10 momentos da Ciência em 2015

28 Dezembro 2015170

A exploração espacial teve grandes momentos, a começar pela sonda New Horizons que viu Plutão de perto. Na área da biologia e medicina destacámos o cancro, a genética e o ébola.

Plutão

Os segredos desvendados pela New Horizons

No dia 14 de julho, a missão New Horizons aproximou-se de Plutão. Tinham passado mais de nove anos desde que foi lançada, a 19 de janeiro de 2006. O planeta-anão mostrou ter uma cordilheira, água gelada e céu azul, mas serão precisos 16 meses para descarregar toda a informação recolhida pela sonda.

NASA/JHUAPL/SWRI via Getty Images

Marte

Afinal, não é assim tão parecido com a Terra

A exploração em Marte continua e não deverá terminar tão depressa. Os cientistas revelaram que o planeta foi varrido por ventos solares. A atual atmosfera fina torna o planeta seco, frio e sem condições para aguentar água no estado líquido. No máximo, uns sais hidratados. Quanto à vida… por enquanto, nada.

ESA via Getty Images

Rosetta

Resistir ao calor do Sol

A sonda Rosetta encontrou-se com o cometa Chury em 2014 e nunca mais o deixou. Este ano, quando o cometa se aproximou do Sol, Rosetta acompanhou-o ao longe, para evitar os detritos que se soltavam – sempre atenta e a recolher dados. Pena que o robô Philae tenha adormecido antes de completar a sua missão.

ESA

CERN

Nova temporada em 2015

O acelerador de partículas do CERN (Laboratório Europeu para a Investigação Nuclear) esteve parado desde fevereiro de 2013. Os primeiros feixes de partículas da segunda temporada começaram a circular em abril deste ano. Em maio, davam-se as primeiras colisões – e o Observador estava lá para ver.

FABRICE COFFRINI/AFP/Getty Images

Gago

O ministro e físico que mudou a Ciência em Portugal

Mariano Gago morreu no dia 17 de abril com 66 anos. O físico de partículas negociou a adesão de Portugal ao CERN, fundou o Laboratório de Instrumentação e Física Experimental de Partículas e criou o programa Ciência Viva. Nos quatro mandatos ministeriais, ligados à Ciência, deixou marcas importantes no país.

MARIO CRUZ/LUSA

Patologia

O mais influente do mundo é Sobrinho Simões

Sobrinho Simões criou o Instituto de Patologia e Imunologia Molecular da Universidade Porto (Ipatimup) em 1989. Para os colegas de profissão e alunos é o patologista mais influente do mundo, como revelou a revista britânica The Patologist. “Patologistas de todo o mundo seguem as suas regras nas rotinas diárias.”

Leonel de Castro/Global Imagens

Cancro

Vencê-lo pelo próprio sistema imunitário

O sistema imunitário tem as ferramentas necessárias para vencer o cancro, mas as células cancerígenas têm estratégias para lhes escapar. Em julho, foi aprovado um novo medicamento que atua sobre o sistema imunitário, mas por enquanto só para o tratamento dos casos de cancro da pele mais graves.

American Cancer Society/Getty Images

Genética

Intensificou-se o debate sobre a manipulação de embriões

Um grupo de cientistas britânicos juntou-se para defender a investigação com embriões humanos – usando técnicas de manipulação genética. Mas o tema é controverso e muitos manifestaram-se contra o trabalho de uma equipa chinesa publicado este ano. Há receios e promessas que darão azo a muitos debates.

PHILIPPE HUGUEN/AFP/Getty Images

Ébola

Vacina testada em 4 mil pessoas mostrou-se eficaz

O surto de ébola teve início em dezembro de 2013 e, no meio do ambiente de crise humanitária, a investigação para encontrar uma vacina contra o vírus avançou rapidamente. Os procedimentos de validação foram acelerados e, em julho deste ano, a OMS afirmava haver uma vacina disponível a nível global.

SEYLLOU/AFP/Getty Images

Carne

A classificação mais polémica

Já existiam vários trabalhos científicos que associavam o consumo de carnes vermelhas e/ou carnes processadas ao aparecimento de cancro. A comissão delegada pela OMS limitou-se a compilar todos os estudos e confirmar que existem provas científicas suficientes para classificar estas carnes numa categoria de risco.

Sean Gallup/Getty Images

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: vnovais@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)