A mãe de Diana Quer, a jovem desaparecida na Galiza desde 22 de agosto, foi interrogada esta segunda-feira durante seis horas, em sua casa, por agentes da Unidad Central Operativa (UCO), o órgão central da Judiciária espanhola. Os agentes estiveram em casa de Diana López-Pinel, nos arredores de Madrid, desde as 20h até às 2h da manhã, avança o jornal El Espãnol, acrescentando que não se terá tratado de um interrogatório formal.

Após terem sido apontadas várias teorias para explicar o desaparecimento de Diana, que já é procurada em Portugal e noutros países da Europa, a hipótese mais provável parece ser a de que a jovem passou por casa na noite em que foi vista pela última vez, para mudar de casa. Depois, poderá ter entrado num carro, afastando-se da zona em que as buscas se centraram. Uma das principais pistas da investigação é o telemóvel de Diana, através do qual é possível obter as últimas localizações da jovem. As autoridades têm efetuado buscas em todos os locais assinalados pelo telefone, mas resta ainda a dúvida sobre se Diana terá desaparecido de forma voluntária ou se foi forçada.

As autoridades espanholas também analisaram as imagens de um concerto, a que Diana foi dois dias antes de desaparecer, para descobrir com quem andava a jovem nesses dias. Também foram efetuadas buscas numa zona portuária em Taragoña e junto a uma antiga fábrica de madeira em Beluso, duas localidades na costa da Galiza.

Diana Quer desapareceu sem deixar rasto a 22 de agosto, durante a noite, após ter participado nas festas locais de A Pobra do Caramiñal. O último contacto feito com a jovem foi através do WhatsApp, durante a madrugada, quando Diana mandou uma mensagem a uma amiga a dizer que estava a ser seguida por um homem. Depois, nunca mais respondeu. A família argumentou inicialmente que a jovem teria sido raptada, mas as autoridades não descartaram a possibilidade de Diana ter fugido da família. O contexto familiar conturbado (a mãe de Diana perdeu a custódia da filha mais nova, Valeria) tem sido amplamente escrutinado pela polícia.