Se alguém ainda tinha dúvidas, esta semana ficou esclarecido. Com a ida ao bairro da Jamaica confirma-se que o Presidente da República é o arqui-rival do Wally, aquele rapaz de óculos que nunca ninguém sabe onde pára. Em contrapartida sabemos sempre onde está Marcelo. E até em termos de indumentária Marcelo e Wally são inconfundíveis: Wally enverga uma camisola às riscas vermelhas, e Marcelo passa a maior parte do tempo em tronco nu. O super-poder do Presidente é um ouvido tão apurado que consegue escutar a frase “Olha o passarinho” proferida em qualquer ponto do país. E quando o flash dispara é garantido que ele está no enquadramento.

Esta visita de Marcelo Rebelo de Sousa ao bairro da Jamaica causou indignação na PSP. Ao ponto do presidente da Associação Sindical dos Profissionais da Polícia se considerar “discriminado”. Acho que por ser o único português com quem o Presidente Marcelo ainda não tirou uma selfie. Acrescenta a PSP que um dos indivíduos que se fotografou com o Presidente já foi detido por vários delitos. A ser verdade, Marcelo até está a poupar trabalho à polícia. Assim os agentes escusam de ter o aborrecimento de procurar o indivíduo, detê-lo, e levá-lo à esquadra para fazer aquela sessão fotográfica típica com os suspeitos de crimes. Basta-lhes ir buscar as fotos mais actuais do homem ao Facebook do Presidente.

A capacidade do Presidente da República estar em todo o lado é espectacular, mas também é verdade que põe definitivamente em causa a laicidade do Estado. Primeiro tivemos Cavaco, o Omnisciente, que nunca se enganava e raramente tinha dúvidas. Depois veio Sócrates, o Omnipotente, que controlava tudo, da comunicação social aos bancos, passando pelo Ministério Público. E agora, para completar a tríade, temos Marcelo, o Omnipresente, que está sempre em todo o lado. Não admira que o Papa aprecie tanto o nosso país a ponto de atribuir a Portugal a organização das Jornadas Mundiais da Juventude de 2022. Que não faço a mínima ideia o que sejam, mas calculo que se trate de um cruzamento entre Olimpíadas da Juventude e mega aula de catequese. Acredito que, por exemplo, em vez de uma prova de pentatlo haja uma prova de Pentateuco. Depois talvez tenham, em lugar do salto em altura, o salto nas alturas. E acredito que em alternativa a correrem os 400 metros disputem uma prova de 70×7 metros. Quero ver isto.

Até lá pode ser que haja tempo para resolver o diferendo que opõe Joe Berardo aos vizinhos do edifício onde habita em Lisboa. Isto porque o Comendador mandou fazer uma casa de banho de luxo no terraço do prédio. Aparentemente a construção é ilegal porque carecia de uma autorização especial por estar próxima do Palácio das Necessidades. O que acaba por ser bem irónico: ter problemas legais por construir um palácio das necessidades com vista para o Palácio das Necessidades. Isto depois de termos ficado a saber que Joe Berardo deve para aí 300 milhões de euros à CGD. O Comendador Joe Berardo é bem capaz de ser a primeira pessoa na história do direito a fazer porcarias de legalidade duvidosa, quer em sentido literal, quer em sentido metafórico.