Olá

834kWh poupados com a
i

A opção Dark Mode permite-lhe poupar até 30% de bateria.

Reduza a sua pegada ecológica.
Saiba mais

Pelos sabores do Centro de Portugal

Se há coisa que caracteriza o povo português, é a sua arte de bem receber. Numa mesa recheada de boa comida e bom vinho, há sempre espaço para mais um.

Basta uma viagem até ao Centro de Portugal para ficarmos a conhecer aquilo de que somos feitos: bons pratos, bom vinho e doces regionais de comer e chorar por mais. Se numa casa portuguesa “fica bem pão e vinho sobre a mesa”, é caso para dizer que da Região de Aveiro a Viseu Dão Lafões, da Região de Coimbra às Beiras e Serra da Estrela, da Região de Leiria ao Médio Tejo, e do Oeste à Beira Baixa, não faltam mesas recheadas dos mais variados e típicos petiscos portugueses.

A riqueza gastronómica desconcertante e variada da Região de Aveiro resulta em grande medida de uma topografia desafiante e eclética. Nos concelhos mais vincados pela influência do mar e da ria é imperativo degustar os inúmeros pratos de peixes frescos, como são exemplo as caldeiradas de enguias ou de peixes variados, as ostras, o berbigão ou crico, como lhe chamam os locais, as ameijoas e as enguias fritas com molho de escabeche, ou os pratos em que o Bacalhau de Cura Tradicional Portuguesa e os seus derivados, como são exemplo as caras e os samos de bacalhau, fazem as delícias dos gastrónomos mais exigentes. No interior, os rios e a serra influíram grandemente no surgimento de iguarias magníficas.

O Leitão da Bairrada, que por muitos é considerado o Rei, é magistralmente assessorado pela vitela assada, os rojões com grelos, a lampreia e outros pratos à base de peixes do rio. Após ter usufruído de um lauto repasto, sempre na companhia dos bons vinhos e espumantes da Bairrada, nada melhor do que adoçar o paladar com os dulcíssimos Ovos Moles de Aveiro IGP, o muito macio Pão de Ló de Ovar IGP, os Pastéis de Águeda, os Amores da Curia e as várias confeções feitas à base de mirtilo.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

A gastronomia de Viseu Dão Lafões é uma das características que mais distingue esta região do Centro de Portugal. Com montes e vales capazes de deslumbrar o olhar de qualquer cético, pratos como o Rancho à moda de Viseu ou o Arroz de Carqueja são apostas certas para um bom apreciador da gastronomia beirã. Propomos que, como entrada, não dispense um bom Queijo Serra da Estrela DOP. Mas o que não faltam são boas alternativas. Poderá, nesta ou noutras visitas, optar por uma Vitela Assada de Lafões ou um Cabrito da Serra do Caramulo. Acompanhe com um bom vinho do Dão!

Se, por outro lado, aquilo de que mais gosta quando viaja é de petiscar, o Queijo Serra da Estrela é a opção perfeita. Produzido na região montanhosa da serra, com leite cru de ovelha – da raça Bordaleira da Serra da Estrela ou Churra Mondegueira – é uma iguaria que detém a distinção DOP na União Europeia. Acompanhado com uma fatia de Pão de Sabugueiro, em Seia, ou “à pastor”, ou até mesmo com uma fatia de marmelada a acompanhar, esta será a estrela de todos os almoços, jantares, e até à hora do lanche. O Bucho Raiano, a Morcela da Guarda, a chouriça picante e o borrego assado, são outros dos petiscos a não perder.

Também no caso da gastronomia da região de Leiria, é caso para dizer que satisfaz até os gostos mais exigentes. Sopa Seca, Tachadéu, o Leitão da Boa Vista, a Cabidela Serrana, o Chícharo, e a famosa Morcela de Arroz são pratos a evitar por quem esteja a fazer dieta, já que difícil será não querer repetir! Já os queijinhos de azeite com Torresmos, são uma ótima opção, caso seja fã de um bom aperitivo antes da refeição. E porque as sobremesas fazem parte de qualquer visita, não pode deixar de provar as deliciosas Brisas do Lis, os bolos de ferradura, de perna ou de palma, as cavacas do Reguengo do Fetal, os Biscoitos do Louriçal ou os Pudins da Batalha.

E porque provar todas estas iguarias é também sobre arriscar naquilo que é “diferente”, é na Região de Coimbra que poderá provar “o bicho feio”, ou melhor, a lampreia. Se há especialidade que não gera consenso, é esta! Ou se adora ou se detesta, mas a verdade é que só saberá se experimentar. Assim, não deixe de o fazer. Mas não fica por aqui: prove também a Chanfana e o Arroz Carolino do Baixo Mondego IGP.

Na Figueira da Foz, a Sopa de Peixe, o Camarão da Costa, a Petinga de Frigideira, a Sardinha Assada, o Arroz de Sardinha e Raia de Pitau são pratos a acrescentar à lista. E na região de Coimbra, se há um prato que dispensa apresentações, é o Leitão da Bairrada. Mas não se esqueça de que o deve, sempre, acompanhar com um bom vinho ou espumante, também eles, da Bairrada. E se o que procura são mesmo as sobremesas, aqui encontrará aquelas que lhe conquistarão o coração… “pela boca”: doces conventuais, o Bolo da Várzea, o Arroz Doce, a Tigelada, as Filhós de Abóbora, de Mel, Sequilhos, Farta-Rapazes, Bolo de Ançã, Pastel de Tentúgal IGP, Talasnicos, Beirões, as Nevadas, e muitos, muitos mais.

A nossa viagem gastronómica pelo Centro de Portugal está quase a acabar, mas ainda falta falar do que de melhor se pode comer no Médio Tejo. Aqui, os sabores são genuínos. Comece pelos enchidos e experimente o Presunto de Mação. Para prato principal, não deixe escapar as Migas de Bacalhau, o peixe do Rio com Migas, o Achigã frito e grelhado ou as enguias. As “Sopas de Verde”, o Borrego ao Vale Travesso, os Queijinhos da Giesteira/Fátima, os Bolos de Arco de Ourém, a Ginjinha e o Vinho Medieval de Ourém, com 800 anos de história, são outras das iguarias que não pode deixar de provar.

Empadas de Castelo Branco, os enchidos da Póvoa de Rio de Moinhos, as Migas de Peixe em Malpica do Tejo, o borrego assado em forno de lenha, o cabrito estonado, os Maranhos e o Bucho da Sertã, e o Plangaio… são muitas das iguarias que poderá provar na Região da Beira Baixa. Imperdível, será sempre, o Queijo de Castelo Branco, o Queijo Amarelo da Beira Baixa ou o Queijo Picante.

É pelo Oeste que terminamos este Roteiro de petiscos e pratos deliciosos. Aqui, são várias as surpresas ao longo da Costa, tais como as Enguias e as Amêijoas da Lagoa de Óbidos, os mariscos de Peniche e do Porto das Barcas, e a deliciosa Caldeirada da Nazaré. Depois, o Cabrito no Forno, as múltiplas variações de codorniz, o Coelho Guisado com arroz, o Frango na Púcara e a Doçaria Conventual de Alcobaça, as cavacas das Caldas  da Rainha, o Pão de ló (Painho, Landal e Alfeizerão) e a Ginja de Óbidos para acompanhar, prometem ser a forma perfeita para terminar, ou começar, qualquer viagem.

O melhor de cada região do centro

Mostrar Esconder

Região de Aveiro: Leitão da Bairrada; Bacalhau de Cura Tradicional Portuguesa ETG; Carne Marinhoa DOP; Folar e Padas de Vale d’Ílhavo; Caldeirada de Enguias; Sal de Aveiro/Flor de Sal de Aveiro; Ovos Moles de Aveiro IGP; Pão de Ló de Ovar IGP; Vinhos e Aguardentes DOP Bairrada.

Viseu Dão Lafões: Vitela Lafões IGP; Rancho à Moda de Viseu; Bolo Podre; Viriatos; Pastéis de Vouzela; Maçã Bravo Esmolfe DOP; Maçã da Beira Alta IGP; Vinhos DOP Dão.

Região de Coimbra: Leitão da Bairrada; Lampantana; Chanfana; Arroz de Lampreia; Arroz Carolino do Baixo Mondego IGP; Queijo Rabaçal DOP; Bolo de Ançã; Pastel de Tentúgal IGP; Brisas da Figueira; Pastéis de Lorvão; Pastéis de Santa Clara; Mel da Serra da Lousã DOP; Sal da Figueira da Foz/Flor de Sal da Figueira da Foz; Vinhos e Aguardentes DOP Bairrada.

Serra da Estrela: Queijo e Requeijão Serra da Estrela DOP; Borrego Serra da Estrela DOP; Cabrito da Beira IGP; Pastel de Molho e Panela no Forno da Covilhã; Bacalhau à Conde da Guarda e Morcela da Guarda; Trutas à Moda de Manteigas; Peixe do Rio; Broa e Bolo Negro de Loriga; Sardinhas Doces de Trancoso; Maçã e Pêssego da Cova da Beira IGP; Cereja; Cherovia; Azeite da Beira Alta DOP; Vinhos DOP Beira Interior.

Região de Leiria: Morcela de Arroz; Sopa do Vidreiro; Leitão da Boa Vista; Chícharos; Biscoitos do Louriçal; Brisas do Lis e Pudins da Batalha; Queijo Rabaçal DOP; Vinhos DOP “Encostas D’Aire”; Vinhos IGP Beira Atlântico.

Médio Tejo: Maranhos de Vila de Rei; Enguias do Boquilobo, em Torres Novas; Peixe do Rio com Migas; Fatias de Tomar; Beija-me Depressa; Palha de Abrantes; Azeite do Ribatejo DOP; Mel do Ribatejo Norte DOP; Aguardente Vínica DOP Tejo; Vinhos DOP e IGP Tejo.

Oeste: Frango na Púcara; Pastéis de Feijão de Torres Vedras; e Doçaria conventual de Alcobaça; Ginja de Óbidos e Alcobaça IGP; Maçã de Alcobaça IGP; Pêra Rocha do Oeste DOP; Aguardente Vínica DOC Lourinhã; Vinhos DOP Lisboa – Óbidos, Alenquer, Arruda e Torres Vedras.

Beira Baixa: Sopa de Peixe; Cabrito Estonado; Cabrito e Borrego da Beira IGP; Maranho da Sertã IGP; Bucho da Sertã; Queijo, Requeijão e Travia da Beira Baixa DOP; Tigelada de Mel; Cartuchos de amêndoa de Cernache do Bonjardim; Azeite da Beira Baixa DOP; Azeitona Galega da Beira Baixa IGP; Vinhos DOP Beira Interior.

Depois da comida, fica a faltar o que beber!

Num Roteiro Gastronómico, que se quer o mais completo possível, não poderia faltar aquilo que de melhor se pode beber – os vinhos, os espumantes, as aguardentes e os licores. No Centro de Portugal, onde coexistem cinco regiões vitivinícolas, o vinho é a desculpa perfeita para descobrir o património histórico e cultural e promete fazer as delícias de qualquer paladar. Mesmo os mais exigentes!

Os Vinhos DOP do Dão – maduros de aromas mais furtados -, os vinhos tintos encorpados, brancos frescos e espumantes de classe mundial da Bairrada, os vinhos de Lisboa, tintos ou brancos,  cítricos e florais, onde a influência do Atlântico se faz igualmente notar ou, no extremo da região, onde a altitude dá aos vinhos da Beira Interior, uma elegância e distinção únicas.

Se das montanhas nascem grandes vinhos, também os rios fazem o seu trabalho, e o Tejo é o elemento dominante da Região dos Vinhos do Tejo. O resultado é uma variedade de vinhos deliciosos, desde os tintos ricos e encorpados até aos brancos frescos e frutados, produzidos com uvas locais como a Touriga Nacional, a Trincadeira e a Fernão Pires.

 

Mas a escolha de aguardentes e licores não fica atrás dos Vinhos. A Aguardente DOC da Lourinhã, a Aguardente de Mel, o Licor de Ginja de Alcobaça, a “Ginjinha” de Óbidos, o Licor de Medronho de Coimbra, o Licor de Mirtilo, o Licor de Alguidar de Aveiro, a Aguardente de Zimbro da Serra da Estrela ou o Licor de Cereja do Fundão, um cálice de Licor Beirão ou a Cerveja Artesanal, são exemplos daquilo que poderá encontrar no Centro de Portugal.

Ao longo das cinco regiões vitivinícolas são muitas as Rotas de Enoturismo que pode explorar. Nelas, encontra quintas e adegas (das mais tradicionais às mais contemporâneas), museus e centros interpretativos, bem como, diversos circuitos. O importante é que vá com tempo e sem pressas! Todas elas merecem ser desfrutadas. Com os cinco sentidos.

 
Assine um ano por 79,20€ 44€

Não é só para chegar ao fim deste artigo:

  • Leitura sem limites, em qualquer dispositivo
  • Menos publicidade
  • Desconto na Academia Observador
  • Desconto na revista best-of
  • Newsletter exclusiva
  • Conversas com jornalistas exclusivas
  • Oferta de artigos
  • Participação nos comentários

Apoie agora o jornalismo independente

Ver planos

Oferta limitada

Já é assinante?
Apoio a cliente

Para continuar a ler assine o Observador
Assine um ano por 79,20€ 44€
Ver planos

Oferta limitada

Já é assinante?
Apoio a cliente

Ofereça este artigo a um amigo

Enquanto assinante, tem para partilhar este mês.

A enviar artigo...

Artigo oferecido com sucesso

Ainda tem para partilhar este mês.

O seu amigo vai receber, nos próximos minutos, um e-mail com uma ligação para ler este artigo gratuitamente.

Ofereça artigos por mês ao ser assinante do Observador

Partilhe os seus artigos preferidos com os seus amigos.
Quem recebe só precisa de iniciar a sessão na conta Observador e poderá ler o artigo, mesmo que não seja assinante.

Este artigo foi-lhe oferecido pelo nosso assinante . Assine o Observador hoje, e tenha acesso ilimitado a todo o nosso conteúdo. Veja aqui as suas opções.

Atingiu o limite de artigos que pode oferecer

Já ofereceu artigos este mês.
A partir de 1 de poderá oferecer mais artigos aos seus amigos.

Aconteceu um erro

Por favor tente mais tarde.

Atenção

Para ler este artigo grátis, registe-se gratuitamente no Observador com o mesmo email com o qual recebeu esta oferta.

Caso já tenha uma conta, faça login aqui.

Apoie o jornalismo. Leia sem limites. Verão 2024.  
Assine um ano por 79,20€ 44€
Apoie o jornalismo. Leia sem limites.
Este verão, mergulhe no jornalismo independente com uma oferta especial Assine um ano por 79,20€ 44€
Ver ofertas Oferta limitada