo, abater cerca de 270 aviões e helicópteros entre Outubro de 1986 e Setembro do ano seguinte.

Este artigo é exclusivo para os nossos assinantes: assine agora e beneficie de leitura ilimitada e outras vantagens. Caso já seja assinante inicie aqui a sua sessão. Se pensa que esta mensagem está em erro, contacte o nosso apoio a cliente.