Índice

    Índice

A queda é sentida em todo o lado. Os resultados do PISA não são bons para Portugal, mas em jeito de prémio de consolação, não são bons para praticamente ninguém. Os alunos de 15 anos pioraram em todos os domínios analisados, leitura, ciências e matemática, mas mantendo-se os valores portugueses dentro da média da OCDE (sem uma variação estatística significativa). No entanto, para quem na última edição tinha sido retratado como o único caso de sucesso entre os Estados-membros da OCDE, ter passado a ter uma trajetória negativa a dois dos três domínios é um recuo considerável.

Estas são algumas das conclusões que se podem encontrar no PISA 2022, o Programa Internacional de Avaliação de Alunos da OCDE, que é feito de três em três anos a alunos de 15 anos, e que este ano se focou, pela terceira vez, na competência da matemática. Os resultados foram divulgados nesta terça-feira.

Em 13 gráficos, divididos por quatro pontos, o Observador explica-lhe o essencial do relatório para perceber em que patamar estão os alunos portugueses, comparados com os do resto da OCDE e com os resultados nacionais do passado.

Este artigo é exclusivo para os nossos assinantes: assine agora e beneficie de leitura ilimitada e outras vantagens. Caso já seja assinante inicie aqui a sua sessão. Se pensa que esta mensagem está em erro, contacte o nosso apoio a cliente.