País bem

Começo pelo que está bem (ou tem melhorado) na economia. O crescimento económico de 2022 e o arranque no primeiro trimestre de 2023 confirmaram a trajetória positiva da economia portuguesa desde a crise da dívida, apenas interrompida pela pandemia Covid-19. Este crescimento tem sido alimentado pelo crescimento das exportações e não pela procura interna. O facto de as exportações serem o motor do crescimento aumenta a probabilidade de estarmos a viver uma fase de transformação estrutural da economia. À medida que aumenta a importância das exportações para as empresas, aumenta a pressão para melhorarem a sua competitividade e para inovarem., o que acelera a transformação estrutural da economia. Assim, surpreende-me que muitas vozes, que durante anos chamaram a atenção para a importância do crescimento das exportações, não salientem o sucesso que hoje estamos a viver nesta dimensão.

O atual Governo tem muito pouco mérito nestes bons resultados. O crescimento das exportações, mais acentuado desde 2010, reflete essencialmente as melhorias do nosso tecido empresarial, em particular a ação dos empresários, que muito beneficia do grande investimento em educação ao longo das últimas décadas. A resposta que o setor do turismo tem sabido dar à procura, aumentando a oferta e melhorando a qualidade dos serviços, é disso um excelente exemplo. Já pensaram na quantidade e qualidade de cozinheiros e cozinheiras que têm de existir em Portugal para saciar os milhões de turistas que se deliciam com a nossa gastronomia?

Este artigo é exclusivo para os nossos assinantes: assine agora e beneficie de leitura ilimitada e outras vantagens. Caso já seja assinante inicie aqui a sua sessão. Se pensa que esta mensagem está em erro, contacte o nosso apoio a cliente.