Quatro anos após o seu lançamento, o líder europeu e nacional entre os crossovers do segmento B foi sujeito a uma remodelação que abrangeu praticamente todos os domínios. A começar pela estética exterior, agora com uma aparência mais distinta e próxima da de um SUV, graças ao friso cromado aplicado na grelha, às opcionais ópticas dianteiras integralmente por LED, às luzes diurnas e farolins traseiros com a conhecida assinatura visual em forma de “C” da Renault, e às novas protecções de ambos os pára-choques. A tudo isto há que juntar as novas jantes de 17”, a estreia de um tecto panorâmico fixo e as mais de 30 combinações de cores possíveis – e ainda os pára-choques específicos da versão de topo Initiale Paris.

No habitáculo fica a promessa do recurso a materiais e acabamentos de superior qualidade, nomeadamente as aplicações cromadas, que se conjugam com o volante de novo desenho, a alavanca de comando da caixa de velocidades (proveniente do Mégane), os novos painéis das portas (com novos botões de comando), a consola central redesenhada (com novos espaços de arrumação) e o porta-objectos disponível no tablier.

14 fotos

Ao mesmo tempo, e dependendo do nível de equipamento, o renovado Captur passa a poder contar com o sistema R-Link Evolution compatível com a ligação Android Auto (com tablet integrado de 7” personalizável, navegação TomTom, Bluetooth e comandos vocais, entre outros mimos), com a câmara de estacionamento traseira e com o sistema Easy Park Assist de estacionamento automático. O sistema de monitorização do ângulo morto é outra das estreias num modelo que, de série, já inclui em todas as versões um sistema de infoentretenimento.

Reforçando o seu look exterior mais aventureiro, o Captur passa a contar, igualmente, com o controlo de tracção Grip Control, optimizado para as incursões pelo fora de estrada, incluído nas versões Exclusive XMOD. Dispositivo que oferece três modos de utilização: Estrada, Fora de estrada e Expert.

7 novidades que deve conhecer sobre o novo Captur

Quanto aos motores, mantêm-se em funções todas as unidades já conhecidas da anterior geração: TCe a gasolina de 90 cv e 1.5 dCi de 90 cv ou 100 cv. A estas junta-se, agora, o bloco Energy TCe 120, com injecção directa de gasolina, turbocompressor 1.197 cc, 120 cv e 285 Nm, passível de ser combinado com uma caixa manual de seis velocidades ou com a transmissão pilotada EDC de dupla embraiagem e seis relações (também possível de conjugar com o 1.5 dCi de 90 cv).

Já disponível em Portugal, o Captur da nova geração é proposto a partir de 18.080€, na versão TCe 90 com nível de equipamento Zen, orçando a mais acessível das variantes a gasóleo (1.5 dCi de 90 cv também com equipamento Zen) em 22.180€ (pode consultar aqui todos os preços).

Como é da praxe em todos os modelos de passageiros da Renault, a garantia é de cinco anos.